Original Sin, Ancestral SinPecado Original sa

General Information Informações Gerais

In Christian theology, original sin refers both to the sin of Adam and Eve by which humankind fell from divine grace and to the state of sin into which humans since the fall have been born. The scriptural foundation for original sin is found in the epistles of Saint Paul. Na teologia cristã, o pecado original refere-se tanto para o pecado de Adão e Eva pelo qual a humanidade caiu de graça divina e ao estado de pecado em que os seres humanos desde a queda ter nascido. O fundamento bíblico do pecado original encontra-se nas epístolas de São Paulo. Christian theologians have argued a wide variety of positions on the nature of original sin and its transmission and on the efficacy of Baptism in restoring grace. teólogos cristãos têm defendido uma grande variedade de posições sobre a natureza do pecado original e sua transmissão e sobre a eficácia do Batismo no restabelecimento da graça.

BELIEVE Religious Information Source web-siteACREDITO
Religioso
Informações
Fonte
web-site
Our List of 1,000 Religious Subjects Nossa lista de 1000 Assuntos Religiosos
E-mailE-mail

Original Sin Pecado Original

Advanced Information Informações avançadas

From: Home Bible Study Commentary by James M. Gray De: Estudo Comentário Bíblico Home por James M. Gray

Genesis Chapter 3 Gênesis, capítulo 3

Introduction of Sin Introdução do Pecado

The Temptation A Tentação

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 1-5 That more than the serpent was present is suggested by the speech and reasoning powers displayed, but is rendered certain by a comparison of Rev. 12:9 and 20:2, where the serpent is identified with Satan. 05/01 Isso mais do que a serpente estava presente é sugerido pelo discurso e raciocínio poderes exibido, mas é certo prestados por uma comparação de Ap 12:9 e 20:2, onde a serpente é identificada com Satã. Some think the serpent originally stood upright and was very beautiful to look upon, which, if true, would contribute to its power over the woman and further explain why Satan employed it as his instrument. Alguns pensam que a serpente originalmente ficava em pé e era muito bonita de se olhar, que, se verdadeiro, que contribuem para o seu poder sobre a mulher e ainda explicar por que Satanás é empregada como seu instrumento. Nevertheless, that Satan was the real tempter is additionally assured by John 8:44; 2 Cor. No entanto, para que Satanás era o verdadeiro tentador é ainda assegurada por João 8:44, 2 Coríntios. 11:3; 1 John 3:8 and 1 Tim. 11:3; 1 João 3:8 e 1 Tm. 2:14. 2:14. Read Satan's inquiry of the woman in the Revised Version, and perceive how it differs from the words of the prohibition (2:16). Leia inquérito Satanás da mulher na nova versão, e perceba como ela difere das palavras da proibição (2:16). How does it prove Satan "a liar from the beginning," and how does it impugn God's wisdom and love? Como ele provar Satanás "mentiroso desde o início", e como ele impugnar a sabedoria eo amor de Deus? Do you think the woman made a mistake in parleying with Satan? Você acha que a mulher cometeu um erro na parleying com Satanás?

And how does her language (v. 3) deflect from the truth? E como é sua linguagem (v. 3) desviar da verdade? Does she also make God a harder master than He is, and thus has sin already entered her soul? Ela também faz de Deus um mestre mais difícil do que Ele é e, portanto, o pecado já entrou em sua alma? Notice that "gods" (v. 5) is translated "God" in the Revised Version. Observe que "deuses" (v. 5) é traduzida como "Deus" na Versão Revisada. It was in seeking to be as God that Satan fell (1 Tim. 3:6), and he tries to drag man down by the same means. Foi na tentativa de ser como Deus que Satanás caiu (1 Tm. 3:6), e tenta arrastar o homem para baixo pelos mesmos meios. Compare the history of the Anti-Christ, Thess. Compare a história do Anti-Cristo, Tess. 2:4. 2:4.

The Fall The Fall

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 6, 7 What three steps led to the open act of sin? 6, 7 Quais são as três etapas levou ao ato aberto de pecado? How does 1 John 2:16 characterize these steps? Como é que 1 João 2:16 caracterizar estes passos? Compare the temptation of Jesus for the use of the same method (Luke 4:1-13). Compare a tentação de Jesus para o uso do mesmo método (Lucas 4:1-13). How does the further conduct of the woman illustrate the progress and propagation of sin? Como é que a fase posterior da mulher ilustrar o progresso ea propagação do pecado? Did any part of Satan's promise come true? Será que alguma parte da promessa de Satanás se tornará realidade? What part failed? Our first parents came into the knowledge of good and evil by coming to know evil to which they had been strangers before, the moral effect on them being shame (compare 2:25). To quote another: "What the man and woman immediately acquired was the now predominant trait of self-consciousness. God-consciousness has been lost, and henceforth self-contemplation is to be the characteristic and bane of mankind, laying the foundation for those inner feelings or mental states comprehended under the term 'unhappiness,' and for all the external strivings whereby effort is made to attain a better condition." parte falhou? O que nossos primeiros pais vieram para o conhecimento do bem e do mal, vindo a conhecer o mal para o qual tinham sido estranhos antes, o efeito sobre a moral deles vergonha (compare 2:25):. Para citar outro "O que o homem E mulher imediatamente adquiriu foi a característica predominante de agora a auto-consciência. consciência de Deus foi perdida, e doravante auto-contemplação é a característica e bane da humanidade, lançando as bases para esses sentimentos ou estados mentais compreendidas sob o termo 'infelicidade', e para todas as lutas externas que o esforço é feito para alcançar uma melhor condição. "

What was the first of these efforts they made (v. 7, last clause)? Qual foi o primeiro destes esforços que fez (v. 7, última frase)? And (to quote the same author again) "is not this act the germ of all subsequent human activities? Conscious of self and feeling the pressure of need, and no longer having a God to supply that need, man begins to invent and contrive" (Eccl. 7:29). E (para citar o mesmo autor de novo) "não é este ato o germe de todas as actividades subsequentes humana? Consciente de si e sentir a pressão da necessidade, e não ter um Deus para suprir essa necessidade, o homem começa a inventar e inventar" (Eclesiastes 7:29). Nor are these inventions of a material kind merely, but chiefly a spiritual kind, since their effort to cover themselves illustrates the futile attempts of the race to save itself from the eternal effects of sin by works of morality, penance and the like. Também não são essas invenções de natureza meramente material, mas principalmente um tipo espiritual, pois seu esforço para cobrir-se ilustra a tentativa infrutífera da corrida para salvar-se dos efeitos do pecado eterno pelas obras da moralidade, da penitência e coisas assim. What is the only covering that avails for the sinner (Ro. 3:22; 2 Cor. 5:21)? Qual é a única cobertura que aproveita para o pecador (Rm 3:22;. 2 Coríntios 5:21)?

The Trial O Julgamento

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 8-13 "Voice" might be rendered by sound, and "cool" by wind. 13/08 "voz" pode ser processado pelo som, e "cool" pelo vento. How does verse 8 indicate the character and degree of their shame? Como o versículo 8 indicam o caráter eo grau de sua vergonha? Do God's words (v. 9) express judgment only, or may they have expressed grace? Do palavras de Deus (v. 9) expressa apenas o julgamento, ou podem eles tenham manifestado graça? If the latter, in what sense? Does Adam tell the exact truth (v. 10)? Was it merely shame or the sense of sin that drove him away? How does God's question (v. 11) suggest the kind of knowledge that had now come to Adam? Does verse 12 show a spirit of repentance or self-justification on his part? Neste último caso, em que sentido? Adam dizer exatamente a verdade (v. 10)? Sido mera vergonha ou o sentimento de pecado que levou ele embora? Como é que é questão de Deus (v. 11) indicam o tipo de conhecimento que tinham Agora a Adam? O versículo 12 mostra um espírito de arrependimento ou de auto-justificação da sua parte? In the last analysis does he cast the blame on the woman or God? Em última análise o que ele lançou a culpa sobre a mulher ou a Deus?

The Sentence on the Serpent A sentença sobre a serpente

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 14, 15 On which of the guilty does God first pass sentence? Has the curse of verse 14 been fulfilled? 14, 15 Em qual dos culpados que Deus sentença de primeira passagem? Será que a maldição do versículo 14 foram cumpridas? Compare Isaiah 65:25, and notice that even in the millennium when the curse is removed from all other cattle it will still remain on the serpent. Compare Isaías 65:25, e note que, mesmo no milênio, quando a maldição é removido de todos os outros bovinos que ainda permanecem sobre a serpente. But how does this curse suggest that previously the serpent did not crawl? Mas como é que essa maldição anteriormente sugerem que a serpente não rastejar? (Naturalists describe the organism of the serpent as one of extreme degradation, and say that although it belongs to the latest creations of the animal kingdom, yet it represents a decided retrogression in the scale of being, thus corroborating the Biblical explanation of its condition.) Has the curse of verse 15 been fulfilled? (Naturalistas descrever o organismo da serpente, como um de extrema degradação, e dizer que, embora pertença ao últimas criações do reino animal, no entanto, representa um retrocesso decidido na escala dos seres, corroborando a explicação bíblica de sua condição. ) Será que a maldição do versículo 15 foram cumpridas? But we must not suppose the curse of verse 15 to be limited to the serpent, or else Satan were exempt. Mas não devemos supor que a maldição do versículo 15 para ser limitada à serpente, ou Satanás foram dispensados.

See by the marginal references that the seed of the serpent is placed by metonomy for that of Satan, and is identified as the wicked and unbelieving people of all the ages (Matt. 3:7; 13:38; 23:33; John 8:44; Acts 13:10; 1 John 3:8). Veja as referências marginais que a semente da serpente é colocada por metonomy para o de Satanás, e é identificado como o povo ímpio e descrente de todas as idades (Mt 3:7; 13:38, 23:33, João 8 : 44, Atos 13:10, 1 João 3:8). In the same way the seed of the woman might be supposed to stand for the righteous and believing people in all the ages, and so it does in a certain sense, but very especially it stands for our Lord Jesus Christ, the Head and Representative of that people, the One through whom they believe and by whom they become righteous. Da mesma forma, a semente da mulher pode ser suposto estar para as pessoas justas e acreditando em todas as idades, e assim o faz em um certo sentido, mas muito especialmente, representa nosso Senhor Jesus Cristo, Cabeça e Representante do que as pessoas, o único por quem acreditamos e pelo qual eles se tornam justos. He Himself is the seed of the woman, and they in Him (Is. 7:14; Matt. 1:18-25; Luke 1:31-35; Gal. 4:4, 5). Ele é a semente da mulher, e nEle (Is. 7:14, Mt 1:18-25;. Lucas 1:31-35, Gálatas 4:4, 5.). Observe how much this means to us. Observar o quanto isso significa para nós. It is really a promise of a Redeemer and redemption, and being the first promise, it is that out of which all subsequent promises flow. É realmente uma promessa de um Redentor e redenção, sendo a primeira promessa, é que, de que todo o fluxo de promessas subseqüentes.

