Adam

Informações gerais

Segundo a Bíblia, Adão foi o primeiro homem.

Seu nome, que significa "homem", em hebraico, provavelmente é derivado da palavra hebraica para "terra".

Os três primeiros capítulos do Gênesis referem que Deus criou Adão do pó, respirava na vida dele, e colocou-o no Jardim do Éden, onde viveu com sua esposa, Eva, até que comeu o fruto proibido da árvore do conhecimento do bem E do mal.

A Bíblia conta é semelhante ao egípcio e Mesopotâmia contas, em que o primeiro homem era feita de barro, infundido com a vida de um ser divino, e colocados em um paraíso do prazer.


Adam

Informações avançadas

Adam, vermelho, uma palavra Babilónia, o nome genérico para o homem, tendo o mesmo significado em hebraico e as línguas assírio.

Ele foi o nome dado ao primeiro homem, cuja criação, a queda, e subsequente história e dos seus descendentes que são detalhados no primeiro livro de Moisés (Gen. 1:27-ch. 5).

"Deus criou o homem [Hb., Adam] em sua própria imagem, à imagem de Deus o criou ele; macho e fêmea criou-lhes ele."

Adam era absolutamente o primeiro homem a quem Deus criou.

Ele foi formado a partir do pó da terra (e, por conseguinte, o seu nome), e Deus respirava na presente narinas o sopro da vida, e lhe deu o domínio de todas as criaturas inferiores (Gen. 1:26; 2:7).

ACREDITO
Religioso
Informações
Fonte
web-site
Religioso
Informações
Fonte
web-site

Nossa lista de 2300 Assuntos Religiosos
E-mail
Ele foi colocado após a sua criação no Jardim do Éden, para cultivar-la, e para desfrutar seus frutos no âmbito do presente uma proibição: "É a árvore do conhecimento do bem e do mal que tu não deverás comer dela; para o dia em que tu Eatest dele tu deverás certamente morrer ".

O primeiro ato de Adão foi gravado dando o seu nome ao bestas do campo e as aves do céu, que Deus trouxe a ele para esse fim.

Posteriormente, o Senhor causou um profundo sono a cair sobre ele, e ao mesmo tempo em um estado inconsciente tomou uma das suas costelas, e fechou-se novamente a sua carne, e desta costela fez uma mulher, a quem ele apresentou a ele quando acordou.

Adam recebeu dela como sua esposa, e disse: "Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne: ela será chamada mulher, porque ela foi retirada do Homem."

Ele chamou seu Eva, porque ela era a mãe de todos os que vivem.

Sendo induzida pelo tentador, sob a forma de uma serpente de comer o fruto proibido, Eva persuadiu Adão, e ele também fez comer.

Assim, o homem caiu, e trouxe sobre si próprio e à sua descendência todas as tristes consequências da sua transgressão.

A narrativa da Queda englobando em que a grande promessa de um Deliverer (Gen. 3:15), o "primeiro evangelho" mensagem para o homem.

Eles foram expulsos do Éden, e no leste do jardim Deus colocou uma chama, o que transformou todos os sentidos, para impedir o acesso à árvore da vida (Gen. 3).

Por quanto tempo eles estavam no Paraíso é questão de mera conjectura.

Pouco depois da sua expulsão Eve surgiu seu primeiro-nascido, e pediu-lhe Caim.

Ainda temos os nomes de apenas três dos filhos de Adão, viz., Caim, Abel, e Seth ainda é óbvio que ele teve vários filhos e filhas (Gen. 5:4).

Ele morreu com idades compreendidas entre os 930 anos.

Adams e Eva foram os progenitores de toda a raça humana.

Evidências de variados tipos são abundantes para demonstrar a unidade do género humano.

As investigações da ciência, totalmente independente da evidência histórica, levam à conclusão de que Deus "fez de um sangue todas as nações dos homens, para habitar em toda a face da terra" (Atos 17:26. Comp. Rom. 5: 12-12; 1 Cor. 15:22-49).

(Easton Dicionário Ilustrado)


Adam

Informações avançadas

A palavra hebraica transliterados "Adam" encontra-se cerca de 560 vezes no OT.

