Belgic CONFISSÃO DE FÉ - Textosa

Informações Gerais

Artigo 1 º - há um só Deus

Todos nós acreditamos com o coração, e confessar com a boca, que existe apenas um simples e ser espiritual, que nós chamamos Deus e que Ele é eterno, incompreensível, invisível, imutável, infinito, Irresistível, perfeitamente sensata, justa, boa , Eo chafariz repleto de todos os bons.

ACREDITO
Religioso
Informações
Fonte
web-site
Religioso
Informações
Fonte
web-site

Nossa lista de 2300 Assuntos Religiosos
E-mail
Ef.

4:6; Deut.

6:4; Tim 1.

2:5; 1 Cor.

8:6
João 4:24


Isa. 40:28
Rom. 11:33
Rom. 1:20
Mal. 3:6
Isa. 44:6
Tim 1.

1:17
Jer. 12:1
Matt. 19:17
Jas. 1:17; 1 Chron.

Artigo 2 º - O que significa a Deus se faça conhecido para nós

Sabemos Ele por dois meios: em primeiro lugar, pela criação, preservação, eo governo do universo; que está perante os nossos olhos como um livro mais elegante, onde todas as criaturas, grandes e pequenos, como tantos personagens levando-nos a contemplar o coisas invisíveis de Deus, a saber, o Seu eterno poder e divindade, como diz o apóstolo Paulo (Rom. 1:20).

Todas as coisas que são suficientes para convencer os homens, e deixá-los sem desculpa.

Em segundo lugar, Ele se faz de forma mais clara e totalmente conhecido para nós por Sua santa e divina Palavra, isto é, tanto quanto for necessário para que possamos conhecer nesta vida, a Sua glória e nossa salvação.

Ps. 19:2; Ef.

4:6
Ps. 19:8; 1 Cor.

Artigo 3 - A Palavra de Deus escrita

Nós confessar que esta Palavra de Deus não foi enviada nem emitido pela vontade do homem, mas que os homens santos de Deus falou que eles foram movidos pelo Espírito Santo, como diz o apóstolo Pedro.

Deus, e que depois, a partir de um cuidado especial que Ele tem para nós e nossa salvação, comandou Seus servos, os profetas e apóstolos, para cometer Sua Palavra revelada a escrever, e ele mesmo escreveu com o Seu próprio dedo as duas tabelas da lei.

Por isso nós chamamos tais escritos santos e divinas Escrituras.

2 Pet.

1:21
Ex. 24:4; Ps.

102:19; hab.

2:2
Tim 2.

3:16; Rev. 1:11

Artigo 4 º - Canonical livros da Sagrada Escritura

Acreditamos que as Sagradas Escrituras estão contidas em dois livros, ou seja, o Antigo eo Novo Testamento, os quais são canônico, contra a qual nada pode ser alegado.

Estes são, assim chamado, na Igreja de Deus.

Os livros do Antigo Testamento são: os cinco livros de Moisés, a saber, Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio; os livros de Josué, Juízes, Ruth, os dois livros de Samuel, os dois dos Reis, dois livros de as Crônicas, comumente chamado Paralipomenon, o primeiro de Esdras, Neemias, Ester, Job, os Salmos de Davi, os três livros de Salomão, a saber, os Provérbios, Eclesiastes, e do Cântico dos Cânticos; as quatro grandes profetas, Isaías, Jeremias , Ezekiel, e Daniel, e os doze profetas menor, ou seja, Oséias, Joel, Amos, Obadiah, Jonas, Miquéias, Nahum, Habacuque, Zephaniah, Haggai, Zechariah, e Malaquias.

Os do Novo Testamento são: os quatro Evangelistas, a saber, Mateus, Marcos, Lucas e João, os Atos dos Apóstolos, os catorze epistles do apóstolo Paulo, a saber, uma para os romanos, duas para o Corinthians, para um a Gálatas, uma aos Efésios, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas para o Thessalonians, Timothy a dois, um para Tito, uma a Philemon, e um para os hebreus, os sete epistles dos outros apóstolos, a saber, , Uma de Tiago, duas de Pedro, três de João, um dos Jude; e do Apocalipse do apóstolo João.

Artigo 5 º - A partir daí o Sagrada Escritura derivar sua dignidade e autoridade

Recebemos todos estes livros, e apenas estes, como sagrado e canônico, para a regulamentação, a fundação, ea confirmação da nossa fé, crendo, sem qualquer dúvida, todas as coisas que neles se encontram, não tanto porque a Igreja recebe e aprova-los como tais, mas sobretudo porque o Espírito Santo witnesseth em nossos corações que eles são de Deus, que eles carregam os elementos de prova em si.

Para os cegos são muito capazes de perceber que as coisas preditas neles estão cumprindo.

Artigo 6 º - a diferença entre o canônico e livros apócrifos

Não distingam estes livros sagrados dos apócrifos, viz., O terceiro eo quarto livro de Esdras, os livros de Tobias, Judith, Sabedoria, Jesus Syrach, Baruch, o apêndice do livro de Ester, a Canção dos três filhos na Forno, a História de Susannah, de Bell e do Dragão, a Oração de Manasses, e os dois livros dos Macabeus.

Todos os quais a Igreja de maio e de ter lido a partir de instrução, na medida em que concordo com o livro canônico, mas estão longe de ter essa competência e eficácia como a que possamos confirmar seu depoimento a partir de qualquer ponto de fé ou da religião cristã; muito menos para desviar a atenção da autoridade dos outros livros sagrados.

Artigo 7 º - a suficiência da Sagrada Escritura para ser a única regra de Fé

Nós acreditamos que essas Sagradas Escrituras contêm plenamente a vontade de Deus, e que qualquer homem deveria acreditar ditou a salvação é suficientemente ensinadas nele.

Por uma vez que toda a forma de culto que Deus exige de nós está escrito nelas em geral, é ilegal para qualquer um, apesar de um apóstolo, ao contrário do que ensinar, estamos agora ensinadas nas Sagradas Escrituras: sim, se ele fosse um anjo do céu, como diz o apóstolo Paulo.

Por uma vez que é proibido para acrescentar ou retirar-vos qualquer coisa a partir da Palavra de Deus, é evidentemente doth assim parece que a doutrina, é mais perfeito e completo em todos os aspectos.

Também não considero de igual valor qualquer escrito dos homens, no entanto estes santos homens podem ter sido, com as divinas Escrituras, nem para nós deveríamos considerar personalizado, ou a grande multidão, ou antiguidade, ou sucessão de tempos e de pessoas, ou conselhos, decretos, ou estatutos, como de igual valor com a verdade de Deus, para a verdade é acima de tudo, para todos os homens são mentirosos de si próprios, e mais vã do que ela própria vaidade.

Por isso, rejeitamos com todo o nosso coração alguma Acaso, não concordo com esta regra infalível que os apóstolos ensinaram-nos, dizendo: Experimente os espíritos se são de Deus.

Da mesma forma, se houver qualquer vir a vós, e não trazer esta doutrina, ele não receberá em sua casa.

Rom. 15:4, João 4:25; Tim 2.

3:15-17; 1 Pet.

1:1; Prov.

30:5; Rev. 22:18; João 15:15; Atos 2:27


1 Pet.

4:11; 1 Cor.

15:2-3; Tim 2.

3:14; Tim 1.

1:3; 2 João 10


Gal. 1:8-9; 1 Cor.

15:2, Atos 26:22, Rom.

15:4; 1 Pet.

4:11; Tim 2.

3:14
Deut. 12:32; Prov.

30:6; Rev. 22:18; João 4:25


Matt. 15:3; 17:5; Marcos 7:7; Isa.

1:12; 1 Cor.

2:4
Isa. 1:12; Rom.

3:4; Tim 2.

4:3-4
Ps. 62:10
Gal. 6:16; 1 Cor.

3:11; esses 2.

2:2
1 João 4:1


2 João 10

Artigo 8 º - Um Deus é, em essência, no entanto Ilustre três pessoas

De acordo com esta verdade e esta Palavra de Deus, nós acreditamos em um só Deus, que é um único fundo, em que são três pessoas, realmente, realmente, e eternamente distintas, de acordo com as suas propriedades incomunicáveis, a saber, o Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

O Pai é a causa de origem, e no início de todas as coisas visíveis e invisíveis; o Filho é a palavra de sabedoria, ea imagem do Pai, o Espírito Santo é o eterno poder e talvez, proceder do Pai e do Filho.

No entanto Deus por esta distinção não é dividida em três, uma vez que as Sagradas Escrituras nos ensinam que o Pai, e do Filho, e do Espírito Santo têm cada um a sua personalidade, distinguidos por suas propriedades, mas em tal sábio que estas três pessoas, mas são um só Deus.

Daí, então, é evidente que o Pai não é o Filho, nem o Filho do Pai, e também o Espírito Santo não é nem o Pai nem o Filho.

No entanto, essas pessoas não estão divididas assim distinguidas intermixed nem; para o Pai vos não assumiu a carne, nem vos o Espírito Santo, mas o Filho único.

O Pai vos sem nunca foi seu filho, ou sem o Seu Espírito Santo.

Para todos eles são três coeternal e coessential.

Não há nem primeiro nem último, porque são os três um, na verdade, no poder, em bondade, e em misericórdia.

Isa. 43:10
1 João 5:7; Hb.

1:3
Matt. 28:19
1 Cor.

8:6; Cor. 1:16


João 1:1,2; Rev. 19:13; Prov.