The Bible refers to it again and again in one way and another, and we need to become well acquainted with it. A Bíblia refere-se a ela de novo e de novo em uma forma ou de outra, e precisamos nos tornar bem familiarizado com ele. Indeed the rest of the Bible is just a history of the fulfilment of this promise. Na verdade, o resto da Bíblia é apenas uma história sobre o cumprimento desta promessa. The Bible is not a history of the world or even of man, but a history of the redemption of man from the sin into which he fell in the garden of Eden. This explains why the whole story of creation is summed up in one chapter of the Bible, and why so little is said about the history of the nations of the earth except Israel. A Bíblia não é uma história do mundo ou mesmo do homem, mas uma história de redenção do homem do pecado em que ele caiu no jardim do Éden. Isso explica por que toda a história da criação é resumido em um capítulo de a Bíblia, e porque tão pouco é dito sobre a história das nações da terra, exceto Israel. But in what sense is this a promise of redemption? Mas em que sentido isso é uma promessa de redenção? On the supposition that Christ is the Seed of the woman, what will He do to Satan (v. 15)? Sobre a suposição de que Cristo é a Semente da mulher, o que Ele fará a Satanás (v. 15)? When the serpent's head is bruised is not its power destroyed? Quando a cabeça da serpente está machucado não é o seu poder de destruição? (For the parallel see Heb. 2:14, 15; Rev. 20:1-3, 7-10.) But what will Satan do to Christ? (Para ver o paralelo Hb 2:14, 15;. Rev. 20:1-3, 70-10). Mas o que Satanás fez a Cristo? How may Satan be said to have bruised Christ's heel? Como pode Satanás disse ter machucado o calcanhar de Cristo? (For answer see Isaiah 50 and 53, Psalms 22 and 69, and the chapters of the Gospels which speak of Christ's sufferings and crucifixion.) (Para responder ver Isaías 50 e 53, Salmos 22 e 69, e os capítulos dos Evangelhos, que falam dos sofrimentos de Cristo ea crucificação.)

The Sentence on Adam and Eve A sentença sobre Adão e Eva

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 16-21 What is the first feature of the sentence on the woman (v. 16, first clause)? 16-21 Qual é o primeiro elemento da frase sobre a mulher (v. 16, cláusula primeira)? With what chiefly will her sorrow be connected (second clause)? Principalmente com o que vai ser conectado a sua dor (cláusula segunda)? What second feature of her sentence is contained in the last clause? O segundo recurso de sua sentença está contida na última frase? For what is the man condemned? Para que o homem está condenado? Does this show him less or more guilty than his wife? Será que esta lhe mostrar mais ou menos culpado do que sua esposa? What curse precedes that on the man himself? O que precede que a maldição sobre o próprio homem? And yet how is it shown that this too is a curse on the man? "Sorrow" is rendered toil in the Revised Version, and hence the curse on the ground entails the toil on the man. E ainda como é mostrado que esta é também uma maldição sobre o homem? "Sorrow" é prestado trabalham na versão revista e, portanto, a maldição sobre o solo implica a labuta do homem. How does this curse on the ground express itself from the ground (v. 18)? Como essa maldição sobre o solo se manifestar a partir do solo (v. 18)? (The necessaries of life must now be forced out of the earth which before might have spontaneously yielded them.) What will this condition of things force out of man (v. 19)? (As necessidades da vida devem agora ser forçado a sair da terra, que antes poderia ter espontaneamente rendeu-los.) Que este estado de coisas forçar a saída do homem (v. 19)? For how long must this normally continue? Por quanto tempo essa situação normalmente se deve continuar? What part of man returns to the dust (Eccl. 12:7)? Que parte do homem retorna ao pó (Eclesiastes 12:7)?

Naturalists corroborate the Bible testimony to the curse by explaining that thorns and thistles are an abortion in the vegetable world, the result of arrested development and imperfect growth. Naturalistas corroboram a Bíblia depoimento à maldição, explicando que espinhos e cardos são um aborto no mundo vegetal, o resultado do desenvolvimento e crescimento preso imperfeito. They disappear by cultivation and are transformed into branches, thus showing what their character may have been before the curse, and what it may be when through Christ the curse will have been removed (Rev. 22:1-5). How deeply significant the crown of thorns, the sign of the curse which Jesus bore for us! Eles desaparecem por cultivo e se transformam em galhos, mostrando assim o seu personagem pode ter sido antes da maldição, e que pode ser através de Cristo, quando a maldição terá sido removido (Ap 22:1-5). Como profundamente significativo o coroa de espinhos, o sinal da maldição que Jesus suportou por nós!

The Penalty A Penalty

Gen. 3:vv. Gen. 3: vv. 22-24 To whom do you suppose the Lord God said this? 22-24 Para quem você acha que o Senhor Deus disse isso? Who is meant by "us"? Que se entende por "nós"? Did you notice the same plural pronoun in 1:26? The use of this is one of the earliest intimations of the Trinity more fully revealed in the New Testament. Indeed the earliest intimation is in the first verse of Scripture in the name God or (Hebrew) Elohim. Você notou o mesmo pronome no plural 1:26? A utilização deste é um dos primeiros indícios da Trindade revelado mais plenamente no Novo Testamento. Na verdade, o mais rapidamente intimation é no primeiro versículo da Escritura em Deus ou o nome ( hebraico Elohim). This is a plural noun but associated with a singular verb, thus suggesting the idea of plurality in unity. Este é um substantivo plural, mas associado a um verbo no singular, sugerindo a idéia de unidade na pluralidade. What reason is given for thursting Adam and Eve out of Eden (v. 22)? Has it occurred to you that there was mercy in this act? Que razão é dada para thursting Adão e Eva do Éden (v. 22)? Já lhe ocorreu que havia misericórdia neste acto? Having obtained the knowledge of evil without the power of resisting it, would it not have added to their calamity if, by eating of the tree of life, they had rendered that condition everlasting? Tendo obtido o conhecimento do mal sem o poder de resistir a ela, não teria acrescentado aos seus calamidade se, ao comer da árvore da vida, tinham tornado essa condição eterna?

What is the name of the mysterious beings placed on guard at the east of the garden? Qual é o nome dos seres misteriosos colocado em guarda no leste do jardim? (v. 24) They seem to be the special guardians of God's majesty, the vindicators of God's broken law, a thought emphasized by their symbolical position over the mercy-seat in the tabernacle at a later period. (V. 24) Eles parecem ser os guardiões especiais da majestade de Deus, o vindicators de direito quebrado de Deus, um pensamento enfatizou a sua posição simbólica sobre o propiciatório no tabernáculo em um período posterior. "The flaming sword" has been translated by "shekinah," the name of the visible glory of God which rested on the mercy seat. "A espada flamejante" foi traduzida por "shekinah", o nome da glória visível de Deus que repousava sobre o propiciatório. May it be that we have here a representation of the mode of worship now established at Eden to show God's anger at sin, and to teach the mediation of a promised Saviour as the way of access to God? Possa ser que tenhamos aqui uma representação do modo de adoração estabelecido agora em Eden de mostrar a ira de Deus pelo pecado, e para ensinar a mediação de um Salvador prometido como a forma de acesso a Deus? As later, so now God seems to say: "I will commune with thee from between the cherubim" (Ex. 25:10-22). Quanto mais tarde, agora, Deus parece dizer: "Eu vou contigo de entre os querubins" (Ex. 25:10-22).

Questions 1. Perguntas 1. How would you prove that Satan and not the serpent was the real tempter in Eden? Como você provar que Satanás e não a serpente era o verdadeiro tentador no Éden? 2. 2. In what way does the temptation of the second Adam (Christ) harmonize with this of the first Adam? De que forma é que a tentação do segundo Adão (Cristo) harmonizar com esta do primeiro Adão? 3. 3. What does the making of the aprons of fig leaves illustrate? O que significa a tomada do aventais de folhas de figueira ilustrar? 4. 4. How does natural history throw light on the curse pronounced on the serpent? Como a história natural lançar luz sobre a maldição pronunciada sobre a serpente? 5. 5. Who especially is meant by "the Seed of the woman"? Quem especialmente se entende por "a Semente da mulher"? 6. 6. What is the Bible? Qual é a Bíblia? 7. 7. What do naturalists say as to the nature of thorns and thistles? O que fazer naturalistas dizer quanto à natureza de espinhos e abrolhos? 8. 8. With what two or three suggestions of the Trinity have we met thus far in our lessons? Com que dois ou três sugestões da Trinity ter que nos conhecemos até agora nas nossas aulas? 9. 9. Of what do the cherubim seem to be the vindicators, and what suggestions does this fact bring to mind? De fazer aquilo que os querubins parecem ser os vindicators, e faz sugestões que este fato traz à mente? 10. 10. How many questions in the text of our lesson have you been able satisfactorily to answer? Quantas perguntas no texto de nossa lição que você tem sido capaz de responder satisfatoriamente?

Genesis Chapter 2 Gênesis Capítulo 2

The Garden of Eden O Jardim do Éden

The Garden Located Localizado no Jardim

vv. vv. 8-14. 8-14. What name is given to the locality of the garden? Que nome é dado para a localização do jardim? In which section of that locality was it planted? Em que ponto da localidade que lhe foi plantada? What expression in verse 9 shows God's consideration for beauty as well as utility? Que expressão no verso 9 mostra consideração de Deus para a beleza, bem como a utilidade? What two trees of life planted? Qual das duas árvores plantadas vida? What geographical feature of verse 10 accentuates the historical character of this narrative? Que característica geográfica do versículo 10 acentua o caráter histórico da narrativa? Observe how this is further impressed by the facts which follow, viz: the names of the rivers, the countries through which they flow, and even the mineral deposits of the latter. Note: (a) the use of the present tense in this description, showing that the readers of Moses' period knew the location; (b) it must have been an elevated district, as the source of mighty rivers; (c) it could not have been a very luxuriant or fruitful locality, else why the need of planting a garden, and where could there have been any serious hardship in the subsequent expulsion of Adam and Eve? Observe como isso é ainda mais impressionado com os fatos que se seguem, a saber: os nomes dos rios, os países por onde fluir, e mesmo os minerais de depósitos desta última. Nota: (a) o uso do presente na descrição do tempo presente , mostrando que os leitores do "período de Moisés sabia a localização, (b) deve ter sido uma área elevada, como a fonte de rios caudalosos, (c) não poderia ter sido uma frutífera luxuriante ou localidade muito, então por isso a necessidade plantio de um jardim, e onde poderia ter havido qualquer sérias dificuldades no posterior expulsão de Adão e Eva?

It is used to be thought that "Eden" was a Hebrew word meaning pleasure, but recent explorations in Assyria indicate that it may have been of Accadian origin meaning a plain, not a fertile plain as in a valley, but an elevated and sterile plain as a steppe or mountain desert. Putting these things together, the place that would come before the mind of an Oriental was the region of Armenia where the Euphrates and the Tigris (or Hiddekel) take their rise. Ele é usado para se pensar que "Eden" é uma palavra hebraica que significa prazer, mas em explorações Assyria recentes indicam que ela pode ter sido de origem Accadian um significado simples, não uma planície fértil em um vale, mas uma elevação e estéril planície como uma montanha ou deserto estepe. colocar essas coisas em conjunto, o lugar que viria antes do espírito de uma era na região oriental da Armênia onde o Eufrates eo Tigre (ou Tigre) assumir a sua origem. There are two other rivers taking their rise in that region, the Kur and the Araxes, thence uniting and flowing into the Caspian Sea, but whether these are identical with the Pison and Gihon of the lesson can not yet be determined. Science now corroborates this location of Eden in so far as it teaches (a) that the human race has sprung from a common centre, and (b) that this centre is the table-land of central Asia. Há dois outros rios tendo sua origem nessa região, o Kur e os Araxes, em seguida unir e desagua no Mar Cáspio, mas se estes são idênticos com o Pison e Giom da lição ainda não pode ser determinada. Ciência agora corrobora esta localização do Éden, na medida em que ensina (a) que a raça humana surgiu a partir de um centro comum, e (b) que este centro é a tabela de terra da Ásia Central.