Na esmagadora maioria dos casos, significa "homem" ou "humanidade".

Isto é verdade para algumas das referências no início do Gênesis (na criação e Eden histórias), e muitos académicos que mantenha até Gen. 4:25 todas as ocorrências de "Adam" deve ser entendida para referir-se a "homem" ou "O homem".

Mas não há dúvida de que o escritor de vez em quando usado a palavra como o bom nome do primeiro homem, e é com esse recurso que estamos preocupados.

É encontrado fora Genesis em 1 Chr.

1:1 e eventualmente em outras passagens, como Deut.

32:8 (onde "os filhos dos homens" pode ser entendido como "os filhos de Adão"), e, em algumas passagens importantes NT.

Adam OT no ensino

Dizem-nos que Deus criou o homem ", na sua própria imagem", e que ele os criou "macho e fêmea" (Gen. 1:27), declarações feitas sobre qualquer outra criatura.

O homem foi ordenado o "ser frutífero e multiplicar, e encher a terra e submeter-la" (Gen. 1:28).

Ele não era para ser ocioso, mas foi dada a missão de tendência no Jardim do Éden.

Ele foi proibido de comer "da árvore do conhecimento do bem e do mal" (Gen. 2:15-17).

O homem foi dado o privilégio de nomear todos os animais (Gen. 2:20), mas não adequadas para ajudar ele foi encontrado entre eles, por isso Deus fez mulher de uma costela tirada do corpo do homem (Gen. 2:21-23 ).

A serpente beguiled a mulher em Deus quebra do comando não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, e, em seguida, ela convenceu o marido a fazer o mesmo.

Eles foram punidos por serem expulsos do jardim, e, além disso, a mulher estava a sentir dor no parto e estar sujeita a seu marido, enquanto Adam iria encontrar o terreno para que ele teria amaldiçoado, brotar espinhos e thistles e ele teria que trabalham Arduamente todos os seus dias (Gen. 3).

Mas maldição não é tudo, há a promessa de um Deliverer que irá esmagar a serpente (Gen. 3:15).

Dizem-nos o nascimento de dois filhos de Adão, Caim e Abel; de Caim do assassinato de Abel (Gen. 4:1-16), e do nascimento de Seth (Gen. 4:25).

O significado dessas passagens é contestado.

Alguns estudiosos OT que eles são mito primitivo, dando início ao homem respostas a tais perguntas como "Por que as cobras falta pernas?"

Ou "Porque é que os homens morrem?"

Outros vê-los como mitológica, mas como expressão de verdades permanente validade preocupada com a origem do homem ea Constituição ou, como outros titulares, com "uma queda para cima".

Esta última opinião vê o homem como inicialmente não mais do que um dos animais.

Nesta etapa ele não podia mais pecado do que qualquer outro animal poderia.

Foi nesse sentido um importante passo em frente, quando o homem se tornou consciente de que ele estava fazendo algo tão errado.

Mas é altamente duvidoso que o escritor tinha em mente qualquer dessas idéias.

É evidente que ele pensou em Adão e Eva como os primeiros pais da raça humana, e ele está a dizer-nos de Deus do que aqueles efeitos em quem ele tinha respirava "o sopro da vida" deve viver em comunhão com ele.

Mas Adão e Eva desceu de seu estado original blissful como resultado de seu primeiro pecado.

E que o pecado tem consequências para toda a contínua raça humana.

Em tempos mais tarde a magnitude da queda por vezes tem sido salientado por afirmando que Adão foi inicialmente dotado com maravilhosos dons sobrenaturais, perdido quando ele pecou (no Sir. 49:16 Adam é homenageado "acima cada ser vivo da criação"; cf. Medieval sobre o stress Adam's graças sobrenaturais).

Mas isso é especulação.

A criação narrativas dizer-nos, pelo menos, que o homem está relacionado com o resto da criação (ele é feito ", de poeira do chão", Gen. 2:7; para a besta e os pássaros cf. X 19), e que ele Também está relacionado com Deus (ele é "à imagem de Deus", Gen. 1:27; cf. 2:7).

Ele tem "domínio" sobre a criação inferior (Gen. 1:26, 28), e esta é simbolizada pela sua nomeação das outras criaturas.