8:12
Prov. 8:12,22
Cor. 1:15; Hb.

1:3
Matt. 12:28
João 15:26; Gal.

4:6
Phil. 2:6,7; Gal.

4:4; João 1:14

Artigo 9 º - A Prova de que precede o artigo da Santíssima Trindade de Pessoas em um só Deus

Tudo isso nós sabemos, e também a partir de testemunhos de Santo petição, a partir de suas operações, e principalmente por aqueles que sentimos em nós mesmos.

Os testemunhos da Sagrada Escritura, que ensinam-nos a acreditar nesta Santíssima Trindade, são escritos em muitos lugares do Antigo Testamento, que não são tão necessárias como a enumerá-los a escolher a discrição e julgamento.

Em Gênesis 1:26, 27, Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem, após a nossa semelhança, etc Então Deus criou o homem na sua própria imagem, machos e fêmeas Ele criou-los.

E Gênesis 3:22: Eis que o homem se tornou como um de nós.

A partir deste dizendo, Façamos o homem à nossa imagem, parece que há mais pessoas do que um no Godhead, e quando Ele lhes dirá, criou Deus, Ele indica que a unidade.

É verdade Acaso, não Lhe dizer quantas pessoas estão lá, mas que para nós o que parece um tanto obscuras no Antigo Testamento é muito elucidativo no Novo.

Para quando nosso Senhor foi batizado na Jordânia, a voz do Pai foi ouvida, dizendo: Este é o meu Filho amado: o Filho foi visto na água, eo Espírito Santo apareceu na forma de uma pomba.

Esta forma também é instituído por Cristo no batismo de todos os crentes.

Batizar todas as nações, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

No Evangelho de Lucas do anjo Gabriel, assim, dirigida Maria, a mãe de nosso Senhor: O Espírito Santo deve vir sobre ti, e com o poder da Maior deve ofuscar-te, por isso também que o santo coisa que deve nascer de ti será chamado o Filho de Deus.

Do mesmo modo, a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, e ao amor de Deus, e da comunhão do Espírito Santo estar com você.

E, há três que suportar registro no céu, o Pai, o Verbo, eo Espírito Santo, e estes três são um.

Em todos os lugares que nós estamos plenamente ensinou que há três pessoas em um só essência divina.

E embora esta doutrina longe supera todos os humanos compreensão, no entanto, neste momento, creio que por meio da Palavra de Deus, mas esperar a seguir para desfrutar o perfeito conhecimento e beneficiar dele no céu.

Além disso, temos de observar o particular escritórios e operações destas três pessoas em relação a nós.

O Pai é chamado nosso Criador por Sua potência; 9 o Filho é nosso Salvador e Redentor pelo Seu sangue; 10 o Espírito Santo é o nosso Sanctifier por Sua habitação em nossos corações.

Esta doutrina da Santíssima Trindade, fez sido sempre defendido e mantido pela verdadeira Igreja, desde os tempos dos apóstolos para este mesmo dia, contra os judeus, Mohammedans, e alguns falsos cristãos e hereges, como Marcion, Manes, Praxeas, Sabélio, Samosatenus, Arius, e como tal, que foram condenadas pela justiça ortodoxa pais.

Por isso, neste ponto, nós recebemos de bom grado os três credos, a saber, o dos Apóstolos, de Nice, e de Atanásio; igualmente que o qual, conformable dela, é acordado com os antigos pais.

Gen. 1:26,27


Gen. 3:22


Matt. 3:16-17
Matt. 28:19
Lucas 1:35


2 Cor.

13:13
1 João 5:7


Ps. 45:8; Isa.

61:1
Eccl. 12:3; Mal.

2:10; 1 Pet.

1:2
1 Pet.

1:2; 1 João 1:7; 4:14


1 Cor.

6:11; 1 Pet.

1:2; Gal.

4:6; TIT.

3:5; Rom.

8:9; João 14:16

Artigo 10 - Jesus Cristo é verdadeiro Deus e Eterno

Nós acreditamos que Jesus Cristo, segundo a Sua natureza divina, é a unigènlto Filho de Deus, teve de eternidade, e não fez nem criada (por Ele, então seria uma criatura), coeternal mas coessential e com o Pai, manifestar a imagem de Sua pessoa, e ao brilho de sua glória, igual a Ele, em todas as coisas.

Ele é o Filho de Deus, e não apenas a partir do momento em que Ele assumiu a nossa natureza, mas de toda a eternidade, como estes testemunhos, quando comparadas em conjunto, nos ensinar.

Moisés diz que Deus criou o mundo, e John diz que todas as coisas foram feitas por essa Palavra, que ele invoca Deus.

E o apóstolo diz que Deus fez o mundo com o Seu Filho; de igual modo, que Deus criou todas as coisas por Jesus Cristo.

Por isso é preciso que ele precisa seguir que é chamado de Deus, a Palavra, do Filho, e de Jesus Cristo fez existir nessa altura, quando todas as coisas foram criadas por Deus.

Por isso o profeta Miquéias diz: diante dele ter sido a partir de práticas de idade, de eterna.

E o apóstolo: Ele nem começo nem fim de dias de vida.

Ele, por isso, é verdade que, eterna, e almighty Deus, a quem nós invocar, culto, e servir.

João 1:18,49


João 1:14; Cor. 1:15


João 10:30; Phil.

2:6
João 1:2; 17:5; Rev. 1:8


Hb.

1:3
Phil. 2:6
João 8:23,58, 9:35-37; Atos 8:37; Rom.

9:5
Gen. 1:1


João 1:3


Hb.

1:2
Cor. 1:16


Cor. 1:16


Mic. 5:2
Hb.

Artigo 11 - O Espírito Santo é verdadeiro Deus e Eterno

Nós acreditamos e confesso que também o Espírito Santo a partir de eternidade produtos do Pai e do Filho, e nem por isso é feito, de criar, nem teve, mas só proceedeth de ambos; que no fim é a terceira pessoa da Santíssima Trindade; de um e de a mesma essência, majestade, e de glória com o Pai e do Filho, e por isso é o verdadeiro e eterno Deus, como nos ensinam as Sagradas Escrituras.

Ps. 33:6,17; João 14:16


Gal. 4:6; Rom.

8:9; João 15:26


Gen. 1:2; Isa.

48:16; 61:1; Atos 5:3-4; 28:25; 1 Cor.

3:16, 6:19; Ps.

Artigo 12 - A Criação

Nós acreditamos que o Pai, pela Palavra, isto é, por seu filho, criado do nada o céu, a terra, e todas as criaturas, já que parecia bom para Ele, dando-vos a cada criatura que seja, forma, forma, e vários escritórios para servir o seu Criador e que Ele continua a defender também doth e regem-los por Sua providência eterno e infinito poder para o serviço da humanidade, a fim de que o homem pode servir o seu Deus.

Ele também criou bons os anjos, para ser Seus mensageiros e para servir Sua eleição, alguns dos quais estão a baixar de excelência, na qual Deus criou-los, em perdição eterna, e os outros têm, pela graça de Deus, e são perseverantes prosseguiu no seu estado primitivo.

Os diabos e espíritos malignos são tão depravados que eles são inimigos de Deus e de cada coisa boa, para o máximo de seu poder, como assassinos assistindo a ruína da Igreja e todos os membros desta, e pelos seus wicked todos os estratagemas para destruir, e são, portanto, , Por sua própria abominação, julgado à perdição eterna, esperando seu diário horrível tormentos.

Por isso, rejeitamos e abhor o erro do Sadducees, que negam a existência de espíritos e de anjos, e também a do Manichees, que afirmam que os demônios têm a sua origem de si próprios, e que são perversos da sua própria natureza, sem ter sido corrompido.

Gen. 1:1; Isa.

40:26; Hb.

3:4; Rev. 4:11; 1 Cor.

8:6; João 1:3; Cor. 1:16


Hb.

1:3; Ps.

104:10; Atos 17:25


Tim 1.

4:3-4; Gen. 1:29-30; 9:2-3; Ps.

104:14-15
1 Cor.

3:22, 6:20, Matt.

4:10
Cor. 1:16


Ps. 103:20; 34:8; 148:2


Hb.

1:14; Ps.

34:8
João 8:44; 2 Pet.

2:4; Lucas 8:31; Jude 6


Matt. 25:3
1 Pet.

5:8; Job 1:7


Gen. 3:1; Matt.

13:25; 2 Cor.

2:11; 11:3,14


Matt. 25:41; Luke 8:30,31


Atos 23:8

Artigo 13 - Divina Providência

Nós acreditamos que o mesmo Deus, depois que ele criou todas as coisas, não renunciemos-los, ou dar-lhes um máximo de fortuna ou azar, mas que Ele regras e regula-los de acordo com Sua santa vontade, a fim de que nada acontece neste mundo sem dele nomeação; no entanto, nem Deus é o autor de, nem pode ser acusado de, quais são os pecados cometidos.

Para o Seu poder ea bondade são tão grandes e incompreensíveis, que Ele ordena e executa seu trabalho no mais justa e de forma excelente, mesmo depois, quando demônios e homens maus agir injustamente.

E quanto ao que Ele doth superando entendimento humano, nós não curiosamente inquirir sobre ele vai mais longe do que a nossa capacidade de admitir, mas com a maior humildade e reverência adorar os justos juízos de Deus que se escondeu de nós, contentando-nos que somos discípulos de Cristo, para aprender apenas as coisas que Ele tem revelado a nós na Sua Palavra, sem transgredir esses limites.