Original Sin Pecado Original

Catholic Information Informação Católica

I. Meaning I. Significado

II. II. Principal Adversaries Principais adversários

III. III. Original Sin in Scripture Pecado Original nas Escrituras

IV. IV. Original Sin in Tradition Pecado Original na Tradição

V. Original Sin in face of the Objections of Human Reason V. Pecado Original em face das objecções da razão humana

VI. VI. Nature of Original Sin Natureza do pecado original

VII. VII. How Voluntary Como Voluntário

I. MEANING I. O SIGNIFICADO

Original sin may be taken to mean: (1) the sin that Adam committed; (2) a consequence of this first sin, the hereditary stain with which we are born on account of our origin or descent from Adam. O pecado original pode ser entendido como: (1) o pecado que Adão cometeu; (2) Em consequência deste primeiro pecado, a mancha hereditária com a qual nascemos por conta da nossa origem ou descendência de Adão. From the earliest times the latter sense of the word was more common, as may be seen by St. Augustine's statement: "the deliberate sin of the first man is the cause of original sin" (De nupt. et concup., II, xxvi, 43). Desde os primeiros tempos do último sentido da palavra era mais comum, como pode ser visto pela declaração de Santo Agostinho: "o pecado deliberado do primeiro homem é a causa do pecado original" (nupt De concup al, II, xxvi.. , 43). It is the hereditary stain that is dealt with here. É a mancha hereditária que é tratado aqui. As to the sin of Adam we have not to examine the circumstances in which it was committed nor make the exegesis of the third chapter of Genesis. Quanto ao pecado de Adão não temos que examinar as circunstâncias em que foi cometida, nem fazer a exegese do terceiro capítulo do Gênesis.

II. II. PRINCIPAL ADVERSARIES PRINCIPAIS ADVERSÁRIOS

Theodorus of Mopsuestia opened this controversy by denying that the sin of Adam was the origin of death. Theodorus Mopsuestia abriu esta polêmica ao negar que o pecado de Adão foi a origem da morte. (See the "Excerpta Theodori", by Marius Mercator; cf. Smith, "A Dictionary of Christian Biography", IV, 942.) Celestius, a friend of Pelagius, was the first in the West to hold these propositions, borrowed from Theodorus: "Adam was to die in every hypothesis, whether he sinned or did not sin. His sin injured himself only and not the human race" (Mercator, "Liber Subnotationem", preface). (Veja o "Excerpta Theodori", de Marius Mercator.. Cf Smith, "Dicionário de Biografias Cristãs", IV, 942) Celestius, um amigo de Pelágio, foi a primeira no Ocidente a manter estas proposições, emprestado de Theodorus : "Adão foi para morrer em qualquer hipótese, se ele pecou ou não o seu pecado, o pecado se machucou e não apenas a raça humana." (Mercator, "Liber Subnotationem", prefácio). This, the first position held by the Pelagians, was also the first point condemned at Carthage (Denzinger, "Enchiridion", no 101-old no. 65). Esta, a primeira posição na posse do Pelagians, foi também o primeiro ponto condenado em Cartago (Denzinger, "Enchiridion", n º 101-velho não. 65). Against this fundamental error Catholics cited especially Romans 5:12, where Adam is shown as transmitting death with sin. Contra este erro fundamental católicos especialmente citados Romanos 5:12, onde Adão é apresentado como transmitir a morte com o pecado.

After some time the Pelagians admitted the transmission of death -- this being more easily understood as we see that parents transmit to their children hereditary diseases -- but they still violently attacked the transmission of sin (St. Augustine, "Contra duas epist. Pelag.", IV, iv, 6). Depois de algum tempo o Pelagians admitiu a transmissão da morte - isto ser mais facilmente entendida como vemos que os pais transmitem aos filhos doenças hereditárias. - Mas eles ainda atacou violentamente a transmissão do pecado (Santo Agostinho, "Contra epist Duas Pelag . ", IV, IV, 6). And when St. Paul speaks of the transmission of sin they understood by this the transmission of death. E, quando São Paulo fala da transmissão do pecado que entendiam por isso a transmissão da morte. This was their second position, condemned by the Council of Orange [Denz., n. Esta foi sua segunda posição, condenado pelo Conselho de Orange [Denz., N. 175 (145)], and again later on with the first by the Council of Trent [Sess. 175] (145) e, novamente, mais tarde, com o primeiro pelo Concílio de Trento [Sess. V, can. V, pode. ii; Denz., n. ii; Denz, n.. 789 (671)]. 789 (671)]. To take the word sin to mean death was an evident falsification of the text, so the Pelagians soon abandoned the interpretation and admitted that Adam caused sin in us. Para tomar a palavra pecado significa a morte foi uma evidente falsificação do texto, de modo a Pelagians logo abandonou a interpretação e admitiu que Adam fez pecado em nós. They did not, however, understand by sin the hereditary stain contracted at our birth, but the sin that adults commit in imitation of Adam. Eles fizeram, porém, não entende por pecado mancha hereditária contraída no nosso nascimento, mas o pecado que os adultos cometem na imitação de Adão. This was their third position, to which is opposed the definition of Trent that sin is transmitted to all by generation (propagatione), not by imitation [Denz., n. Esta foi sua terceira posição, à qual se opõe à definição de Trento, que o pecado é transmitido a todos por geração (propagatione), não por imitação [Denz., N. 790 (672)]. 790 (672)]. Moreover, in the following canon are cited the words of the Council of Carthage, in which there is question of a sin contracted by generation and effaced by generation [Denz., n. Além disso, no cânon seguir são citadas as palavras do Concílio de Cartago, em que não há questão de um pecado contratada pela geração e apagados pela geração [Denz., N. 102 (66)]. 102 (66)].

The leaders of the Reformation admitted the dogma of original sin, but at present there are many Protestants imbued with Socinian doctrines whose theory is a revival of Pelagianism. Os líderes da Reforma admitiu o dogma do pecado original, mas actualmente não existem muitos protestantes impregnada com Socinian doutrinas cuja teoria é um revival do Pelagianismo.

III. III. ORIGINAL SIN IN SCRIPTURE PECADO ORIGINAL NAS ESCRITURAS

The classical text is Romans 5:12 sqq. O texto clássico é Romanos 5:12 sqq. In the preceding part the apostle treats of justification by Jesus Christ, and to put in evidence the fact of His being the one Saviour, he contrasts with this Divine Head of mankind the human head who caused its ruin. Na parte anterior, o apóstolo trata da justificação por Jesus Cristo, e para colocar em evidência o fato de Ele ser o único Salvador, ele contrasta com a presente Divino Chefe da humanidade a cabeça humana que causou sua ruína. The question of original sin, therefore, comes in only incidentally. A questão do pecado original, portanto, vem em apenas incidentalmente. St. Paul supposes the idea that the faithful have of it from his oral instructions, and he speaks of it to make them understand the work of Redemption. São Paulo pressupõe a idéia de que os fiéis têm de que a partir de suas instruções orais, e ele fala do mesmo fazê-los compreender a obra da Redenção. This explains the brevity of the development and the obscurity of some verses. Isso explica a brevidade do desenvolvimento e da obscuridade de alguns versos.

We shall now show what, in the text, is opposed to the three Pelagian positions: Vamos agora mostrar que, no texto, se opõe à Pelagian três posições:

(1) The sin of Adam has injured the human race at least in the sense that it has introduced death -- "Wherefore as by one man sin entered into this world and by sin death; and so death passed upon all men". (1) O pecado de Adão feriu a raça humana pelo menos no sentido em que introduziu a morte - "Portanto, assim como por um homem o pecado entrou no mundo e pelo pecado a morte, e assim a morte passou a todos os homens". Here there is question of physical death. Aqui não há questão da morte física. First, the literal meaning of the word ought to be presumed unless there be some reason to the contrary. Em primeiro lugar, o significado literal da palavra deve ser presumida a menos que haja alguma razão para o contrário. Second, there is an allusion in this verse to a passage in the Book of Wisdom in which, as may be seen from the context, there is question of physical death. Em segundo lugar, há uma alusão neste versículo a uma passagem do Livro da Sabedoria, na qual, como pode ser visto a partir do contexto, não há questão da morte física. Wisdom 2:24: "But by the envy of the devil death came into the world". Sabedoria 2:24: "Mas, pela inveja do diabo a morte entrou no mundo". Cf. Cf. Genesis 2:17; 3:3, 19; and another parallel passage in St. Paul himself, 1 Corinthians 15:21: "For by a man came death and by a man the resurrection of the dead". Gênesis 2:17, 3:03, 19, e outra passagem paralela no próprio São Paulo, 1 Coríntios 15:21: "Para a morte por um homem veio e por um homem a ressurreição dos mortos". Here there can be question only of physical death, since it is opposed to corporal resurrection, which is the subject of the whole chapter. Aqui não pode ser apenas questão de morte física, uma vez que se opõe à ressurreição corporal, que é o tema do capítulo inteiro.

(2) Adam by his fault transmitted to us not only death but also sin, "for as by the disobedience of one man many [ie, all men] were made sinners" (Romans 5:19). (2) Adam por sua culpa transmitida para nós não só pecado a morte, mas também, "de como pela desobediência de um homem que muitos [ou seja, todos os homens] se tornaram pecadores" (Romanos 5:19). How then could the Pelagians, and at a later period Zwingli, say that St. Paul speaks only of the transmission of physical death? Como poderia, então o Pelagians, e mais tarde em um período Zwingli, dizer que São Paulo fala apenas da transmissão da morte física? If according to them we must read death where the Apostle wrote sin, we should also read that the disobedience of Adam has made us mortal where the Apostle writes that it has made us sinners. Se de acordo com eles, temos de ler da morte, onde o apóstolo escreveu o pecado, devemos ler também que a desobediência de Adão nos fez mortal, onde o Apóstolo escreve que nos fez pecadores. But the word sinner has never meant mortal, nor has sin ever meant death. Mas a palavra pecador nunca significou mortal, nem o pecado, nunca quis a morte. Also in verse 12, which corresponds to verse 19, we see that by one man two things have been brought on all men, sin and death, the one being the consequence of the other and therefore not identical with it. Também no versículo 12, que corresponde ao versículo 19, vemos que, por um homem duas coisas foram levados a todos os homens do pecado e da morte, sendo a única a conseqüência do outro e, portanto, não é idêntico a ele.

(3) Since Adam transmits death to his children by way of generation when he begets them mortal, it is by generation also that he transmits to them sin, for the Apostle presents these two effects as produced at the same time and by the same causality. (3) Desde Adam transmite morte de seus filhos por meio de geração quando ele begets deles mortal, é por geração também que ele transmite-lhes o pecado, para o Apóstolo apresenta estes dois efeitos que produziu, ao mesmo tempo e pela mesma causalidade . The explanation of the Pelagians differs from that of St. Paul. A explicação do Pelagians difere da de São Paulo. According to them the child who receives mortality at his birth receives sin from Adam only at a later period when he knows the sin of the first man and is inclined to imitate it. Segundo eles a mortalidade infantil, que recebe em seu nascimento recebe o pecado de Adão apenas em um período posterior, quando ele conhece o pecado do primeiro homem e está inclinado a imitá-lo. The causality of Adam as regards mortality would, therefore, be completely different from his causality as regards sin. A causalidade de Adão no que se refere à mortalidade seria, portanto, ser completamente diferente de sua causalidade no que se refere ao pecado. Moreover, this supposed influence of the bad example of Adam is almost chimerical; even the faithful when they sin do not sin on account of Adam's bad example, a fortiori infidels who are completely ignorant of the history of the first man. Além disso, esta suposta influência do mau exemplo de Adão é quase quimérica, e mesmo os fiéis, quando o pecado não pecar por conta de mau exemplo de Adão, a fortiori infiéis que são completamente ignorantes da história do primeiro homem. And yet all men are, by the influence of Adam, sinners and condemned (Romans 5:18, 19). E no entanto todos os homens são, pela influência de Adam, e condenou os pecadores (Romanos 5:18, 19). The influence of Adam cannot, therefore, be the influence of his bad example which we imitate (Augustine, "Contra julian.", VI, xxiv, 75). A influência de Adam não pode ser, portanto, a influência de seu mau exemplo que imitam (Agostinho, "Contra julian.", VI, XXIV, 75).