A queda passagem fala da gravidade de seus pecados e de seus efeitos permanentes.

Este não é um tema para o qual não há referência freqüente no OT, mas tudo está subjacente.

É um pressuposto fundamental de que o homem é um pecador, e isto marca fora da literatura dos hebreus de outras literaturas da Antigüidade.

A solidariedade com os seus descendentes de Adão é no fundo toda a OT escritos, como é o pensamento que existe uma conexão entre o pecado ea morte.

Quaisquer que sejam os problemas este representa para os expositores moderna, não pode haver dúvidas quanto ao facto de os OT assume uma perspectiva de faltas graves ou que o pecado é visto como parte da natureza do homem.

Adam em Intertestamental NT e Pensamento

Durante o período intertestamental existem algumas impressionante manifestação de solidariedade para com Adão, como Ezra's apaixonado exclama: "Ó Adão, o que você tem feito? Para entanto, foi você quem pecou, a queda não foi o seu sozinho, mas nós também quem são seus Descendentes "(II Esd. 7:48 [118]; cf. 3,21; 4:30; Wis. 2:23-24, a culpa é atribuída à Véspera de Sir. 25:24).

Adam era visto não como um pecador solitário, mas como alguém que influenciou toda humanidade.

No NT Adão é mencionado no Luke's genealogy (Lucas 3:38), e em uma referência semelhante na Jude, onde Enoch é "o sétimo de Adão" (Jude 14).

Little precisa ser dito sobre estas passagens.

Eles simplesmente mencionar o nome de Adão para localizá-lo no seu lugar genealógica.

Existe talvez uma referência implícita à Adão, mas sem menção de seu nome (Matt. 19:4-6; Mark 10:6-8).

Em seguida, há três importantes passagens com teológica importação (1 Tim. 2:13-14; Rom. 5:12-21; 1 Cor. 15:22, 45).

Em 1 Tim.

2:13-14 subordinado ao lugar de mulher é argumentar a partir de dois fatos: (1) Adam foi criado em primeiro lugar, e (2) Eva foi embora Adão não foi enganado.

Esta passagem pressupõe que o Genesis notícias dizer-nos algo de importância permanente sobre todos os homens e mulheres.

Romanos 5 sublinha a ligação da humanidade em geral com Adam.

Foi por meio de um homem que o pecado entrou no mundo, e por consequência dos seus pecados era a morte.

Isso aconteceu muito antes de a lei foi dada, por isso a morte não pode ser colocada a lei estabelece-quebra.

E embora as pessoas não o pecado, da mesma forma que Adão, que foram capturados no consequências do pecado: "a morte reinou de Adão a Moisés" (Rom. 5:12-14).

Isso traz Paul ao pensamento que Adão era um "tipo" de Cristo, e ele vai para uma sustentada comparação do que Adão fez com que Cristo fez.

Existem resemblances, principalmente na medida em que ambos atuaram representativa, para que cada um fez o que tem consequências incalculáveis para aqueles que ele dirige.

Mas as diferenças são mais significativas.

Adam's pecado trouxe a morte ea condenação de todos; é feita pessoas pecadores.

Quando entrou em lei, que só aumentou a invadir.

Ele mostrou-se pecado para o que era.

O resultado final é desastre.

Em contrapartida Cristo trouxe vida e absolvição; tais palavras como "oferta gratuita", "graça", e "justificação" sublinhar o significado da morte de Cristo.

O resultado final é bênção.

Paul conclui pela contrastantes o reinado de pecado na morte com o reinado da graça "através da justiça para a vida eterna através de Jesus Cristo, nosso Senhor."

Em Paul's magnífico tratamento da ressurreição lemos: "Tal como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos devem ser feitas viva" (1 Cor. 15:22).

O pensamento não é diferente no que Rom.

5. Adam era o chefe da corrida e trouxe morte a todos na mesma; Cristo é a cabeça da nova humanidade e trouxe vida para todos dentro dela.

Alguns argumentaram que os dois usos de "todos" deve referir-se à mesma totalidade, a todo o género humano.

Não há dúvida, mas que este é o sentido em relação a Adam.