Esta doutrina nos oferece inqualificável consolo, uma vez que são ensinados, assim, que nada pode suceder-nos por acaso, mas pela direção dos nossos mais gracioso e Pai celestial, que fiscaliza-nos com um cuidado paternal, mantendo todas as criaturas sob o seu poder de modo que não um cabelo da nossa cabeça (para todos eles estão numerados), nem um pardal, pode cair ao chão, sem a vontade do nosso Pai, em quem confio inteiramente o que fazemos; sendo persuadida por isso que Ele limita o diabo e que todos os nossos inimigos , Sua vontade e sem permissão, eles não podem prejudicar-nos.

E por isso que rejeitamos damnable erro do Epicureans, que dizem que Deus respeita nada, mas deixa todas as coisas ao acaso.

João 5:17; Hb.

1:3; Prov.

16:4; Ps.

104:9, etc; Ps.

139:2, etc


Jas. 4:15; Job 1:21; 1 Reis 22:20; Atos 4:28; 1 Sam.

2:25; Ps.

115:3; 45:7; Amós 3:6; Deut.

19:5; Prov.

21:1; Ps.

105:25; Isa.

10:5-7; esses 2.

2:11; Ezek.


14:9; Rom.

1:28; Gen. 45:8; 1:20, 2 Sam.

16:10; Gen. 27:20; Ps.

75:7-8; Isa.

45:7; Prov.

16:4; Lam.

3:37-38; 1 Reis 22:34,38; Ex.

21:13
Matt. 8:31,32; João 3:8


Rom. 11:33-34
Matt. 8:31; Job 1:12; 2:6

Artigo 14 - A criação ea Queda do Homem, e Seu impedido de exercer as Qual é verdadeiramente positiva

Nós acreditamos que Deus criou o homem a partir do pó da terra, e depois ele fez e formou Sua própria imagem e semelhança, bons, justos e santos, capazes de todas as coisas que vão agreeably à vontade de Deus.

Mas estar em homenagem, ele compreendeu que não é, nem sabia Sua Excelência, mas propositadamente submetido a si próprio pecado, e consequentemente à morte e à maldição, dando ouvidos às palavras do diabo.

Para o mandamento de vida, que ele tinha recebido, ele transgrediu, e pelo pecado separou-se de que Deus era sua verdadeira vida, depois de ter corrompido toda sua natureza, em que ele fez-se passível de morte corporal e espiritual.

E, sendo assim, tornar-se perverso, perverso, corrupto e em todas as suas formas, ele se perdeu todas as suas excelentes dons que ele tinha recebido de Deus, e somente alguns restos conservados mesma, que, no entanto, são suficientes para deixar o homem sem desculpa; para toda a luz que está em nós é alterado em trevas, como nos ensinam as Escrituras, dizendo: O shineth luz na escuridão, ea escuridão se não abrange, onde São João convoca homens escuridão.

Por isso, rejeitar tudo o que é ensinado repugnante para o presente, relativo à livre vontade do homem, pois o homem é um slave, mas ao pecado, e nada tem de si mesmo a não ser que lhe é dado do céu.

Para maio presumir que a vangloriar-se de que ele pode fazer qualquer boa, uma vez que Cristo disse Nenhum homem pode vir a Mim, exceto o Pai me enviou, que vos chamar-lhe?

Que irá glória na sua própria vontade, que compreende que para ser carnally espírito é inimizade contra Deus?

Que pode falar do seu conhecimento, uma vez que o homem natural não recebe as coisas do Espírito de Deus?

Em suma, que ousam sugerir qualquer pensamento, pois ele sabe que temos de nós mesmos não são suficientes para pensar qualquer coisa como de nós mesmos, mas que a nossa suficiência é de Deus?

E, por conseguinte, aquilo que diz o apóstolo deve justamente a ser realizada certo e firme, que worketh Deus em nós tanto a vontade de fazer e de Seu bom prazer.

Para não há vontade nem compreensão, conformable à vontade divina e de compreensão, mas o que Cristo fez forjado no homem; Ele nos ensina que quando Ele lhes dirá, Sem Mim vós não pode fazer nada.

Gen. 1:26; Eccl.

7:29; Ef.

4:24
Gen. 1:31; Ef.

4:24
Ps. 49:21; Isa.

59:2
Gen. 3:6,17


Gen. 1:3,7


Isa. 59:2
Ef.

4:18
Rom. 5:12; Gen. 2:17, 3:19


Rom. 3:10
Atos 14:16-17; 17:27


Rom. 1:20,21; Atos 17:27


Ef.

5:8; Matt.

6:23
João 1:5


Isa. 26:12; Ps.

94:11; João 8:34; Rom.

6:17; 7:5,17


João 3:27; Isa.

26:12
João 3:27; 6:44,65


Rom. 8:7
1 Cor.

2:14; Ps.

94:11
2 Cor.

3:5
Phil. 2:13
João 15:5

Artigo 15 - Original Sin

Acreditamos que, através da desobediência de Adão, o pecado original é alargado a toda humanidade; o que é uma corrupção de toda a natureza, e de uma doença hereditária, quais eles próprios são bebés infectados até mesmo no seu ventre da mãe, e que origina o homem em todas as sortes do pecado, sendo a ele como uma raiz desse facto, e por isso é tão vil e abominável aos olhos de Deus que é suficiente para condenar toda humanidade.

Também não é por qualquer meio ou abolida acabar por batismo, pois o pecado sempre diante de questões woeful esta fonte, como uma fonte de água: não obstante, não é imputada aos filhos de Deus retornarão condenação, mas por Sua graça e misericórdia é perdoado lhes.

Não que eles devem descansar segura em pecado, mas um sentimento de que este deveria tornar fiéis corrupção muitas vezes a suspirar, desejosos de ser entregues a partir deste corpo de morte.

Wherefore rejeitamos o erro do Pelagians, que afirmam que o pecado procede apenas a partir de imitação.

Rom. 5:12,13; Ps.

51:7; Rom.

3:10; Gen. 6:3; João 3:6; Job 14:4


Isa. 48:8; Rom.

5:14
Gal. 5:19; Rom.

7:8,10,13,17-18,20,23
Ef.

Artigo 16 º - Eternal Eleitoral

Nós acreditamos que todos os descendentes de Adão, sendo assim, caído em perdição e ruína pelo pecado de nossos primeiros pais, então Deus fez manifesto Si mesmo como ele é, ou seja, misericordioso e justo: misericordiosos, porque Ele fornece e preserva a partir desta perdição todos quem Ele, em Seu eterno e imutável conselho, de mera bondade vos eleitos em Cristo Jesus nosso Senhor, sem qualquer respeito às suas obras; apenas, nos deixando outros na queda e perdição em que eles próprios envolvidos.

Rom. 9:18,22-23; 3:12


Rom. 9:15-16; 11:32; Ef.

2:8-10; Ps.

100:3; 1 João 4:10; Deut.

32:8; 1 Sam.

12:22; Ps.

115:5; Mal.

1:2; Tim 2.

1:9; Rom.

8:29; 9:11,21; 11:5-6; Eph.1: 4; TIT.

3:4-5; Atos 2:47, 13:48; Tim 2.

2:19-20; 1 Pet.

1:2; João 6:27, 15:16; 17:9


Rom. 9:17,18; Tim 2.

Artigo 17 - A Recuperação de caídas Man

Nós acreditamos que nossos mais gracioso Deus, na Sua bondade e sabedoria admirável, vendo que o homem tivesse jogado assim ele mesmo em morte espiritual e temporal, e fez-se totalmente miserável, foi com prazer que procuram conforto e tremores quando ele fugiu da Sua presença, prometendo Ele teria ele que deu o Seu Filho, que deverá ser feita de uma mulher, para feridas a cabeça da serpente, e gostaria de lhe fazer feliz.

Gen. 3:8-9,19; Isa.

65:1-2
Hb.

2:14; Gen. 22:18; Isa.

7:14, João 7:42; Tim 2.

2:8; Hb.

7:14; Gen. 3:15; Gal.

Artigo 18 - da Encarnação de Jesus Cristo

Nós confesso, por isso, que Deus fez cumprir a promessa que Ele fez para os pais com a boca dos Seus santos profetas quando Ele enviou em todo o mundo, no momento por ele nomeados, Sua própria só teve-e eterno Filho, que assumiu aquando Ele a forma de um servo, e ficou como ditou o homem, assumindo realmente a verdadeira natureza humana, com todas as suas enfermidades, exceto o pecado, sendo concebido no ventre da Virgem Maria, pelo poder do Espírito Santo, sem que os meios do homem, e não só assumem a natureza humana como para o corpo, mas também uma verdadeira alma humana, de que ele poderia ser um verdadeiro homem.

Por uma vez que a alma se perdeu, assim como o corpo, era necessário que ele deveria ter tanto que lhe seja feita, para salvar os dois.

Por isso, confesso (em oposição à heresia do Anabaptists, que nega que Cristo assumiu carne humana de sua mãe) que Cristo é tornar-se um partaker da carne e sangue das crianças; que Ele é um dos frutos da lombos de David depois a polpa; feita das sementes de David segundo a carne, um fruto do ventre da Virgem Maria; feita de uma mulher, um ramo de David; um rebento da raiz de Jesse; suspensa a partir da tribo de Judá; descia a partir de judeus, de acordo com a polpa: da semente de Abraão, uma vez que Ele tomou sobre Ele a semente de Abraão, e tornou-vos como seus irmãos em todas as coisas, exceto o pecado; na verdade, para que Ele é nosso Immanuel, isto é, , Deus connosco.