On this account, several recent Protestants have thus modified the Pelagian explanation: "Even without being aware of it all men imitate Adam inasmuch as they merit death as the punishment of their own sins just as Adam merited it as the punishment for his sin." Por conta disso, vários protestantes recentes assim alterado a explicação pelagiana: "Mesmo sem estar ciente de que todos os homens imitar Adão, na medida em que eles merecem a morte como o castigo de seus próprios pecados assim como Adão mereceu-lo como punição por seus pecados." This is going farther and farther from the text of St. Paul. Isto vai mais longe e mais longe do texto de São Paulo. Adam would be no more than the term of a comparison, he would no longer have any influence or causality as regards original sin or death. Adão não seria mais do que o termo de comparação, ele já não teria qualquer influência ou causalidade no que se refere o pecado original ou a morte. Moreover, the Apostle did not affirm that all men, in imitation of Adam, are mortal on account of their actual sins; since children who die before coming to the use of reason have never committed such sins; but he expressly affirms the contrary in the fourteenth verse: "But death reigned", not only over those who imitated Adam, but "even over them also who have not sinned after the similitude of the transgression of Adam." Além disso, o apóstolo não afirma que todos os homens, na imitação de Adão, são mortais por conta de seus pecados reais, uma vez que as crianças que morrem antes de vir para o uso da razão nunca cometeram tais pecados, mas ele afirma expressamente em contrário décimo quarto verso: ". mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão", "Mas, reinou a morte", não só sobre aqueles que imitavam Adão, mas Adam's sin, therefore, is the sole cause of death for the entire human race. O pecado de Adão, portanto, é a única causa de morte de toda a raça humana. Moreover, we can discern no natural connexion between any sin and death. Além disso, podemos vislumbrar nenhuma ligação natural entre qualquer pecado e da morte. In order that a determined sin entail death there is need of a positive law, but before the Law of Moses there was no positive law of God appointing death as a punishment except the law given to Adam (Genesis 2:17). Para que um pecado determinado implica a morte não há necessidade de um direito positivo, mas antes de a Lei de Moisés não havia nenhuma lei positiva de Deus, que nomeia a morte como uma punição, exceto a lei dada a Adão (Gênesis 2:17). It is, therefore, his disobedience only that could have merited and brought it into the world (Romans 5:13, 14). É, portanto, sua desobediência que só poderia ter merecido e trouxe-o para o mundo (Romanos 5:13, 14).

These Protestant writers lay much stress on the last words of the twelfth verse. Estes escritores protestantes leigos muito stress sobre as últimas palavras do versículo XII. We know that several of the Latin Fathers understood the words "in whom all have sinned", to mean, all have sinned in Adam. Sabemos que vários dos Padres latinos entenderam as palavras "em quem todos pecaram", quer dizer, todos pecaram em Adão. This interpretation would be an extra proof of the thesis of original sin, but it is not necessary. Esta interpretação seria uma prova extra da tese do pecado original, mas não é necessário. Modern exegesis, as well as the Greek Fathers, prefer to translate "and so death passed upon all men because all have sinned". A exegese moderna, bem como o grego Padres, preferem traduzir "e assim a morte passou a todos os homens porque todos pecaram". We accept this second translation which shows us death as an effect of sin. Aceitamos esta segunda tradução, que nos mostra a morte como um efeito do pecado. But of what sin? Mas do que o pecado? "The personal sins of each one", answer our adversaries, "this is the natural sense of the words 'all have sinned.'" It would be the natural sense if the context was not absolutely opposed to it. "Os pecados pessoais de cada um", responde nossos adversários ", este é o sentido natural das palavras" todos pecaram ". Seria o sentido natural se o contexto não era absolutamente contra isso. The words "all have sinned" of the twelfth verse, which are obscure on account of their brevity, are thus developed in the nineteenth verse: "for as by the disobedience of one man many were made sinners." As palavras "todos pecaram" do décimo segundo verso, que são obscuras em virtude da sua brevidade, são, portanto, desenvolvido no versículo XIX: ". De como pela desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores" There is no question here of personal sins, differing in species and number, committed by each one during his life, but of one first sin which was enough to transmit equally to all men a state of sin and the title of sinners. Não se trata aqui de pecados pessoais, que diferem em espécie e número, cometidos por cada um durante sua vida, mas de um primeiro pecado que foi o suficiente para transmitir igualmente para todos os homens num estado de pecado e do título de pecadores. Similarly in the twelfth verse the words "all have sinned" must mean, "all have participated in the sin of Adam", "all have contracted its stain". Da mesma forma no décimo segundo verso, a expressão "todos pecaram" deve significar "todos tenham participado no pecado de Adão", "todos tenham contraído a sua mancha". This interpretation too removes the seeming contradiction between the twelfth verse, "all have sinned", and the fourteenth, "who have not sinned", for in the former there is question of original sin, in the latter of personal sin. Esta interpretação também elimina a aparente contradição entre o décimo segundo verso, "todos pecaram", e XIV, "que não temos pecado", pois na primeira não há questão de pecado original, no último do pecado pessoal. Those who say that in both cases there is question of personal sin are unable to reconcile these two verses. Aqueles que dizem que em ambos os casos existe uma questão de pecado pessoal são incapazes de conciliar estes dois versos.

IV. IV. ORIGINAL SIN IN TRADITION PECADO ORIGINAL NA TRADIÇÃO

On account of a superficial resemblance between the doctrine of original sin and the Manichaean theory of our nature being evil, the Pelagians accused the Catholics and St. Augustine of Manichaeism. Por conta de uma semelhança superficial entre a doutrina do pecado original e da teoria maniqueísta do nosso mal da natureza, sendo, a Pelagians acusou o St. Augustine católicos e de maniqueísmo. For the accusation and its answer see "Contra duas epist. Pelag.", I, II, 4; V, 10; III, IX, 25; IV, III. Para a acusação, e ver a resposta "Contra epist Duas Pelag..", I, II, 4; V, 10, III, IX, 25, IV, III. In our own times this charge has been reiterated by several critics and historians of dogma who have been influenced by the fact that before his conversion St. Augustine was a Manichaean. Na nossa época essa acusação tem sido reiterado por vários críticos e historiadores de dogmas que foram influenciados pelo fato de que antes de sua conversão de Santo Agostinho foi um maniqueísta. They do not identify Manichaeism with the doctrine of original sin, but they say that St. Augustine, with the remains of his former Manichaean prejudices, created the doctrine of original sin unknown before his time. Eles não se identificam com o maniqueísmo a doutrina do pecado original, mas dizem que Santo Agostinho, com os restos de seu ex-preconceitos maniqueístas, criou a doutrina do pecado original desconhecido antes de seu tempo.

It is not true that the doctrine of original sin does not appear in the works of the pre-Augustinian Fathers. Não é verdade que a doutrina do pecado original não aparece nas obras dos Padres pré-agostiniana. On the contrary, their testimony is found in special works on the subject. Pelo contrário, seu testemunho é encontrado em trabalhos especiais sobre o assunto. Nor can it be said, as Harnack maintains, that St. Augustine himself acknowledges the absence of this doctrine in the writings of the Fathers. Também não pode ser dito, como Harnack sustenta, que São Agostinho reconhece a ausência dessa doutrina nos escritos dos Padres. St. Augustine invokes the testimony of eleven Fathers, Greek as well as Latin (Contra Jul., II, x, 33). Santo Agostinho invoca o testemunho dos Padres onze, grega e latina (Contra julho, II, X, 33). Baseless also is the assertion that before St. Augustine this doctrine was unknown to the Jews and to the Christians; as we have already shown, it was taught by St. Paul. Também é infundada a afirmação de que antes de Santo Agostinho esta doutrina era desconhecida para os judeus e os cristãos, como já demonstrado, foi ensinado por São Paulo. It is found in the fourth Book of Esdras, a work written by a Jew in the first century after Christ and widely read by the Christians. Pode ser encontrada no quarto livro de Esdras, uma obra escrita por um judeu do século I depois de Cristo e lido pelos cristãos. This book represents Adam as the author of the fall of the human race (vii, 48), as having transmitted to all his posterity the permanent infirmity, the malignity, the bad seed of sin (iii, 21, 22; iv, 30). Este livro representa Adão como o autor da queda da raça humana (vii, 48), como tendo transmitido para toda a sua posteridade a enfermidade permanente, a maldade, a má semente do pecado (iii, 21, 22, iv, 30) . Protestants themselves admit the doctrine of original sin in this book and others of the same period (see Sanday, "The International Critical Commentary: Romans", 134, 137; Hastings, "A Dictionary of the Bible", I, 841). Os protestantes se admitir a doutrina do pecado original neste livro e outros do mesmo período (ver Sanday, "The International Critical Commentary: Romanos", 134, 137, Hastings, "Um Dicionário da Bíblia", I, 841).

It is therefore impossible to make St. Augustine, who is of a much later date, the inventor of original sin. Por conseguinte, é impossível fazer com que Santo Agostinho, que é de data muito posterior, o inventor do pecado original.

That this doctrine existed in Christian tradition before St. Augustine's time is shown by the practice of the Church in the baptism of children. Que esta doutrina existiu na tradição cristã antes do tempo de Santo Agostinho é demonstrado pela prática da Igreja no batismo das crianças. The Pelagians held that baptism was given to children, not to remit their sin, but to make them better, to give them supernatural life, to make them adoptive sons of God, and heirs to the Kingdom of Heaven (see St. Augustine, "De peccat. meritis", I, xviii). O Pelagians declarou que o batismo foi dado às crianças, não remeter o seu pecado, mas para torná-los melhor, dar-lhes a vida sobrenatural, para torná-los filhos adotivos de Deus e herdeiros do Reino dos Céus (cf. Santo Agostinho, " De peccat. meritis ", I, xviii). The Catholics answered by citing the Nicene Creed, "Confiteor unum baptisma in remissiomen peccatorum". Os católicos responderam citando o Credo Niceno, "baptisma unum Confiteor em peccatorum remissiomen". They reproached the Pelagians with introducing two baptisms, one for adults to remit sins, the other for children with no such purpose. Eles censurou os pelagianos com a introdução de dois batismos, uma para adultos para perdoar pecados, a outra para crianças com tal propósito. Catholics argued, too, from the ceremonies of baptism, which suppose the child to be under the power of evil, ie, exorcisms, abjuration of Satan made by the sponsor in the name of the child [Augustine, loc. Católicos argumentou, também, da cerimônia do batismo, que supõem que a criança estar sob o poder de, ou seja, o mal, exorcismos, abjuração de Satanás feito pelo patrocinador no nome da criança [Agostinho, loc. cit., xxxiv, 63; Denz., n. cit, xxxiv, 63;.. Denz, n. 140 (96)]. 140 (96)].