O argumento de que é executado de forma semelhante Cristo levanta todos os Sepultura, embora algumas sejam levantadas apenas pela condenação.

No entanto, "feita vivo" parece significar mais do que "levantou a enfrentar julgamento."

É provavelmente a melhor compreender "feita vivo" para se referir a vida eterna, para que "todos" vai significar "todos os que estão em Cristo."

Todas estas serão feitas vivo, assim como todos os que estão em Adão morrem.

Um pouco mais tarde Paul escreve ", o primeiro homem Adão tornou-se um ser vivo", o último Adão tornou-se uma vida-dando espírito "(I Cor. 15h45).

Adam se tornou "um ser vivo", quando Deus respirava na vida dele (Gen. 2:7).

Vida física foi toda a vida Adam tinha tudo o que podia e legar aos seus descendentes.

Mas "o último Adam" deu vida na plena acepção, a vida eterna.

Mais uma vez, há o pensamento que Cristo cancela para fora o mal Adam fez.

Mas a ênfase não é negativo.

É sobre a vida Cristo dá.

O escritural utilização de Adão, em seguida, salienta a solidariedade da raça humana, a solidariedade no pecado.

Ele lembra-nos que a raça humana teve um começo e que toda a sua história, desde o primeiro é marcada pelo pecado.

Mas "o último Adam" tudo o que tenha alterado.

Ele foi substituído com retidão pecado e da morte com a vida.

L Morris

(Elwell Evangélica Dictionary)

Bibliografia


CK Barrett, De Primeira Adam a última; K. Barth, Cristo e Adam; BS

Childs, BID, I, 42-44; WD Davies, Paul e Rabbinic judaísmo; J. Jeremias, TDNT, I, 141-43; A. Richardson, Uma Introdução à Teologia da NT; H. Seebass, NIDNTT, 1 , 84-88; AJM Weddeburn, IBD, I, 14-16.


Adam

Informações avançadas

Ad'am, um tipo.

O apóstolo Paulo fala de Adão como "a figura de quem estava por vir."

Relativamente a esta conta o nosso Senhor é muitas vezes chamado o segundo Adão.

Esta relação é típica descrita no Rom.

5:14-19.

(Easton Dicionário Ilustrado)

A última Adam

Informações avançadas

Em I Cor..

15:45 Paul refere-se a Jesus Cristo como "o último Adam" (ho eschatos Adam), em contraste com "o primeiro homem Adam" (ho protos anthropos Adam).

Neste antithetic paralelism existe uma continuidade da humanidade, mas a segunda pessoa que representa a nova humanidade até agora supera o primeiro que ele é descrito como aquele que se tornou um ativo "vida-dando espírito" (pneuma zoopoioun), em que o original Adam (Gen. 2:7) só se tornou "um ser vivo natural" (psychen zosan).

O contraste é agravada por Paul's apontou antithetic estilo, definindo como Adam contra Cristo em I Cor..

15:46-49:

Primeiro Adam 46: "natural" (psychikon) 47: "o primeiro homem" (ho protos anthropos) "da terra, de poeira" (ek ges, choikos) 48: "como era o homem do pó, por isso são aqueles que São de poeira "(hoios ho choikos, toioutoi kai hoi choikoi) 49:" como temos assumido a imagem do homem do pó "(kathos ephoresamen dez eikona tou choikou)

Segundo Adam 46: "espirituais" (pneumatikon) 47: "o segundo homem" (deuteros ho anthropos) "do céu" (ex ouranou) 48: "como é o homem do céu, por isso são aqueles que são do céu" (hoios Ho epouranios, toioutoi kai hoi epouranioi) 49: "vamos também ostentar a imagem do homem do céu" (phoresomen kai dez eikona tou epouraniou)

O mesmo contraste também foi feito anteriormente em I Cor..

15:21-22 e relacionada com a morte e ressurreição:

Primeiro Adam 21: "uma vez por um homem veio a morte" (epeide gar di 'antropou thanatos) 22: "Pois como em Adão todos morrem" (hosper gar en de Adam pantes apothneskousin)

Segundo Adam 21: "assim também por um homem veio a ressurreição dos mortos" (kai di 'anthropou anastasis nekron) 22: "assim também em Cristo todos devem ser feitas viva" (houtos kai en de Christo pantes zoopoiethesontai)

O contraste é expressa novamente em Rom.