Isa. 11:1; Lucas 1:55; Gen. 26:4; 2 Sam.

7:12; Ps.

132:11; Atos 13:23


Tim 1.

2:5; 3:16; Phil.

2:7
Hb.

2:14-15; 4:15


Lucas 1:31,34-35


Matt. 26:38; João 12:27


Hb.

2:14
Atos 2:30


Ps. 132:11; Rom.

1:3
Lucas 1:42


Gal. 4:4
Jer. 33:15
Isa. 11:1
Hb.

7:14
Rom. 9:5
Gen. 22:18; 2 Sam.

7:12; Matt.

1:1; Gal.

3:16
Hb.

2:15-17
Isa. 7:14; Matt.

Artigo 19 - A União e Distinção
Duas das Naturezas na Pessoa de Cristo

Nós acreditamos que a esta concepção da pessoa do Filho está unida e inseparavelmente ligadas à natureza humana, a fim de que não existem dois filhos de Deus, nem duas pessoas, mas duas naturezas unidos em uma só pessoa, ainda que cada um conserve a sua natureza próprias propriedades distintas.

Tal como então, a natureza divina vos sempre se manteve uncreated, sem começo de dias ou fim de vida, enchendo o céu ea terra, assim também fez a natureza humana não perdeu suas propriedades, mas manteve uma criatura, tendo início do dia, sendo uma natureza finita, e mantendo todas as propriedades de um verdadeiro corpo.

E embora Deus por Sua ressurreição dada a imortalidade da mesma, no entanto Ele não mudou a realidade de Sua natureza humana; forasmuch como a nossa salvação e ressurreição dependem igualmente a realidade do seu corpo.

Mas estas duas naturezas estão tão estreitamente unidos em uma pessoa, que não eram separados até mesmo a morte dele.

Ele que, portanto, que, quando morrer, louvou para as mãos de seu pai, foi um verdadeiro espírito humano, partem de Seu corpo.

Mas, entretanto, a natureza divina sempre se manteve unida com os humanos, mesmo quando ele esteve no facto grave, e os Godhead não deixa de ser a Ele, mais do que qualquer Ele o fez quando era um bebê, embora não tão claramente manifestar-se durante algum tempo.

Wherefore que confessar que ele é muito grande homem e Deus: Deus por Sua potência muito para conquistar a morte, e muito homem que ele poderia morrer por nós de acordo com a enfermidade de Sua carne.

Hb.

7:3
1 Cor.

15:13,21; Phil.

3:21; Matt.

26:11; Atos 1:2,11; 3:21; Lucas 24:39; John 20:25,27


Lucas 23:46; Matt.

Artigo 20 º - Acaso Deus Manifested Sua justiça e misericórdia de Cristo

Nós acreditamos que Deus, que é perfeitamente misericordioso e justo, enviou o Seu Filho para presumir que a natureza em que foi cometida a desobediência, a satisfação em fazer o mesmo, e para suportar o castigo do pecado por Sua mais amarga paixão e morte.

Deus manifestava Sua justiça, pois, contra o Seu Filho quando Ele estabeleceu a Ele nossas iniqüidades, e derramou Sua misericórdia e bondade diante de nós, que eram culpados e dignos de perdição, fora de simples e de amor perfeito, dando Seu Filho ditou a morte para nós, e Ele elevar para a nossa justificação, que, através dele, poderemos obter imortalidade e vida eterna.

Hb.

2:14; Rom.

8:3,32-33
Isa. 53:6, João 1:29, 1 João 4:9

Artigo 21 - A Satisfação de Cristo, nosso único Sumo Sacerdote, para nós

Nós acreditamos que Jesus Cristo é ordenado sacerdote com um juramento de ser um eterno Sumo Sacerdote, após a ordem de Melchizedek, e que Ele se apresentou em nosso nome antes do Pai, para apaziguar a ira dele Sua plena satisfação, através da oferta sobre a Si árvore da cruz, e fora dele verter sangue precioso para purgar os nossos pecados, como os profetas tinham anunciada.

Por que é escrito, ele foi ferido por nossas transgressões, Ele foi pisada para a nossa iniquidades: o castigo de nossa paz estava sobre Ele, e com o Seu listras nós estamos curados.

Ele foi trazido como um cordeiro ao abate, e numerado com os transgressores; e condenado por Pôncio Pilatos como um pecador, embora ele havia declarado primeiro Ele inocente.

Por isso, Ele restabelecido o que Ele não tomou distância, e sofreu o apenas para os injustos, bem como no seu corpo como na alma dele, sentir o terrível castigo que os nossos pecados tinha merecido; insomuch que ditou o Seu suor se tornou como gotas de sangue caindo no terreno.

Ele saiu, meu Deus, meu Deus, porque Tu tens Me abandonaste?

e tudo isto para vos sofreu a remissão de nossos pecados.

Wherefore estamos justamente dizer com o apóstolo Paulo, que não sabemos nada, mas Jesus Cristo, e Ele crucificado; nós contar todas as coisas, mas a perda de excrementos e excelência do conhecimento de Cristo Jesus nosso Senhor, em cujas feridas nós encontramos todos os tipos de consolação .

Também não é necessário procurar ou inventar qualquer outro meio de ser reconciliado com Deus, que não só este sacrifício, uma vez que oferece, através do qual são feitas crentes perfeitos para sempre.

Esta é também a razão pela qual ele foi chamado pelo anjo de Deus, Jesus, isto é, de Salvador, porque Ele deve salvar o Seu povo dos seus pecados.

Ps.110: 4; Hb.

5:10
Cor. 1:14; Rom.

5:8-9; Cor. 2:14; Hb.

2:17, 9:14; Rom.

3:24; 8:2; João 15:3; Atos 2:24, 13:28; João 3:16; Tim 1.

2:6
Isa. 53:5,7,12
Lucas 23:22,24; Atos 13:28; Ps.

22:16; João 18:38; Ps.

69:5; 1 Pet.

3:18 Ps.

69:5
1 Pet.

3:18
Lucas 22:44


Ps. 22:2; Matt.

27:46
1 Cor.

2:2
Phil. 3:8
Hb.

9:25-26; 10:14


Matt. 1:21; Atos 4:12

Artigo 22 º - nossa justificação através da fé em Jesus Cristo

Pensamos que, para atingir o verdadeiro conhecimento desse grande mistério, o Espírito Santo kindleth em nossos corações uma fé monoteísta, que abraça Jesus Cristo com todos os méritos dele, appropriates d'Ele, e que visa nada mais além d'Ele.

Para ela deve seguir necessidades, quer que todas as coisas que são necessárias para a nossa salvação em Jesus Cristo não são, ou se todas as coisas estão em Ele, então que aqueles que possuem Jesus Cristo ter completa salvação pela fé em Jesus.

Assim, para qualquer afirmar que Cristo não é suficiente, mas que é necessária mais alguma coisa além d'Ele, seria demasiado bruta uma blasfémia, pelo que teria de seguir Cristo que foi, mas metade de um Salvador.

Por isso, justamente dizer com Paul, que somos justificados pela fé sozinho, ou pela fé sem obras.

No entanto, para falar mais claramente, não significa que a fé em si justifica-nos, pois é apenas um instrumento com o qual estamos abraçar Cristo nossa Justiça.

Mas Jesus Cristo, imputar a todos nós o seu mérito, e de tantos santos obras que Ele fez por nós e em nossa casa, é a nossa Justiça.

E fé é um instrumento que nos mantém em comunhão com Ele em todos os seus benefícios, os quais, quando eles se tornam nossos, são mais que suficientes para absolver-nos dos nossos pecados.

Ef.

3:16-17; Ps.

51:13; Ef.

1:17-18; 1 Cor.

2:12
1 Cor.

2:2; Atos 4:12; Gal.

2:21; Jer.

23:6; 1 Cor.

1:30; Jer.

31:10
Matt. 1:21; Rom.

3:27; 8:1,33


Rom. 3:27; Gal.

2:6; 1 Pet.

1:4-5; Rom.

10:4
Jer. 23:6; 1 Cor.

1:30; Tim 2.

1:2; Lucas 1:77; Rom.

3:24-25; 4:5; Ps.

32:1-2; Phil.

3:9; TIT.

3:5; Tim 2.

Artigo 23 - em que a nossa justificação diante de Deus consiste

Nós acreditamos que a nossa salvação consiste na remissão de nossos pecados para Jesus Cristo de Deus, e que aí a nossa justiça diante de Deus está implícita, como nos ensinam Davi e Paulo, declarando ser esta a felicidade do homem, que Deus lhe sem a retidão imputes obras.

E, ao mesmo apóstolo diz, que somos justificados gratuitamente por Sua graça, através do resgate que está em Jesus Cristo.

E, por isso, sempre se apegam esta fundação, atribui toda a glória a Deus, humilhando-nos diante dele, e reconhecendo-nos a ser como são, realmente, sem pressupor a confiar em qualquer coisa em nós mesmos, ou em qualquer mérito da nossa, confiando e descansando sobre a obediência de Cristo crucificado por si só, que se torna nossa quando acreditamos nele.

Isto é suficiente para cobrir todas as nossas iniqüidades, e para nos dar confiança nos aproxima de Deus; libertando a consciência de medo, terror e medo, sem seguir o exemplo do nosso primeiro pai, Adão, que, tremores, tentaram cobrir-se com figueira-folhas.