V. ORIGINAL SIN IN FACE OF THE OBJECTIONS FROM REASON V. PECADO ORIGINAL EM FACE DA RAZÃO objeções de

We do not pretend to prove the existence of original sin by arguments from reason only. Nós não pretendemos provar a existência do pecado original por argumentos da razão somente. St. Thomas makes use of a philosophical proof which proves the existence rather of some kind of decadence than of sin, and he considers his proof as probable only, satis probabiliter probari potest (Contra Gent., IV, lii). St. Thomas faz uso de uma prova filosófica que demonstra a existência, em vez de algum tipo de decadência do que do pecado, e ele considera a sua prova apenas como provável, satis potest probabiliter probari (Contra Gent., IV, LII). Many Protestants and Jansenists and some Catholics hold the doctrine of original sin to be necessary in philosophy, and the only means of solving the problem of the existence of evil. Muitos protestantes e jansenistas e alguns católicos seguem a doutrina do pecado original a ser necessário em filosofia, eo único meio de resolver o problema da existência do mal. This is exaggerated and impossible to prove. Isso é exagerado e impossível de provar. It suffices to show that human reason has no serious objection against this doctrine which is founded on Revelation. É suficiente mostrar que a razão humana não tem objeção séria contra esta doutrina que se baseia no Apocalipse. The objections of Rationalists usually spring from a false concept of our dogma. As acusações de racionalistas geralmente brotam de um falso conceito de nosso dogma. They attack either the transmission of a sin or the idea of an injury inflicted on his race by the first man, of a decadence of the human race. Eles atacam tanto a transmissão de um pecado ou a idéia de uma lesão infligida a sua corrida pelo primeiro homem, de uma decadência da raça humana. Here we shall answer only the second category of objections, the others will be considered under a later head (VII). Aqui vamos responder apenas a segunda categoria de acusações, os outros serão considerados sob uma cabeça mais tarde (VII).

(1) The law of progress is opposed to the hypothesis of a decadence. (1) A lei do progresso se opõe à hipótese de uma decadência. Yes, if the progress was necessarily continuous, but history proves the contrary. Sim, se o progresso era necessariamente contínua, mas a história prova o contrário. The line representing progress has its ups and downs, there are periods of decadence and of retrogression, and such was the period, Revelation tells us, that followed the first sin. A linha que representa o progresso tem seus altos e baixos, existem períodos de decadência e de retrocesso, e tal foi o período, o Apocalipse nos diz que se seguiram ao primeiro pecado. The human race, however, began to rise again little by little, for neither intelligence nor free will had been destroyed by original sin and, consequently, there still remained the possibility of material progress, whilst in the spiritual order God did not abandon man, to whom He had promised redemption. A raça humana, porém, começou a subir pouco a pouco, pois nem a inteligência nem vontade livre tinha sido destruído pelo pecado original e, conseqüentemente, não há ainda permaneceu a possibilidade de progresso material, enquanto que na ordem espiritual que Deus não abandonou o homem, a quem ele tinha prometido a redenção. This theory of decadence has no connexion with our Revelation. Esta teoria da decadência não tem nenhuma ligação com o nosso Apocalipse. The Bible, on the contrary, shows us even spiritual progress in the people it treats of: the vocation of Abraham, the law of Moses, the mission of the Prophets, the coming of the Messias, a revelation which becomes clearer and clearer, ending in the Gospel, its diffusion amongst all nations, its fruits of holiness, and the progress of the Church. A Bíblia, ao contrário, mostra-nos ainda o progresso espiritual do povo ele trata de: a vocação de Abraão, a lei de Moisés, a missão dos profetas, a vinda do Messias, uma revelação que se torna cada vez mais clara, terminando no Evangelho, sua difusão, entre todas as nações, seus frutos de santidade, eo progresso da Igreja.

(2) It is unjust, says another objection, that from the sin of one man should result the decadence of the whole human race. (2) É injusto, diz outra oposição, que desde o pecado de um homem deve conduzir a decadência de toda a raça humana. This would have weight if we took this decadence in the same sense that Luther took it, ie human reason incapable of understanding even moral truths, free will destroyed, the very substance of man changed into evil. Isso teria peso se tomámos esta decadência no mesmo sentido que Lutero tomou, ou seja, a razão humana incapaz de compreender mesmo as verdades morais, o livre arbítrio destruídos, a própria essência do homem mudado para o mal.

But according to Catholic theology man has not lost his natural faculties: by the sin of Adam he has been deprived only of the Divine gifts to which his nature had no strict right, the complete mastery of his passions, exemption from death, sanctifying grace, the vision of God in the next life. Mas, segundo a teologia católica homem não perdeu as suas faculdades naturais: pelo pecado de Adão, ele foi privado apenas dos dons divinos para o qual sua natureza não tinha o direito estrito, o domínio completo de suas paixões, a isenção da morte, a graça santificante, a visão de Deus na próxima vida. The Creator, whose gifts were not due to the human race, had the right to bestow them on such conditions as He wished and to make their conservation depend on the fidelity of the head of the family. O Criador, cujos dons não foi devido à raça humana, tinham o direito de conferi-los em condições como Ele desejou e fazer a sua conservação depende da fidelidade do chefe da família. A prince can confer a hereditary dignity on condition that the recipient remains loyal, and that, in case of his rebelling, this dignity shall be taken from him and, in consequence, from his descendants. Um príncipe pode conferir uma dignidade hereditária, na condição de o beneficiário se mantém fiel, e que, em caso de sua rebeldia, esta dignidade deve ser tirada dele, e, em conseqüência, de seus descendentes. It is not, however, intelligible that the prince, on account of a fault committed by a father, should order the hands and feet of all the descendants of the guilty man to be cut off immediately after their birth. Não é, porém, compreensível que o príncipe, por conta de uma falta cometida por um pai, deve ordenar as mãos e os pés de todos os descendentes do homem culpado para ser cortado imediatamente após seu nascimento. This comparison represents the doctrine of Luther which we in no way defend. Esta comparação representa a doutrina de Lutero, que, de modo nenhum defender. The doctrine of the Church supposes no sensible or afflictive punishment in the next world for children who die with nothing but original sin on their souls, but only the privation of the sight of God [Denz., n. A doutrina da Igreja supõe nenhuma punição sensível ou aflitiva do mundo ao lado de crianças que morrem com nada, mas o pecado original em suas almas, mas apenas a privação da visão de Deus [Denz., N. 1526 (1389)]. 1526 (1389)].

VI. VI. NATURE OF ORIGINAL SIN Natureza do pecado original

This is a difficult point and many systems have been invented to explain it: it will suffice to give the theological explanation now commonly received. Este é um ponto difícil e muitos sistemas foram inventados para explicá-lo: ele será suficiente para dar a explicação teológica agora comumente recebidos. Original sin is the privation of sanctifying grace in consequence of the sin of Adam. O pecado original é a privação da graça santificante em conseqüência do pecado de Adão. This solution, which is that of St. Thomas, goes back to St. Anselm and even to the traditions of the early Church, as we see by the declaration of the Second Council of Orange (AD 529): one man has transmitted to the whole human race not only the death of the body, which is the punishment of sin, but even sin itself, which is the death of the soul [Denz., n. Esta solução, que é a de St. Thomas, remonta a Santo Anselmo e até mesmo as tradições da Igreja primitiva, como podemos ver pela declaração do Concílio de Orange (AD 529): um homem transmitiu à raça humana inteira, não só a morte do corpo, que é o castigo do pecado, mas o pecado em si, que é a morte da alma [Denz., n. 175 (145)]. 175 (145)]. As death is the privation of the principle of life, the death of the soul is the privation of sanctifying grace which according to all theologians is the principle of supernatural life. Como a morte é a privação do princípio da vida, a morte da alma é a privação da graça santificante, que de acordo com todos os teólogos é o princípio da vida sobrenatural. Therefore, if original sin is "the death of the soul", it is the privation of sanctifying grace. Portanto, se o pecado original é "a morte da alma", que é a privação da graça santificante.

The Council of Trent, although it did not make this solution obligatory by a definition, regarded it with favour and authorized its use (cf. Pallavicini, "Istoria del Concilio di Trento", vii-ix). O Concílio de Trento, embora não tenha feito esta solução obrigatória por uma definição, é encarado com favor e autorizou a sua utilização (cf. Pallavicini, "di Istoria del Concilio de Trento", vii-ix). Original sin is described not only as the death of the soul (Sess. V, can. ii), but as a "privation of justice that each child contracts at its conception" (Sess. VI, cap. iii). O pecado original é descrito não só como a morte da alma (Sess. V, pode. ii), mas como uma "privação de justiça que cada criança contratos em sua concepção" (Sess. VI, cap. iii). But the Council calls "justice" what we call sanctifying grace (Sess. VI), and as each child should have had personally his own justice so now after the fall he suffers his own privation of justice. Mas o Conselho chama de "justiça" que chamamos graça santificante (Sess. VI), e que cada criança deveria ter tido pessoalmente a sua própria justiça agora após a queda ele sofre sua própria privação da justiça.

We may add an argument based on the principle of St. Augustine already cited, "the deliberate sin of the first man is the cause of original sin". Podemos acrescentar um argumento baseado no princípio de Santo Agostinho já citada, "o pecado deliberado do primeiro homem é a causa do pecado original". This principle is developed by St. Anselm: "the sin of Adam was one thing but the sin of children at their birth is quite another, the former was the cause, the latter is the effect" (De conceptu virginali, xxvi). Este princípio é desenvolvido por Santo Anselmo: "o pecado de Adão foi uma coisa, mas o pecado das crianças no momento do nascimento é outra, a anterior era a causa, o último é o efeito" (virginali De conceitualmente, XXVI). In a child original sin is distinct from the fault of Adam, it is one of its effects. Em um pecado original da criança é diferente da culpa de Adão, é um dos seus efeitos. But which of these effects is it? Mas qual destes efeitos é? We shall examine the several effects of Adam's fault and reject those which cannot be original sin: Vamos analisar os diversos efeitos da falta de Adão e rejeitar aqueles que não podem ser pecado original:

(1) Death and Suffering.- These are purely physical evils and cannot be called sin. (1) Morte e Sofrimento .- Estes são puramente físicas males e não pode ser chamado de pecado. Moreover St. Paul, and after him the councils, regarded death and original sin as two distinct things transmitted by Adam. Além disso, São Paulo, e depois dele os concelhos, a morte eo pecado original consideradas como duas coisas distintas transmitidas por Adão.

(2) Concupiscence.- This rebellion of the lower appetite transmitted to us by Adam is an occasion of sin and in that sense comes nearer to moral evil. (2) Concupiscência .- Esta rebelião do menor apetite transmitidas a nós por Adam é uma ocasião de pecado e, nesse sentido, se aproxima para o mal moral. However, the occasion of a fault is not necessarily a fault, and whilst original sin is effaced by baptism concupiscence still remains in the person baptized; therefore original sin and concupiscence cannot be one and the same thing, as was held by the early Protestants (see Council of Trent, Sess. V, can. v). No entanto, a ocasião de uma culpa não é necessariamente uma falha, e, embora o pecado original é apagada pela concupiscência batismo ainda permanece no batizado, portanto, o pecado original, a concupiscência não pode ser uma ea mesma coisa, como foi decidido pelos protestantes precoce ( Sess ver Concílio de Trento. V, pode. v).

(3) The absence of sanctifying grace in the new-born child is also an effect of the first sin, for Adam, having received holiness and justice from God, lost it not only for himself but also for us (loc. cit., can. ii). (3) A ausência da graça santificante no recém-nascido é também um efeito do primeiro pecado de Adão, após ter recebido a santidade ea justiça de Deus, ele perdeu não só para si mas também para nós (op. cit., pode. ii). If he has lost it for us we were to have received it from him at our birth with the other prerogatives of our race. Se ele tiver perdido para nós, deveriam ter recebido dele no nosso nascimento, com as prerrogativas de outros de nossa raça. Therefore the absence of sanctifying grace in a child is a real privation, it is the want of something that should have been in him according to the Divine plan. Portanto, a ausência da graça santificante em uma criança é uma privação real, é a falta de algo que deveria ter sido nele, de acordo com o plano divino. If this favour is not merely something physical but is something in the moral order, if it is holiness, its privation may be called a sin. Se esse favor não é apenas algo físico, mas é algo da ordem moral, se é a santidade, a sua privação pode ser chamado de pecado. But sanctifying grace is holiness and is so called by the Council of Trent, because holiness consists in union with God, and grace unites us intimately with God. Mas a graça santificante e santidade é chamado pelo Concílio de Trento, porque a santidade consiste na união com Deus, ea graça que nos une intimamente com Deus. Moral goodness consists in this, that our action is according to the moral law, but grace is a deification, as the Fathers say, a perfect conformity with God who is the first rule of all morality. bondade moral consiste no fato de que nossa ação está de acordo com a lei moral, mas a graça é uma deificação, como dizem os Padres, uma perfeita conformidade com Deus que é a primeira regra de toda a moralidade. (See GRACE.) Sanctifying grace therefore enters into the moral order, not as an act that passes but as a permanent tendency which exists even when the subject who possesses it does not act; it is a turning towards God, conversio ad Deum. (Ver a graça.) Graça santificante, portanto, entra na ordem moral, não como um ato que passa, mas como uma tendência permanente que existe mesmo quando o sujeito que a possui não agir, é um giro em direção a Deus, conversio ad Deum. Consequently the privation of this grace, even without any other act, would be a stain, a moral deformity, a turning away from God, aversio a Deo, and this character is not found in any other effect of the fault of Adam. Consequentemente a privação da graça, mesmo sem qualquer outro ato, seria uma mancha, uma deformidade moral, um afastamento de Deus, um aversio Deo, e essa característica não é encontrada em nenhum outro efeito da culpa de Adão. This privation, therefore, is the hereditary stain. Essa privação, portanto, é a mancha hereditária.

VII. VII. HOW VOLUNTARY COMO VOLUNTÁRIA

"There can be no sin that is not voluntary, the learned and the ignorant admit this evident truth", writes St. Augustine (De vera relig., xiv, 27). "Não pode haver pecado que não é voluntário, os sábios e os ignorantes admitir esta verdade evidente", escreve Santo Agostinho (De vera Relig., Xiv, 27). The Church has condemned the opposite solution given by Baius [prop. A Igreja condenou a solução dada pelo contrário Baius [prop. xlvi, xlvii, in Denz., n. xlvi, XLVII, em Denz., n. 1046 (926)]. 1046 (926)]. Original sin is not an act but, as already explained, a state, a permanent privation, and this can be voluntary indirectly -- just as a drunken man is deprived of his reason and incapable of using his liberty, yet it is by his free fault that he is in this state and hence his drunkenness, his privation of reason is voluntary and can be imputed to him. O pecado original não é um ato, mas, como já explicado, um estado, uma privação permanente, e isso pode ser indiretamente voluntária - como um homem embriagado é privado da sua razão e incapaz de utilizar a sua liberdade, mas é por sua livre culpa que ele está neste estado e, consequentemente, a sua embriaguez, a sua privação de razão é voluntária e pode ser imputada a ele.

But how can original sin be even indirectly voluntary for a child that has never used its personal free will? Mas como pode ser pecado original, mesmo indiretamente voluntária para uma criança que nunca usou o seu livre arbítrio pessoal? Certain Protestants hold that a child on coming to the use of reason will consent to its original sin; but in reality no one ever thought of giving this consent. Certas protestantes que segurar uma criança em vir para o uso da razão, irá autorizar o seu pecado original, mas na realidade ninguém nunca pensou em dar esse consentimento. Besides, even before the use of reason, sin is already in the soul, according to the data of Tradition regarding the baptism of children and the sin contracted by generation. Além disso, mesmo antes do uso da razão, o pecado já está na alma, de acordo com os dados da Tradição sobre o batismo de crianças e do pecado contratada pela geração. Some theosophists and spiritists admit the pre-existence of souls that have sinned in a former life which they now forget; but apart from the absurdity of this metempsychosis, it contradicts the doctrine of original sin, it substitutes a number of particular sins for the one sin of a common father transmitting sin and death to all (cf. Romans 5:12 sqq.). Alguns teósofos e espiritualistas admitem a pré-existência das almas que pecaram em uma vida anterior que agora esquecer, mas para além do absurdo da metempsicose, ela contradiz a doutrina do pecado original, que substitui uma série de pecados para o particular um pecado de um pai comum transmissora pecado ea morte para todos nós (cf. Romanos 5:12 sqq.). The whole Christian religion, says St. Augustine, may be summed up in the intervention of two men, the one to ruin us, the other to save us (De pecc. orig., xxiv). Toda a religião cristã, diz Santo Agostinho, pode ser resumida na intervenção de dois homens, o único a arruinar-nos, o outro para nos salvar (De pecc. Orig., Xxiv). The right solution is to be sought in the free will of Adam in his sin, and this free will was ours: "we were all in Adam", says St. Ambrose, cited by St. Augustine (Opus imperf., IV, civ). A solução certa está a ser procurado no livre-arbítrio de Adão no pecado, e este foi o nosso livre-arbítrio: "Estávamos todos em Adão", diz Santo Ambrósio, citado por Santo Agostinho (imperf Opus, civ IV. ). St. Basil attributes to us the act of the first man: "Because we did not fast (when Adam ate the forbidden fruit) we have been turned out of the garden of Paradise" (Hom. i de jejun., iv). São Basílio atribui a nós, o ato do primeiro homem: "Porque nós não rápido (quando Adão comeu o fruto proibido) que foram expulsos do jardim do paraíso" (Hom. jejun de, iv.). Earlier still is the testimony of St. Irenæus; "In the person of the first Adam we offend God, disobeying His precept" (Haeres., V, xvi, 3). Ainda é cedo o testemunho de Santo Ireneu de Lyon: "Na pessoa do primeiro Adão que ofender a Deus, desobedecendo o preceito" (xvi Haeres., V, 3).

St. Thomas thus explains this moral unity of our will with the will of Adam. São Tomás assim explica esta unidade moral da nossa vontade com a vontade de Adão.

"An individual can be considered either as an individual or as part of a whole, a member of a society . . . . Considered in the second way an act can be his although he has not done it himself, nor has it been done by his free will but by the rest of the society or by its head, the nation being considered as doing what the prince does. For a society is considered as a single man of whom the individuals are the different members (St. Paul, 1 Corinthians 12). Thus the multitude of men who receive their human nature from Adam is to be considered as a single community or rather as a single body . . . . If the man, whose privation of original justice is due to Adam, is considered as a private person, this privation is not his 'fault', for a fault is essentially voluntary. If, however, we consider him as a member of the family of Adam, as if all men were only one man, then his privation partakes of the nature of sin on account of its voluntary origin, which is the actual sin of Adam" (De Malo, iv, 1). "Um indivíduo pode ser considerada como um indivíduo ou como parte de um todo, um membro de uma sociedade.... Considerado na segunda forma de um acto pode ser seu, embora ele não tenha feito ele próprio, nem que tenha sido feito por seu livre arbítrio, mas pelo resto da sociedade ou por sua cabeça, o povo sendo considerado como fazendo o que o príncipe faz. Por uma sociedade é considerado como um único homem de quem os indivíduos são os diferentes membros (São Paulo, 1 Coríntios 12). Assim, a multidão de homens que recebem a sua natureza humana de Adão, para ser considerado como uma única comunidade ou melhor, como um único corpo.... Se o homem, cuja privação de justiça inicial é devido a Adão, é considerado como uma pessoa privada, privação esta não é sua "culpa", por um defeito é essencialmente voluntária. Se, entretanto, considerá-lo como um membro da família de Adão, como se todos os homens fossem um só homem, em seguida, participa a sua privação de a natureza do pecado em virtude da sua origem voluntária, que é o verdadeiro pecado de Adão "(De Malo, iv, 1).

It is this law of solidarity, admitted by common sentiment, which attributes to children a part of the shame resulting from the father's crime. É essa lei de solidariedade, admitido pelo sentimento comum, que atribui às crianças uma parte da pena resultante do crime do pai. It is not a personal crime, objected the Pelagians. Não é um crime pessoal, opôs os pelagianos. "No", answered St. Augustine, " but it is paternal crime" (Op. imperf., I, cxlviii). "Não", respondeu Santo Agostinho, "mas é crime paternal" (Op. imperf., I, CXLVIII). Being a distinct person I am not strictly responsible for the crime of another; the act is not mine. Ser uma pessoa distinta eu não sou absolutamente responsável pelo crime de outro, o ato não é meu. Yet, as a member of the human family, I am supposed to have acted with its head who represented it with regard to the conservation or the loss of grace. No entanto, como um membro da família humana, devo ter agido com a cabeça que ele representado no que diz respeito à conservação ou a perda da graça. I am, therefore, responsible for my privation of grace, taking responsibility in the largest sense of the word. Estou, portanto, responsável pela minha privação da graça, assumindo a responsabilidade no sentido mais amplo da palavra. This, however, is enough to make the state of privation of grace in a certain degree voluntary, and, therefore, "without absurdity it may be said to be voluntary" (St. Augustine, "Retract.", I, xiii). Isso, no entanto, é suficiente para tornar o estado de privação da graça em um certo grau de voluntariado, e, portanto, "sem absurdo pode ser dito para ser voluntário" (Santo Agostinho, "Retrate-se.", I, xiii). Thus the principal difficulties of non-believers against the transmission of sin are answered. Assim, a principal dificuldade dos não-crentes contra a transmissão do pecado são respondidas.

"Free will is essentially incommunicable." "O livre-arbítrio é essencialmente incomunicáveis". Physically, yes; morally, no; the will of the father being considered as that of his children. Fisicamente, sim, moralmente, não, a vontade do pai a ser considerada como a de seus filhos. "It is unjust to make us responsible for an act committed before our birth." "É injusto fazer-nos responsáveis ​​por um ato cometido antes do nosso nascimento." Strictly responsible, yes; responsible in a wide sense of the word, no; the crime of a father brands his yet unborn children with shame, and entails upon them a share of his own responsibility. Estritamente responsáveis, sim, responsável no sentido lato da palavra, não, o crime de seu pai marcas ainda nascituros com vergonha, e implica que lhes uma parte de sua própria responsabilidade.