E, em verdade, se nós deveria comparecer perante Deus, confiando em nós mesmos ou em qualquer outra criatura, embora nunca tão pouco, devemos, infelizmente!

ser consumidos.

E, por isso, cada um deve orar com Davi: Ó Senhor, não entra em juízo com o Teu servo: em vez de nos Teus olhos devem ser justificado nenhum homem vivo.

Lucas 1:77; Cor. 1:14; Ps.

32:1-2; Rom.

4:6-7
Rom. 3:23-24; Atos 4:12


Ps. 115:1; 1 Cor.

4:7; Rom.

4:2
1 Cor.

4:7; Rom.

4:2; 1 Cor.

1:29,31
Rom. 5:19
Hb.

11:6-7; Ef.

2:8; 2 Cor.

5:19; Tim 1.

2:6
Rom. 5:1; Ef.

3:12; 1 João 2:1


Gen. 3:7


Isa. 33:14; Deut.

27:26; Tiago 2:10


Ps. 130:3; Matt.

18:23-26; Ps.

143:2; Lucas 16:15

Artigo 24 º - Man's santificação e boas obras

Acreditamos que esta verdadeira fé, sendo forjado no homem pela audição da Palavra de Deus e do funcionamento do Espírito Santo, doth regenerar e fazer dele um novo homem, causando-lhe a viver uma vida nova, e libertando-o da escravidão do pecado.

Por isso é tão longe de ser verdadeiro, justificando que esta fé torna os homens omissa em uma vida santa e piedoso, que, pelo contrário, sem que eles nunca iria fazer nada por amor a Deus, mas apenas fora da auto-amor ou medo de perdição.

Por isso, é impossível que este possa ser unfruitful santa fé no homem; para não falar de uma fé vã, mas sim de uma tal fé como é chamado na Escritura uma fé que worketh por amor, o que excita o homem para a prática de tais obras que Deus tem ordenado na Sua Palavra.

Que trabalha, como se procederá a partir da raiz de boa fé, são boas e aceitáveis aos olhos de Deus, forasmuch como estão todos os santificados pela Sua graça; howbeit eles não têm qualquer consideração para com a nossa justificação.

Por que é pela fé em Cristo que somos justificados, mesmo antes de nós fazer boas obras, caso contrário eles não poderiam ser boas obras, qualquer mais do que o fruto de uma árvore pode ser bom antes da árvore em si é bom.

Por isso, fazer boas obras, mas não a ponto de merecerem a eles (para o que podemos nós mérito?) Sim, porque somos preciso ficar de Deus para o bem que fazemos, e não Ele a nós, uma vez que é Ele que em nós tanto a worketh e terá que fazer a Sua boa prazer.

Vamos, por conseguinte, assistir ao que está escrito: Quando vos deve ter feito todas essas coisas que são comandados você, estamos a dizer não rentáveis servos: fizemos o que era nosso dever fazer.

Entretanto, não negam que Deus recompensa os nossos bons trabalhos, mas é através da Sua graça que Ele coroas seus dons.

Além disso, apesar de fazer boas obras, não encontrou a nossa salvação que lhes prometemos, nós podemos fazer nenhum trabalho, mas o que é poluída pela nossa carne, e também punível, e embora pudéssemos realizar tais obras, ainda que à recordação de um pecado é suficiente para que Deus rejeitá-las.

Assim, então, seria sempre em dúvida, e atiradas ao vaivém sem qualquer certeza, e as nossas consciências pobres seriam continuamente polémica se baseou não sobre o mérito do sofrimento e morte de nosso Salvador.

1 Pet.

1:23; Rom.

10:17; João 5:24


Estes 1.

1:5; Rom.

8:15, João 6:29; Cor. 2:12; Phil.

1:1,29; Ef.

2:8
Atos 15:9; Rom.

6:4, 22; TIT.

2:12, João 8:36


TIT.

2:12
TIT.

3:8; João 15:5; Hb.

11:6; Tim 1.

1:5
Tim 1.

1:5; Gal.

5:6; TIT.

3:8
Tim 2.

1:9; Rom.

9:32; TIT.

3:5
Rom. 4:4; Gen. 4:4


Hb.

11:6; Rom.

14:23; Gen. 4:4; Matt.

7:17
1 Cor.

4:7; Isa.

26:12; Gal.

3:5; essas 1.

2:13
Phil. 2:13
Lucas 17:10


Matt. 10:42; 25:34-35; Rev. 3:12,21; Rom.

2:6; Rev. 2:11; 2 João 8; Rom.

11:6
Ef.

2:9-10
Isa. 64:6
Isa. 28:16; Rom.

10:11; hab.

Artigo 25 - A Abolição da Lei Cerimonial

Acreditamos que a cerimônia e os valores da lei cessou com a vinda de Cristo, e que todas as sombras são realizados; de modo a que a utilização dos mesmos deve ser abolido entre os cristãos, mas a verdade, e eles continuam a substância de nós em Jesus Cristo , No qual eles têm a sua conclusão.

Enquanto isso, continuamos a usar os testemunhos retirado da lei e os profetas, a confirmar-nos na doutrina do evangelho, e para regular a nossa vida com toda a franqueza para a glória de Deus, segundo a Sua vontade.

Rom. 10:4
Gal. 5:2-4; 3:1; 4:10-11; Cor. 2:16-17


2 Pet.

Artigo 26 º - intercessão de Cristo

Estamos convencidos de que não temos acesso, mas por si só Deus através do advogado e só Mediador, Jesus Cristo os virtuosos, Quem, por isso, se tornou o homem, depois de ter unidos em uma pessoa a natureza divina e humana, que nós, os homens possam ter acesso à divina Majestade, que o acesso de outra forma seriam barrados contra nós.

Mas este Mediador, a quem o Pai fez a Ele e entre nós, não devemos nos sábios affright-nos por Sua Majestade, ou provocar-nos a procurar outro de acordo com a nossa fantasia.

Para não há nenhuma criatura, quer no céu ou na terra, que nos ama mais do que Jesus Cristo; que, apesar de Ele estava sob a forma de Deus, ainda não fez de Si mesmo reputação, a Ele, e tomou a forma de um homem e de um servo, para nós, e foi feita como ditou Seus irmãos, em todas as coisas.

Se, então, devemos procurar a outro mediador, que seria assim afectada em relação a nós, quem poderia achar que estamos mais do que Ele nos amou que previsto Sua vida por nós, mesmo quando éramos Seus inimigos?

E, se nos esforçamos para que vos um poder e majestade, que é lá que fez tanto de ambos, como ele que senta-se à mão direita de seu pai, e todos os que vos poder no céu e na terra?

E que vai ser ouvido mais cedo do que o próprio bem-amado Filho de Deus?

Assim, foi apenas através de desconfiança que esta prática de dishonoring vez de honrar os santos foi introduzida, fazendo o que eles nunca fizeram nem necessária, mas têm, pelo contrário, firmemente rejeitada, de acordo com a sua obrigação, como parece por seus escritos .

Nem nós devemos invocar aqui a nossa indignidade; para o significado não é que devemos oferecer nossas orações a Deus por conta do nosso próprio merecimento, mas apenas em conta a excelência eo merecimento do Senhor Jesus Cristo, cuja virtude é se tornar a nossa fé .

Por conseguinte, o apóstolo, para remover este temor insensato, ou melhor, desconfiança de nós, justificadamente diz que Jesus Cristo foi feita como ditou Seus irmãos, em todas as coisas, de que ele poderia ser um sumo sacerdote misericordioso e fiel, para fazer reconciliação para os pecados de o povo.

Por que ele próprio fez na sofridos, sendo tentado, porque Ele é capaz de succor-lhes que são tentados.

E incentivar ainda mais a nós, ele acrescenta: Vendo, então, que temos um grande sumo sacerdote que é passado para o céus, Jesus, o Filho de Deus, vamos se apegam a nossa profissão.

Para não temos um sumo sacerdote que não possa ser tocado com o sentimento de nossas enfermidades; mas foi tentada como em todos os pontos como nós somos, ainda sem pecado.

Vamos, portanto, entrar corajosamente-vos ao trono da graça, que nós podemos obter misericórdia, e para ajudar a achar graça na hora de necessidade.

O mesmo apóstolo diz: Tendo a ousadia de entrar em holiest pelo sangue de Jesus, vamos chamar próximo com um verdadeiro coração em plena certeza da fé, etc Da mesma forma, Cristo fez um sacerdócio imutável, wherefore Ele também é capaz de guardá-las uttermost que vêm para a Deus por ele, vendo Ele nunca estiver vivo para fazer intercessão para eles.

O que mais pode ser exigido?

uma vez que o próprio Cristo diz: Eu sou o caminho, ea verdade, ea vida; nenhum homem chegou-vos ao Pai, mas sim por mim.

Para que propósito é que podemos procurar um outro advogado, uma vez que Deus fez para nos dar prazer ao Seu próprio Filho como nosso advogado?

Não vamos abandonar o consumidor médio a tomar uma outra, ou melhor, depois de procurar outra, sem nunca ser capaz de encontrar Deus; para Deus bem sabia, quando ele lhe deu a nós, que éramos pecadores.

Por isso, de acordo com o comando de Cristo, exortamos o Pai celestial através de Jesus Cristo, nosso único mediador, como somos ensinados no Pai nosso, com a certeza de que tudo o que pedi ao Pai em seu nome será concedido nós.

Tim 1.

2:5; 1 João 2:1; Rom.

8:33
Hos. 13:9; Jer.

2:13,33
João 10:11; 1 João 4:10; Rom.