"Your dogma makes us strictly responsible for the fault of Adam." "O dogma nos faz estritamente responsável pela culpa de Adão". That is a misconception of our doctrine. Isso é um equívoco de nossa doutrina. Our dogma does not attribute to the children of Adam any properly so-called responsibility for the act of their father, nor do we say that original sin is voluntary in the strict sense of the word. Nosso dogma não atribuem aos filhos de Adão qualquer responsabilidade propriamente dita para o ato de seu pai, nem dizemos que o pecado original é voluntária, no sentido estrito da palavra. It is true that, considered as "a moral deformity", "a separation from God", as "the death of the soul", original sin is a real sin which deprives the soul of sanctifying grace. É verdade que, considerado como "uma deformidade moral", "a separação de Deus", como "a morte da alma", o pecado original é um verdadeiro pecado, que priva a alma da graça santificante. It has the same claim to be a sin as has habitual sin, which is the state in which an adult is placed by a grave and personal fault, the "stain" which St. Thomas defines as "the privation of grace" (I-II:109:7; III:87:2, ad 3), and it is from this point of view that baptism, putting an end to the privation of grace, "takes away all that is really and properly sin", for concupiscence which remains "is not really and properly sin", although its transmission was equally voluntary (Council of Trent, Sess. V, can. v.). Ele tem a mesma alegação de ser um pecado como o pecado habitual, que é o estado em que um adulto é colocado por uma falha grave e pessoal, a "mancha" que Santo Tomás define como "a privação da graça" (I- II: 109:7; III: 87:2, ad 3), e é a partir deste ponto de vista de que o batismo, pondo fim à privação da graça ", tira tudo o que é realmente e devidamente pecado", para a concupiscência que continua a ser "não é realmente e devidamente pecado", embora a transmissão também era voluntária (Concílio de Trento, Sess. V, pode. v.). Considered precisely as voluntary, original sin is only the shadow of sin properly so-called. Considerado precisamente como pecado, voluntária original é apenas a sombra do pecado propriamente dito. According to St. Thomas (In II Sent., dist. xxv, Q. i, a. 2, ad 2um), it is not called sin in the same sense, but only in an analogous sense. Segundo São Tomás (In II Sent., Xxv dist., Q. i, a. 2, 2um anúncio), ele não é chamado de pecado no mesmo sentido, mas apenas em um sentido análogo.

Several theologians of the seventeenth and eighteenth centuries, neglecting the importance of the privation of grace in the explanation of original sin, and explaining it only by the participation we are supposed to have in the act of Adam, exaggerate this participation. Vários teólogos dos séculos XVII e XVIII, negligenciando a importância da privação da graça na explicação do pecado original, e explicá-lo apenas pela participação que devemos ter no ato de Adão, exagerar essa participação. They exaggerate the idea of voluntary in original sin, thinking that it is the only way to explain how it is a sin properly so-called. Eles exageram a idéia do voluntariado em pecado original, pensando que é a única maneira de explicar como é um pecado propriamente dito. Their opinion, differing from that of St. Thomas, gave rise to uncalled-for and insoluble difficulties. Sua opinião, diferente do de St. Thomas, deu origem ao inoportuno e dificuldades insolúveis. At present it is altogether abandoned. Actualmente, está completamente abandonada.

Publication information Written by S. Harent. Publicação informações escritas por S. Harent. Transcribed by Sean Hyland. Transcrito por Sean Hyland. The Catholic Encyclopedia, Volume XI. A Enciclopédia Católica, Volume XI. Published 1911. Publicado em 1911. New York: Robert Appleton Company. New York: Robert Appleton Companhia. Nihil Obstat, February 1, 1911. Nihil Obstat, 1 de fevereiro de 1911. Remy Lafort, STD, Censor. Remy Lafort, STD, Censor. Imprimatur. Imprimatur. +John Cardinal Farley, Archbishop of New York + John Farley Cardeal, Arcebispo de Nova Iorque


Original Sin, Ancestral Sin Original Sin, Sin Ancestral

Orthodox Church Information Igreja Ortodoxa da Informação

The term Original Sin (or first sin ) is used among all Christian churches to define the doctrine surrounding Romans 5:12-21 and 1 Corinthians 15:22, in which Adam is identified as the man whom through death came into the world. O termo Pecado Original (ou primeiro pecado) é usado entre todas as igrejas cristãs para definir a doutrina em torno Romanos 5:12-21 e 1 Coríntios 15:22, em que Adão é identificado como o homem que, através da morte veio ao mundo. How this is interpreted is believed by many Orthodox to be a fundamental difference between the Eastern Orthodox Church and the Western Churches. Como isso é interpretado é considerado por muitos ortodoxos a ser uma diferença fundamental entre a Igreja Ortodoxa e as Igrejas do Ocidente. In contrast, modern Roman Catholic theologians would claim that the basic anthropology is actually almost identical, and that the difference is only in the explanation of what happened in the Fall. Em contraste, os teólogos católicos que afirmam que a antropologia básica é realmente quase idênticos, e que a diferença está apenas na explicação do que aconteceu na queda. In the Orthodox Church the term ancestral sin (Gr. προπατορικό αμάρτημα) is preferred and is used to define the doctrine of man's "inclination towards sin, a heritage from the sin of our progenitors" and that this is removed through baptism. Na Igreja Ortodoxa, o ancestral pecado prazo (Gr. προπατορικό αμάρτημα) é preferido e é usado para definir a doutrina da progenitores "homem" inclinação para o pecado, uma herança do pecado de nossos e que este é removido através do batismo. St. Gregory Palamas taught that man's image was tarnished, disfigured, as a consequence of Adam's disobedience. São Gregório Palamas ensinou que a imagem do homem foi manchada, desfigurado, como conseqüência da desobediência de Adão.

Discussion Discussões

In the Book of Genesis, Chapter 3, Adam and Eve committed a sin, the original sin . No livro de Gênesis, capítulo 3, Adão e Eva cometeram um pecado, o pecado original. The Eastern Orthodox Church teaches that no one is guilty for the actual sin they committed but rather everyone inherits the consequences of this act; the foremost of this is physical death in this world. A Igreja Ortodoxa ensina que ninguém é culpado pelo pecado real que eles cometeram, mas herda todos as conseqüências deste ato, o principal deste é a morte física neste mundo. This is the reason why the original fathers of the Church over the centuries have preferred the term ancestral sin . Esta é a razão pela qual os pais originais da Igreja ao longo dos séculos têm preferido o termo pecado ancestral. The consequences and penalties of this ancestral act are transferred by means of natural heredity to the entire human race. As conseqüências e penalidades deste ato ancestral são transferidos por meio da hereditariedade natural para toda a raça humana. Since every human is a descendant of Adam then 'no one is free from the implications of this sin' (which is human death) and that the only way to be freed from this is through baptism. Como todo ser humano é um descendente de Adão, em seguida, "ninguém está livre das implicações deste pecado '(que é a morte humana) e que a única maneira de se libertar de tudo isto é através do batismo. While mortality is certainly a result of the Fall, along with this also what is termed "concupiscence" in the writings of St Augustine of Hippo -- this is the "evil impulse" of Judaism, and in Orthodoxy, we might say this is our "disordered passion." Enquanto a mortalidade é certamente um resultado da queda, junto com isso também o que é denominado "concupiscência" nos escritos de Santo Agostinho de Hipona - este é o "impulso do mal" do judaísmo, e na Ortodoxia, podemos dizer que este é o nosso "paixão desordenada." It isn't only that we are born in death, or in a state of distance from God, but also that we are born with disordered passion within us. Não é só que nós nascemos com a morte, ou em um estado de distância de Deus, mas também que nós nascemos com paixão desordenada dentro de nós. Orthodoxy would not describe the human state as one of "total depravity" (see Cyril Lucaris however). Ortodoxia não descreveria o estado humano como um dos "depravação total" (ver Cyril Lucaris entretanto).

Orthodox Christians have usually understood Roman Catholicism as professing St. Augustine's teaching that everyone bears not only the consequence, but also the guilt, of Adam's sin. Os cristãos ortodoxos têm geralmente entendida como professar o catolicismo romano de ensino de Santo Agostinho, que todos os ursos não apenas a consequência, mas também a culpa do pecado de Adão. This teaching appears to have been confirmed by multiple councils, the first of them being the Council of Orange in 529. Esse ensino parece ter sido confirmado por vários conselhos, o primeiro deles sendo o Concílio de Orange em 529. This difference between the two Churches in their understanding of the original sin was one of the doctrinal reasons underlying the Catholic Church's declaration of its dogma of the Immaculate Conception in the 19th century, a dogma that is rejected by the Orthodox Church. Essa diferença entre as duas Igrejas em sua compreensão do pecado original foi uma das razões subjacentes declaração doutrinária da Igreja Católica de seu dogma da Imaculada Conceição, no século 19, um dogma que é rejeitado pela Igreja Ortodoxa. However, contemporary Roman Catholic teaching is best explicated in the Catechism of the Catholic Church , which includes this sentence: ""original sin does not have the character of a personal fault in any of Adam's descendants. No entanto, o ensino católico romano contemporâneo é melhor explicada no Catecismo da Igreja Católica, que inclui a seguinte frase: "o pecado original não tem o caráter de uma falta pessoal em qualquer um dos descendentes de Adão. It is a deprivation of original holiness and justice, but human nature has not been totally corrupted" (§405). É a privação da santidade e da justiça originais, mas a natureza humana não foi totalmente corrompida "(§ 405).

In 2007, the Vatican approved a document called, The Hope of Salvation for Infants Who Die Without Being Baptized . Em 2007, o Vaticano aprovou um documento chamado "A Esperança de salvação para bebês que morrem sem ser batizadas. This document is actually very helpful both in tracing the history of the doctrine of Original Sin within the Roman Catholic Church and in reading a reasonable summary of the teaching of the Greek Fathers. Este documento é realmente muito útil tanto no traçado da história da doutrina do pecado original na Igreja Católica Romana e na leitura de uma síntese razoável do ensinamento dos Padres gregos. While the document deals with infants, nevertheless it must incorporate a doctrine and definition of Ancestral or Original Sin in order to talk about the salvation of infants. Embora o documento trata de bebês, no entanto, deve incorporar uma doutrina e definição de Ancestral ou o pecado original, a fim de falar sobre a salvação das crianças. Among the helpful comments in the document are: Entre os comentários úteis no documento são:

"Very few Greek Fathers dealt with the destiny of infants who die without Baptism because there was no controversy about this issue in the East. Furthermore, they had a different view of the present condition of humanity. For the Greek Fathers, as the consequence of Adam's sin, human beings inherited corruption, possibility, and mortality, from which they could be restored by a process of deification made possible through the redemptive work of Christ. The idea of an inheritance of sin or guilt - common in Western tradition - was foreign to this perspective, since in their view sin could only be a free, personal act. . ." "Muito poucos Padres gregos tratadas com o destino das crianças que morrem sem o Batismo, porque não havia nenhuma controvérsia sobre esta questão no Oriente. Além disso, tinham uma visão diferente da condição atual da humanidade. Para os Padres gregos, como conseqüência da O pecado de Adão, os seres humanos herdaram a corrupção, a possibilidade, e mortalidade, a partir do qual poderia ser restaurado por um processo de deificação possível graças à obra redentora de Cristo A idéia de uma herança de pecado ou culpa -. comuns na tradição ocidental - foi estrangeiras Nessa perspectiva, uma vez que o seu pecado ver só podia ser um acto livre e pessoal... "