5:8; Ef.

3:19; João 15:13


Phil. 2:7
Rom. 5:8
Marcos 16:19; Cor. 3:1; Rom.

8:33; Matt.

11:27; 28:18


Atos 10:26, 14:15


Dan. 9:17-18; João 16:23; Ef.

3:12; Atos 4:12; 1 Cor.

1:31; Ef.

2:18
Hb.

2:17,18
Hb.

4:14-16
Hb.

10:19,22
Hb.

7:24,25
João 14:6


Ps. 44:21
Tim 1.

2:5; 1 João 2:1; Rom.

8:33
Lucas 11:2


João 4:17, 16:23, 14:13

Artigo 27 - A Igreja católica cristã

Nós acreditamos e professar uma Igreja católica ou universal, que é uma santa congregação dos verdadeiros crentes cristãos, todos esperam a sua salvação em Jesus Cristo, sendo lavados pelo Seu sangue, santificados e selados pelo Espírito Santo.

Esta Igreja vos sido desde o começo do mundo, e será até o fim desta; que é evidente a partir deste, que Cristo é um eterno rei, o qual, sem temas Ele não pode ser.

E esta santa Igreja é preservada ou apoiadas por Deus contra a raiva de todo o mundo, embora às vezes ela (por um tempo) parece muito pequenas, e, aos olhos dos homens, para ser reduzido a nada; como perigoso durante o reinado de Acab, no entanto, quando o Senhor reservados Ele sete mil homens, que não tinha cedido os seus joelhos a Baal.

Além disso, esta santa Igreja não se limita, vinculada, ou limitada a um determinado local ou para determinadas pessoas, mas está espalhada e dispersa ao longo de todo o mundo, e ainda é conjunto e unido com o coração ea vontade, pelo poder da fé, na um eo mesmo espírito.

Isa. 2:2; Ps.

46:5; 102:14; Jer.

31:36
Matt. 28:20; 2 Sam.

7:16
Lucas 1:32-33; Ps.

89:37-38; 110:2-4


Matt. 16:18; João 16:33; Gen. 22:17; Tim 2.

2:19
Lucas 12:32; Isa.

1:9; Rev. 12:6,14; Lucas 17:21; Matt.

16:18
Rom. 12:4; 11:2,4; 1 Reis 19:18; Isa.

1:9, Rom.

9:29
Atos 4:32


Ef.

Artigo 28 - Cada um é obrigado a Junte-se a Igreja da Verdade

Nós acreditamos que, uma vez que esta é uma santa congregação de montagem aqueles que são salvos, e fora dele não há salvação, que nenhuma pessoa de qualquer estado ou condição que ele possa ser, devem retirar o próprio viver em um Estado separado a partir dele; mas que todos os homens são obrigados a aderir em direito e de unir-se com ela, a manutenção da unidade da Igreja; submeter-se a doutrina ea disciplina da mesma; ceder seus pescoços sob o jugo de Jesus Cristo, e como membros da mesma mútuo corpo , Servindo para a edificação dos irmãos, de acordo com os talentos Deus lhes deu.

E que este pode ser o mais effectually observada, é dever de todos os crentes, de acordo com a Palavra de Deus, para separar-se da aqueles que não pertencem à Igreja, e de se filiar-se a esta congregação, independentemente de onde Deus vos criado que, apesar de os magistrados e editais dos príncipes se contra ele; yea, embora eles deverão sofrer a morte ou qualquer outro castigo físico.

Por isso todos aqueles que separar-se dos mesmos, ou não juntar-se a ele, agir contrariamente à lei de Deus.

1 Pet.

3:20; Joel 2:32


Atos 2:40; Isa.

52:11
Ps. 22:23; Ef.

4:3,12; Hb.

2:12
Ps. 2:10-12; Matt.

11:29
Ef.

4:12,16; 1 Cor.

12:12, etc


Atos 2:40; Isa.

52:11; 2 Cor.

6:17; Rev. 18:4


Matt. 12:30, 24:28, Isa.

49:22; Rev. 17:14


Dan. 3:17-18; 6:8-10; Rev. 14:14; Atos 4:17,19; 17:7; 18:13

Artigo 29 - As Marcas do Verdadeiro Igreja, e Onde Ela difere da Igreja Falso

Entendemos que devíamos diligente e circumspectly para discernir a partir da Palavra de Deus que é a verdadeira Igreja, uma vez que todas as seitas, que estão em todo o mundo a assumir eles próprios o nome da Igreja.

Mas não falamos aqui de hipócritas, que são misturados na Igreja com as boas, ainda não são da Igreja, embora externamente na mesma; mas nós dizemos que o corpo ea comunhão da verdadeira Igreja deve ser distinguido de todas as seitas que chamamos eles próprios a Igreja.

As marcas através do qual é conhecida a verdadeira Igreja são estes: se a doutrina pura do evangelho é pregado nela; se ela mantém a pura administração dos sacramentos como instituído por Cristo; se igreja disciplina é exercido na punição do pecado; em suma, se todas as coisas são geridas de acordo com a pura Palavra de Deus, todas as coisas contrária aos mesmos rejeitados, e Jesus Cristo reconhecido como o único chefe da Igreja.

É a verdadeira Igreja maio certamente ser conhecido, a partir da qual o homem não tem o direito de se separar.

Com relação a esses que são membros da Igreja, podem ser conhecidos pelas marcas dos cristãos, a saber, pela fé, e sempre que tenham recebido o único Salvador Jesus Cristo, eles evitar o pecado, depois siga justiça, o amor a Deus e da verdade seu vizinho, nem virar para o lado direito ou esquerdo, e crucificarei a carne com as obras.

Mas este não é para ser entendido como se eles não permanecem em grande enfermidades; mas eles lutar contra eles através do Espírito todos os dias da sua vida, tendo continuamente seu refúgio no sangue, morte, paixão, e obediência de nosso Senhor Jesus Cristo, de quem têm remissão de pecados pela fé em Jesus.

Tal como para a Igreja falsa, ela atribui mais poder e autoridade para si e seus decretos do que a Palavra de Deus, e não irá apresentar-se ao jugo de Cristo.

Nem ela administrar os sacramentos, como nomeado por Cristo na Sua Palavra, mas acrescenta a partir deles, e toma como ela acha correcto; mediante ela relieth mais homens do que mediante Cristo; e persegue aqueles que vivem holily de acordo com a Palavra de Deus, e reprovarão-lhe o seu erro, cobiça e idolatria.

Estas duas Igrejas conhecidas e são facilmente distinguidas umas das outras.

Matt. 13:22; Tim 2.

2:18-20; Rom.

9:6
João 10:27; Ef.

2:20; Atos 17:11-12; Cor. 1:23, João 8:47


Matt. 28:19; Lucas 22:19; 1 Cor.

11:23
Matt. 18:15-18; esses 2.

3:14-15
Matt. 28:2; Gal.

1:6-8
Ef.

1:22-23; John 10:4-5,14


Ef.

1:13; João 17:20


1 João 4:2


1 João 3:8-10


Rom. 6:2; Gal.

5:24
Rom. 7:6,17; Gal.

5:17
Cor. 1:14


Cor. 2:18-19


Ps. 2:3
Rev. 12:4; João 16:2


Rev. 17:3,4,6

Artigo 30 - O Governo dos gabinetes e na Igreja

Acreditamos que esta verdadeira igreja deve ser regulada pela espiritual política que nosso Senhor nos ensinou na Sua Palavra saber, que deve haver ministros ou pastores para pregar a Palavra de Deus, e para administrar os sacramentos; também anciãos e diáconos, que , Juntamente com os pastores, formam o conselho da Igreja; que por estes meios a verdadeira religião pode ser preservado, e na verdade doutrina propagada por toda parte, de igual modo transgressores punidos e retido por meios espirituais; também que os pobres e angustiada e podem ser aliviados confortado, de acordo com suas necessidades.

Através destes meios tudo será realizada na Igreja com a boa ordem ea decência, quando os homens são fiéis escolhidos, de acordo com a regra prescrita por São Paulo na sua epístola aos Timothy.

Ef.

4:11; 1 Cor.

4:1-2; 2 Cor.

5:20; João 20: 23; Atos 26:17-18; Lucas 10:16


Atos 6:3; 14:23


Matt. 18:17; 1 Cor.

5:4-5
Tim 1.

3:1; TIT.

Artigo 31 - Os ministros, anciãos, e Diáconos

Nós acreditamos que os ministros da Palavra de Deus, e os anciãos e diáconos, deveria ser escolhido para seus respectivos gabinetes através de uma eleição legal da Igreja, apelando para com o nome do Senhor, e por esta ordem que a Palavra de Deus ensinou .

Por isso cada um deve ter não acatam a intrometer-se por meio indecente, mas é obrigado a esperar até que deve agradar a Deus chamá-lo; que ele pode ter testemunho da sua convocação, e é certo e seguro de que é do Senhor.

Como para os ministros da Palavra de Deus, eles têm igualmente o mesmo poder e autoridade onde eles estão, como são todos os ministros de Cristo, o único Bispo universal, e só o chefe da Igreja.

Além disso, que esta portaria santo de Deus não pode ser violado ou desprezados, dizemos que cada um devia estima os ministros da Palavra de Deus e os anciãos da Igreja muito fortemente para o seu trabalho de Deus, e estar em paz com eles sem murmuring, contenda, ou contenção, tanto quanto possível.

Tim 1.

5:22
Atos 6:3


Jer. 23:21; Hb.