"Alone among the Greek Fathers, Gregory of Nyssa wrote a work specifically on the destiny of infants who die, De infantibus praemature abreptis libellum. The anguish of the Church appears in the questions he puts to himself: the destiny of these infants is a mystery, 'something much greater than the human mind can grasp'. He expresses his opinion in relation to virtue and its reward; in his view, there is no reason for God to grant what is hoped for as a reward. Virtue is not worth anything if those who depart this life prematurely without having practiced virtue are immediately welcomed into blessedness. Continuing along this line, Gregory asks: 'What will happen to the one who finishes his life at a tender age, who has done nothing, bad or good? Is he worthy of a reward?' "Sozinho entre os Padres gregos, Gregório de Nissa escreveu uma obra especificamente sobre o destino das crianças que morrem, De infantibus abreptis praemature Libellum A angústia da Igreja aparece nas questões que ele coloca para si mesmo:. Destino dessas crianças é um mistério , algo muito maior do que a mente humana pode compreender "Ele expressa sua opinião em relação à virtude e sua recompensa;. na sua opinião, não há nenhuma razão para que Deus conceda o que se espera como recompensa da virtude não vale nada. . se aqueles que partem desta vida prematuramente, sem ter força praticados são imediatamente acolhidos na bem-aventurança Continuando nesta linha, Gregory pergunta: "O que acontecerá com aquele que termina a sua vida em tenra idade, que não fez nada, bom ou mau? ele é merecedor de uma recompensa? He answers: 'The hoped-for blessedness belongs to human beings by nature, and it is called a reward only in a certain sense'. Enjoyment of true life (zoe and not bios) corresponds to human nature, and is possessed in the degree that virtue is practiced. Since the innocent infant does not need purification from personal sins, he shares in this life corresponding to his nature in a sort of regular progress, according to his capacity. Gregory of Nyssa distinguishes between the destiny of infants and that of adults who lived a virtuous life. 'The premature death of newborn infants does not provide a basis for the presupposition that they will suffer torments or that they will be in the same state as those who have been purified in this life by all the virtues'. Finally, he offers this perspective for the reflection of the Church: 'Apostolic contemplation fortifies our inquiry, for the One who has done everything well, with wisdom (Psalm 104: 24), is able to bring good out of evil'. . . . The profound teaching of the Greek Fathers can be summarized in the opinion of Anastasius of Sinai: 'It would not be fitting to probe God's judgments with one's hands'. . . ." Ele responde: "A esperança da bem-aventurança pertence aos seres humanos por natureza, e é chamado apenas uma recompensa em certo sentido," Prazer da verdadeira vida (bios e zoe) não corresponde à natureza humana, e possui no grau. que a virtude é praticado. Desde que a criança inocente não precisa de purificação dos pecados pessoais, ele compartilha nesta vida correspondente à sua natureza de um tipo de progresso regular, de acordo com sua capacidade. Gregório de Nissa distingue entre o destino de crianças e de adultos que viveram uma vida virtuosa. "A morte prematura de recém-nascidos não fornece uma base para o pressuposto de que eles vão sofrer tormentos ou que eles vão estar no mesmo estado como os que foram purificados nessa vida por todas as virtudes" . Finalmente, ele oferece esta perspectiva para a reflexão da Igreja: "contemplação Apostólica fortalece nossa investigação, por Aquele que fez tudo bem, com sabedoria (Salmos 104: 24), é capaz de trazer o bem do mal '.. .. O profundo ensinamento dos Padres do grego pode ser resumido na opinião de Anastácio do Sinai: "Não seria apropriado para investigar os juízos de Deus com as mãos"....

"The fate of unbaptized infants first became the subject of sustained theological reflection in the West during the anti-Pelagian controversies of the early 5th century. St. Augustine addressed the question because Pelagius was teaching that infants could be saved without Baptism. . . . In countering Pelagius, Augustine was led to state that infants who die without Baptism are consigned to hell. . . . Gregory the Great asserts that God condemns even those with only original sin on their souls; even infants who have never sinned by their own will must go to “everlasting torments”. . . ." "O destino das crianças não batizadas pela primeira vez o tema da reflexão teológica sustentada no Ocidente durante as controvérsias anti-pelagiana do início do século 5. Santo Agostinho abordou a questão porque Pelágio ensinava que as crianças poderiam ser salvas sem batismo.... Na luta contra Pelágio, Agostinho foi levado a afirmar que crianças que morrem sem batismo são expedidos para o inferno Gregório Magno afirma que Deus condena aqueles com apenas o pecado original em suas almas;.... até mesmo crianças que nunca pecaram por sua própria vontade deve ir ao "eterno tormento".... "

"But most of the later medieval authors, from Peter Abelard on, underline the goodness of God and interpret Augustine's - mildest punishment - as the privation of the beatific vision (carentia visionis Dei), without hope of obtaining it, but with no additional penalties. This teaching, which modified the strict opinion of St. Augustine, was disseminated by Peter Lombard: little children suffer no penalty except the privation of the vision of God. . . ." "Mas a maioria dos autores medievais mais tarde, de Pedro Abelardo sobre, sublinhar a bondade de Deus e interpretar Agostinho - mais branda punição - como a privação da visão beatífica (carentia visionis Dei), sem esperança de obtê-lo, mas sem sanções acessórias . Este ensinamento, que modificou o parecer rigoroso de Santo Agostinho, foi divulgada por Peter Lombard: crianças sofrem nenhuma penalidade, exceto a privação da visão de Deus "....

"Because children below the age of reason did not commit actual sin, theologians came to the common view that these unbaptized children feel no pain at all, or even that they enjoy a full natural happiness through their union with God in all natural goods (Thomas Aquinas, Duns Scotus). The contribution of this last theological thesis consists especially in its recognition of an authentic joy among children who die without sacramental Baptism: they possess a true form of union with God proportionate to their condition. . . . Even when they adopted such a view, theologians considered the privation of the beatific vision as an affliction (“punishment”) within the divine economy. . . ." "Porque as crianças abaixo da idade da razão não cometeu pecado real, os teólogos chegaram à opinião comum que estas crianças não batizadas não sinto nenhuma dor em tudo, nem mesmo que desfrutar de uma felicidade plena e natural através de sua união com Deus em todos os produtos naturais (Thomas . Aquino, Duns Scotus) A contribuição desta tese teológica última consiste principalmente no seu reconhecimento de uma autêntica alegria entre as crianças que morrem sem o Batismo sacramental:.... eles possuem uma verdadeira forma de união com Deus, proporcional à sua condição, mesmo quando eles aprovou uma tal perspectiva, os teólogos considerados a privação da visão beatífica como uma aflição ("punição") no âmbito da economia divina.... "

As one continues to read the document, one realizes that there was a swing back towards Saint Augustine's opinion on the 16th century such that it again began to be stated that unbaptized babies go to hell, though only with the mildest of punishments. Como se continua a ler o documento, percebe-se que houve uma oscilação para trás para parecer de Santo Agostinho, no século 16 tal que voltou a afirmar que as crianças não batizadas vão para o inferno, mas apenas com o mais suave dos castigos. By Vatican Council I, opinion has begun to switch away from this hardened a view towards "natural happiness." Pelo Concílio Vaticano I, a opinião começou a mudar longe dessa visão uma endurecida no sentido de "felicidade natural." By the 20th century, it begins to be argued more strongly that unbaptized infants may indeed receive "Christ's full salvation." Por volta do século 20, começa a ser discutido mais fortemente que as crianças não batizadas podem realmente receber "a salvação plena de Cristo." This actually appears to be a partial return towards the Pelagian doctrine that Saint Augustine so hated. Isso realmente parece ser um retorno parcial para a doutrina pelagiana que Santo Agostinho tão odiado.

As one reads the document, one can see that the Eastern and Western Fathers shared the idea that baptism was a necessity for salvation. Como se lê o documento, pode-se ver que os Padres orientais e ocidentais compartilhavam a idéia de que o batismo era uma necessidade para a salvação. However, all the Church Fathers had to deal with the problem of the unbaptized infant, whether of Christian or non-Christian parents, and in dealing with that they let us see their understanding of Ancestral or Original Sin. No entanto, todos os Padres da Igreja teve que lidar com o problema da criança não batizadas, quer de pais cristãos ou não cristãos, e no trato com que vejamos o seu entendimento de ancestrais ou Pecado Original.

In Saint Gregory of Nyssa, one can see what becomes the Eastern thought on Ancestral or Original Sin. Em São Gregório de Nissa, pode-se ver o que se torna o pensamento oriental sobre Ancestral ou Pecado Original. On the one hand, the infant needs no cleansing for personal sins and is thus not to be thought of as one who will be sent to punishment. Por um lado, a criança não precisa de purificação dos pecados pessoais e não está, portanto, ser pensado como aquele que será enviado para sanção. On the other hand, neither has the infant either received baptism or tried to live a virtuous life, so the infant does not merit heaven. Por outro lado, também não tem o bebê seja recebido o batismo ou tentou viver uma vida virtuosa, de modo que a criança não merecem o céu. Yet God is able to bring good out of evil. No entanto, Deus é capaz de trazer o bem do mal. Thus, it is clear in Saint Gregory of Nyssa that Ancestral or Original Sin contains no imputation of personal guilt, but rather a certain damage to the likeness of God, a damage so widespread and deep-seated that one must labor and rely on the overflowing grace of God and the Mysteries in order to begin to conquer the damage inherited from Adam and Eve. Assim, é evidente em São Gregório de Nissa que Ancestral ou Pecado Original não contém qualquer imputação de culpa pessoal, mas sim um prejuízo certo à semelhança de Deus, um dano tão difundido e profundamente arraigada de que um trabalho deve e contar com o transbordamento graça de Deus e dos mistérios, a fim de começar a conquistar o dano herdada de Adão e Eva.

The Roman Catholic doctrine of Ancestral or Original Sin is harder to pin down because of the development and pendulum swings of its development. A doutrina católica romana de Ancestral ou o pecado original é mais difícil de fixar para baixo por causa das oscilações do pêndulo e desenvolvimento do seu desenvolvimento. It is clear from the Vatican's own documents that Ancestral or Original Sin did include both the imputation of the guilt of Adam and Eve's sin and a widespread and deep-seated damage to the imagio dei, at least during a good part of its history. É claro próprios documentos do Vaticano de que ancestrais ou Pecado Original fez incluir tanto a imputação da culpa do pecado de Adão e Eva e danos generalizados e profundos para a imagio dei, pelo menos durante boa parte de sua história. Thus the infant is worthy of punishment in hell according to both Saint Augustine and St. Gregory the Dialoguist. Assim, a criança é digno de punição no inferno de acordo com ambos Santo Agostinho e São Gregório o Dialoguist. In the medievalists, this is ameliorated to a deprivation of the beatific vision, which is still considered a punishment, though the infant will only experience happiness. No medievalistas, este é amenizada com a privação da visão beatífica, que ainda é considerada um castigo, mas a criança só vai experimentar a felicidade. At the time of the Enlightenment, there is a return to a more Augustinian and Gregorian definition of Ancestral or Original Sin. Na época do Iluminismo, há um retorno a uma definição mais agostiniano e Gregoriana de ancestrais ou Pecado Original. But, by the time of Vatican Council I, the change is in full swing, and Ancestral or Original Sin begins to be seen as the deprivation of original holiness. Mas, pelo tempo do Concílio Vaticano I, a mudança está em pleno andamento, e Ancestral ou Pecado Original começa a ser vista como a privação da santidade original. This change in the definition of Ancestral or Original Sin is found in documents such as the aforecited Catechism of the Catholic Church and in the Hope of Salvation document. Esta mudança na definição de ancestrais ou Pecado Original é encontrada em documentos como o Catecismo supracitado da Igreja Católica e na esperança do documento Salvação.


Also, see: Também, veja:
Adam Adam
Eden, Eve Eden, Eve

This subject presentation in the original English language Este assunto apresentação do original em língua Inglês


Send an e-mail question or comment to us: E-mailEnviar e-mail uma pergunta ou comentário para nós: E-mail

The main BELIEVE web-page (and the index to subjects) is at O principal BELIEVE web-page (eo índice de assuntos) está em