5:4; Atos 1:23; 13:2


1 Cor.

4:1, 3:9, 2 CR.

5:20; Atos 26:16-17


1 Pet.

2:25; 5:4; Isa.

61:1; Ef.

1:22; Cor. 1:18


Estes 1.

5:12,13; Tim 1.

5:17; Hb.

Artigo 32 - A ordem e disciplina da Igreja

Enquanto isso, acreditamos, porém, é útil e benéfico, que aqueles que são os governantes da Igreja instituto e estabelecer determinadas ordenações entre si para manter o corpo da Igreja, mas que devia studiously de ter cuidado para que não se afastem das aquelas coisas que Cristo, nosso único Mestre, vos instituído.

E, por isso, rejeitamos todas as invenções humanas, e todas as leis que o homem iria introduzir na adoração de Deus, assim o efeito de vincular e de obrigar a consciência de qualquer maneira quaisquer que sejam.

Por isso temos de admitir que só o que tende a nutrir e preservar a concórdia ea unidade, e para manter todos os homens, em obediência a Deus.

Para este efeito excomunhão ou igreja disciplina é necessária, com as diversas circunstâncias que a integram, de acordo com a Palavra de Deus.

Col. 2:6-7


1 Cor.

7:23; Matt.

15:9; Isa.

29:13; Gal.

5:1; Rom.

16:17-18
Matt. 18:17; 1 Cor.

5:5; Tim 1.

Artigo 33 - Os Sacramentos

Nós acreditamos que o nosso Deus agraciou, por conta da nossa fraqueza e de enfermidades, dos sacramentos inexorável ordenado para nós, para nós, assim, para selar suas promessas, e de ser promessas da boa vontade e graça de Deus para nós, e também para nutrir e reforçar a nossa fé, que ele aderiu à Palavra do Evangelho, para apresentar o melhor para os nossos sentidos, tanto que o que ele significa para nós a Sua Palavra, e que o que Ele trabalha angustiado em nossos corações, confirmando, assim, garantir e em nós a salvação que Ele transmite para nós.

Para eles são visíveis sinais e selos de um hermetismo e invisíveis coisa, por meio worketh que Deus em nós pelo poder do Espírito Santo.

Por conseguinte, os sinais não são em vão ou insignificante, de forma a enganar-nos.

Por Jesus Cristo é o verdadeiro objeto apresentado por eles, sem os quais eles não tenham qualquer momento.

Além disso, estamos satisfeitos com o número dos sacramentos que Cristo nosso Senhor instituiu, que são apenas dois, ou seja, o sacramento do batismo, a santa ceia e de nosso Senhor Jesus Cristo.

Rom. 4:11; Gen. 9:13; 17:11


Cor. 2:11,17; 1 Cor.

5:7
Matt. 26:36; 28:19

Artigo 34 - Santo Batismo

Nós acreditamos e confessam que Jesus Cristo, que é o fim do direito, fez um fim, pelo derramamento do Seu sangue, de todos os outros homens sheddings de sangue que poderia ou iria tornar propitiation ou como uma satisfação para o pecado, e que Ele, depois de ter abolido circuncisão, o que foi feito com sangue, vos instituiu o sacramento do batismo em vez dele, pelo qual somos recebidos na Igreja de Deus, e separada de todas as outras pessoas estranhas e religiões, que estamos inteiramente maio pertencem a Ele cujos Ensign e banner que suportar, e que serve como um testemunho para nós que Ele sempre vai ser o nosso Deus e Pai gracioso.

Ele já comandou, por isso, todos aqueles que dele estão a ser batizado com água pura, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, significando assim, para nós, como a água que as porcarias washeth fora do corpo, quando derramado sobre ela, e é visto sobre o corpo do batizado, quando polvilhadas que lhe seja feita, de forma doth o sangue de Cristo, pelo poder do Espírito Santo, internamente sprinkle a alma, purificá-la das suas faltas, e regenerar-nos de crianças de cólera-vos filhos de Deus.

Não que esta seja efectuada pelo externa água, mas pela aspersão do precioso sangue do Filho de Deus, que é o nosso mar Vermelho, mediante o qual temos de passar para escapar à tirania do Faraó, ou seja, o diabo, e para entrar na terra de Canaã espiritual.

Por conseguinte, os ministros, por seu lado, administrar o sacramento, e que o que é visível, mas nosso Senhor nos dá o que é mostrado pelo sacramento, a saber, os dons e graça invisível; lavar roupa, limpeza, e purgar nossas almas e de todas as porcarias injustiça; renovar nossos corações e encher-las com todos os confortos; dando para nós uma verdadeira expressão da Sua bondade paterna, colocando-nos sobre o novo homem, e colocando ao largo da antiga homem com todos os seus actos.

Por isso pensamos que todo o homem que está seriamente estudiosos da obtenção de vida eterna, mas devia ser apenas uma vez batizada com este batismo, sem nunca repetir o mesmo, pois não podemos nascer duas vezes.

Nem doth este batismo só vão-nos no momento em que a água é despejada sobre nós e recebido por nós, mas também através de todo o curso da nossa vida.

Por isso, detesto o erro do Anabaptists, que não são apenas um conteúdo com o batismo depois de terem recebido, e, além disso condenam o batismo dos bebés dos crentes, a quem nós acreditamos deveria ser batizado e selado com o sinal do pacto, como os filhos de Israel foram circuncidados anteriormente sobre o mesmo promessas que são feitas ditou os nossos filhos.

E, de fato, Cristo derramou Seu sangue não menos para a lavagem dos filhos dos fiéis do que para adultos, e, portanto, eles deveriam receber o sinal e sacramento de Cristo vos que o que fez por eles, como o Senhor comandou na lei , Que deveriam ser feitas desfrutarão do sacramento do sofrimento e morte de Cristo logo após terem nascido, oferecendo-lhes um cordeiro, que era um sacramento de Jesus Cristo.

Por outro lado, qual era a circuncisão dos judeus, o batismo é a de que os nossos filhos.

E, por esta razão Paulo convida a circuncisão batismo de Cristo.

Rom. 10:4
Cor. 2:11; 1 Pet.

3:21; 1 Cor.

10:2
Matt. 28:19
1 Cor.

6:11; TIT.

3:5; Hb.

9:14; 1 João 1:7, 1:6 Rev.


João 19:34


Matt. 3:11; 1 Cor.

3:5,7; Rom.

6:3
Ef.

5:26; Atos 22:16; 1 Pet.

3:21
Gal. 3:27; 1 Cor.

12:13; Ef.

4:22-24
Mark16: 16; Matt.

28:19; Ef.

4:5; Hb.

6:2
Atos 2:38; 8:16


Matt. 19:14; 1 Cor.

7:14
Gen. 17:11-12


Cor. 2:11-12


João 1:29; Lev.

12:6
Cor. 2:11

Artigo 35 - A santa ceia de nosso Senhor Jesus Cristo

Nós acreditamos e confesso que o nosso Salvador Jesus Cristo fez ordain e instituir o sacramento da Santa Ceia, para nutrir e apoiar aqueles a quem Deus já regenerados e incorporada em sua família, que é Sua Igreja.

Agora, aqueles que são regenerados têm um duplo-los na vida, a uma corporais e temporais, que eles têm, a partir do primeiro nascimento, e é comum a todos os homens; o outro espiritual e celeste, o que lhes é dado no seu segundo nascimento, o que é efectuada pela palavra do Evangelho, na comunhão do corpo de Cristo, e esta vida não é comum, mas é peculiar ao Deus da eleição.

Do mesmo modo, fez-nos Deus, para o apoio do corporais e de vida terrena, terrena e pão comum, que é subserviente da mesma, e é comum a todos os homens, como até mesmo a própria vida.

Mas, para o suporte da vida espiritual e celeste, que tem fiéis, Deus enviou um pão vivo, que descia do céu, a saber, Jesus Cristo, que alimenta e fortalece a vida espiritual dos fiéis, quando eles comem-Lo, isto é, , Quando eles se aplicam e receber d'Ele pela fé, no Espírito.

Cristo, que ele poderia representar para nós este pão espiritual e celeste, fez instituído um pão terrestre e visível como sacramento de seu corpo, eo vinho como um sacramento do Seu sangue, para testemunhar a eles para nós, que, como certamente como nós receber e realizar este sacramento nas nossas mãos, e de comer e beber o mesmo com a nossa boca, pelo que a nossa vida é alimentada depois, fazer como nós também certamente receber pela fé (que é a mão ea boca da nossa alma) o verdadeiro corpo e Sangue de Cristo, nosso único Salvador, em nossas almas, para o apoio da nossa vida espiritual.

Agora, uma vez que é certo e ultrapassou todas as dúvidas de que Jesus Cristo não vos proscritas para nós a utilização dos Seus sacramentos, em vão, por isso Ele trabalha em nós tudo o que ele representa para nós por estes santos sinais, embora a forma ultrapassa o nosso entendimento, e não pode ser compreendido por nós, como as operações do Espírito Santo são escondidos e incompreensíveis.

Entretanto, não cometeu qualquer erro quando dizemos que o que é comido e bebido por nós, é o órgão adequado e natural, bem como o bom sangue, de Cristo.

Mas a nossa maneira de partaking do mesmo não é pela boca, mas pelo Espírito através da fé.

Assim, então, apesar de Cristo sempre senta-se à mão direita de seu pai nos céus, ainda doth Ele, por conseguinte, não deixa de fazer-nos desfrutarão de Si mesmo pela fé.

Esta é uma festa espiritual mesa, em que Cristo comunica-se com todos os Seus benefícios para nós, e dá-nos lá para desfrutar tanto si próprio e os méritos de seus sofrimentos e morte, alimentando, fortalecendo, e confortante a nossa comfortless pobres almas, pelo comendo de Sua carne, quickening e renovando-lhes de beber pelo Seu sangue.

Além disso, embora os sacramentos estejam relacionadas com a coisa significava, no entanto os dois não são recebidos por todos os homens; o ungodly efectivamente recebe o sacramento para a sua condenação, mas ele Acaso, não receberá a verdade do sacramento.

Tal como o mago Simão e Judas, tanto na verdade receberam o sacramento, mas Cristo que não foi mostrado a ele, dos quais só são feitas desfrutarão fiéis.

Por último, nós recebemos este santo sacramento na assembléia do povo de Deus, com humildade e reverência, mantendo-se entre nós uma santa lembrança da morte de Cristo, nosso Salvador, com gratidão, fazendo há confissão da nossa fé e da religião cristã .

Por isso, ninguém devia vir a este quadro sem ter previamente analisados justamente próprio; açoite a comer deste pão e beber desta taça ele comer e beber juízo para si próprio.

Em uma palavra, somos animado pelo uso deste santo sacramento para um fervoroso amor a Deus e aos nossos vizinhos.

Por isso, rejeitamos todas as misturas e damnable invenções, que ditou os homens têm acrescentado e misturado com os sacramentos, como profanations deles, e afirmo que temos de descanso satisfeito com a portaria que Cristo e os Seus apóstolos ensinaram-nos, e que temos de falar um deles, do mesmo modo como eles têm falado.

Matt. 26:26; Marcos 14:22; Lucas 22:19; 1 Cor.

11:23-25
João 3:6


João 3:5


João 5:23,25


1 João 5:12, João 10:28


João 6:32-33,51


João 6:63


Marcos 6:26


1 Cor.

10:16-17; Ef.

3:17, João 6:35


João 6:55-56; 1 Cor.

10:16
Atos 3:21; Marcos 16:19; Matt.

26:11
Matt. 26:26, etc; Lucas 22:19-20; 1 Cor.

10:2-4
Isa. 55:2; Rom.

8:22-23
1 Cor.

11:29; 2 Cor.

6:14-15; 1 Cor.

2:14
Atos 2:42; 20:7


1 Cor.

Artigo 36 - Os magistrados

Nós acreditamos que o nosso Deus agraciou, por causa da depravação da humanidade, fez a reis, príncipes e magistrados, disposta que o mundo deve ser regido por determinadas leis e políticas; para o fim que o dissoluteness de homens poderá ser restringido, e todos os transitadas em coisas entre elas a boa ordem ea decência.

Para este fim Ele investiu a magistratura com a espada, para a punição do mal depravados, e para os louvores do que fazê-las bem.

Eo seu mandato está, não só em ter em assistir-vos e para o bem-estar do estado civil, mas também de que forma a proteger o sagrado ministério, maio e, assim, prevenir e eliminar todas as idolatria e falso culto; que o reino do anticristo pode ser assim destruídas, e promoveu o reino de Cristo.

Devem, portanto, contemplar a pregação da palavra do evangelho em toda a parte, que Deus possa ser honrado e adorado por cada um, tal como Ele comanda a Sua Palavra.

Além disso, é a obrigação de cada um, das quais estado, qualidade ou condição soever ele pode ser, ele próprio sujeito a que os magistrados, para prestar homenagem, para mostrar a devida homenagem e respeito a eles, e a respeitá-las em todos os coisas que não são repugnantes à Palavra de Deus; para imploro para eles, em suas orações, que Deus maio regra e orientá-los em todas as suas formas, e que nos podem levar uma vida tranquila e pacífica em todas as godliness e honestidade.

Wherefore nós detesto o erro do Anabaptists e seditious outras pessoas, e, em geral, todos aqueles que rejeitam a maior competência e de magistrados, e iria subverter justiça, a introdução de uma comunidade de mercadorias, e que confundimos decência e da boa forma que Deus vos estabelecidos entre os homens .

Ex. 18:20, etc; Rom.

13:1; Prov.

8:15; Jer.

21:12; 22:2-3; Ps.

82:1,6; 101:2; Deut.

1:15-16; 16:18, 17:15, Dan.

2:21,37; 5:18 Isa.

49:23,25; 1 Reis 15:12; 2 Reis 23:2-4


TIT.

3:1; Rom.

13:1
Marcos 12:17; Matt.

17:24
Atos 4:17-19; 5:29; Hos.

5:11
Jer. 29:7; Tim 1.

2:1-2
2 Pet.

2:10
Jude 8, 10

Artigo 37 - O Último Juízo

Por último, acreditamos que, de acordo com a Palavra de Deus, quando o tempo nomeados pelo Lord (que é desconhecida a todas as criaturas) está a chegar, eo número de eleger a concluir, que o nosso Senhor Jesus Cristo virá do céu, e corporally visível, tal como Ele subiu, com grande glória e majestade, a declarar-se juiz do rápido e os mortos, ardor este velho mundo com o fogo e chama para purificá-la.

E então todos os homens irão pessoalmente comparecer perante este grande Juiz, tanto homens como mulheres e crianças, que foram desde o começo do mundo até o fim desta, sendo convocados pela voz do arcanjo, e com o som da trombeta de Deus.

Para todos os mortos devem ser levantadas para fora da terra, e suas almas conjunto e unido com sua boa instâncias em que eles viveram anteriormente.

Tal como para aqueles que será então que vivem, eles não devem morrer como os outros, mas ser alterados no twinkling de um olho, e de se tornar corruptible incorruptível.

Em seguida, os livros (isto é, as consciências) deve ser aberto, e os mortos julgados de acordo com o que eles devem ter feito neste mundo, quer seja bom ou mau.

Sem dúvida, todos os homens devem dar conta de todos os inativos que tenham palavra falada, o que o mundo só contagens diversão e brincadeira, e então os segredos ea hipocrisia dos homens devem ser divulgados e estabelecidos antes de abrir todos.

E, por conseguinte, a apreciação do presente acórdão é justamente terrível e terrível para os ímpios e ungodly, mas mais desejável e confortável para os justos e os eleitos, porque então sua total entrega deve ser aperfeiçoado, e lá eles devem receber os frutos do seu trabalhistas e de problemas para os quais tenham suportado.

A sua inocência são conhecidos de todos, e eles devem ver o terrível vingança que Deus devem executar sobre os ímpios, que mais cruelmente perseguidos, oprimidos, e atormentado-los, neste mundo, e que deve ser condenado pelo testemunho de suas próprias consciências, e, sendo imortal, deve ser atormentado, em que o fogo eterno que está preparado para o Diabo e seus anjos.

Mas, ao contrário, os fiéis e eleger deve ser coroado com glória e honra, e do Filho de Deus vai confessar seus nomes dele diante de Deus Pai, e Seu eleger anjos; todas as lágrimas deve ser limpo de seus olhos, e sua causa, o qual agora é condenada por muitos juízes e magistrados como herético e depravada, será depois de ser conhecida a causa do Filho de Deus.

E, para um gracioso recompensa, o Senhor irá causar-lhes que possuem uma tal glória como nunca entrou em pleno coração do homem a conceber.

Por isso, esperamos que o grande dia com um desejo mais ardente, para o fim a que possamos usufruir plenamente as promessas de Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.

Amen. Mesmo assim, vir, Senhor Jesus (Apocalipse 22:20).

Matt. 24:36, 25:13; essas 1.

5:1-2; Rev. 6:11; Atos 1:7, 2 Pet.

3:10 Atos 1:11


Estes 2.

1:7-8; Atos 17:31; Matt.

24:30, 25:31; Jude 15; 1 Pet.

4:5; Tim 2.

4:1
2 Pet.

3:7,10; esses 2.

1:8
Rev. 20:12-13; Atos 17:31; Hb.

6:2; 9:27; 2 Cor.

5:10; Rom.

14:10
1 Cor.

15:42; Rev. 20:12-13; essas 1.

4:16
João 5:28-29; 6:54; Dan.

12:2; Job 19, 26-27


1 Cor.

15:51-53
Rev. 20:12-13; 1 Cor.

4:5; Rom.

14:11-12; Job 34:11, João 5:24; Dan.

12:2; Ps.

62:13; Matt.

11:22, 23:33, João 5:29; Rom.

2:5-6; 2 Cor.

5:10; Hb.

6:2;: 27


Rom. 2:5; Jude 15; Matt.

12:36
1 Cor.

4:5; Rom.

2:1-2,16; Matt.

7:1-2
Rev. 6:15-16; Hb.

10:27
Lucas 21:28; 1 João 3:2; 4:17; Rev. 14:7; esses 2.

1:5-7; Lucas 14:14


Dan. 7:26
Matt. 25:46; esses 2.

1:6-8; Mal.

4:3
Rom. 2:15
Rev. 21:8; 2 Pet.

2:9
Mal. 4:1; Matt.

25:41
Matt. 25:34; 13:43


Matt. 10:32
Isa. 25:8; Rev. 21:4


Isa. 66:5
Isa. 64:4; 1 Cor.

2:9
Hb.

10:36-38


Também, veja:


Belgic Confissão

Este assunto apresentação do original em língua Inglês


Enviar e-mail uma pergunta ou comentário para nós: E-mail

O principal BELIEVE web-page (eo índice de assuntos) está em