5:14-19, onde Paul descreve a primeira Adam como segue: desobediência, invadir, julgamento, condenação, morte, muitos = todos.

Mas Jesus Cristo é o segundo Adão é descrito nos seguintes termos antithetic: obediência, graça, dom gratuito, justificação, absolvição, retidão, a vida, muitos / todos.

O poderoso efeito de Cristo como o segundo Adão é resumir-se em uma das expressões favoritas Paul's, "quanto mais" (pollo mallon, 5:15, 17 e 8, 10), o que torna explícito o cristológico implicações do "como Muito mais "em Jesus própria proclamação (Matt. 6:30, 7:11).

Estas ideias também podem ser encontradas em João 5:21-29; Rom.

1:3-5; 6:5-11; II Cor.

5:1-4, 17; Phil.

2:5-11.

RG Gruenler


Elwell Evangélica Dictionary

Bibliografia


CK Barrett, De Adam a última; O. Cullmann, o Christology do NT; R. Scroggs, O Último Adam; WD Davis, Paul e Rabbinic judaísmo.


Adam

Católica Informação

O primeiro homem, o pai da raça humana.

Etimologia e uso da palavra

Não há uma pequena divergência de opiniões entre estudiosos semitas quando elas tentam explicar o etymological significação do hebraico adam (que com toda a probabilidade foi originalmente usado como uma plataforma comum, em vez de um nome próprio), e até agora nenhuma teoria parece ser plenamente Satisfatória.

Uma das causas da insegurança no assunto é o fato de que a raiz adam como significando "homem" ou "homem" não é comum a todas as línguas semitas, embora, naturalmente, o nome for aprovado por eles em traduções do Antigo Testamento.

Como um termo indígena com o significado acima, que ocorre somente no fenícia e Sabean, e provavelmente também no Sírio.

Em Gênesis 2:7, o nome parece estar relacionado com a palavra ha-adamah ( "no terreno"), caso em que o valor do termo seria para representar o homem (ratione material), como earthborn, sensivelmente o mesmo que em Latina, onde a palavra homo é suposto ser carnais com húmus.

É um facto geralmente reconhecido que a etymologies proposto nas narrativas que compõem o livro de Gênesis são muitas vezes divergentes e nem sempre philologically corretas e, embora a teoria (fundada em Gênesis 2:7) que liga adam com adamah tem sido defendido por Alguns estudiosos, é, actualmente, geralmente abandonada.

Outros explicar o termo como significando "ser vermelha", um sentimento que a raiz ursos em várias passagens do Antigo Testamento (por exemplo, Genesis 25:50), como também em árabe e Ethiopic.

Nesta hipótese o nome que parece ter sido originalmente aplicado a um distinto vermelho ou ruddy corrida.

Neste contexto Gesenius (Thesaurus, sv, p. 25) que as observações sobre os monumentos antigos do Egipto a figuras humanas representando egípcios estão constantemente retratada em vermelho, enquanto que os permanentes para outras raças são negros ou de qualquer outra cor.

Algo semelhante a esta explicação é revelada no Sírio expressão çalmât qaqqadi, ou seja, "a preto-cabeças", que é frequentemente utilizado para designar os homens em geral.

(Cf. Delitsch, Assyr. Handwörterbuch, Leipzig, 1896, p. 25.) Alguns escritores combinar essa explicação com o precedente, e atribuir à palavra adam o duplo significado de "terra vermelha", acrescentando, portanto, a noção de homem's Material origem uma conotação da cor da terra a partir da qual ele foi formado.

Uma terceira teoria, o que parece ser a predominante um momento (cf. Pinches, o Antigo Testamento na Luz dos Registros históricos e Legends of Assyria e Babilônia, 1903, pp. 78, 79), explica a raiz adam como significando "A fazer", "para produzir", conectando-o com o Sírio adamu, o significado do que é provavelmente "para construir", "para construir", descem adam significaria "homem", quer no sentido passivo, como fez, produziu , Criada, ou no sentido ativo, como um produtor.

No Antigo Testamento a palavra é usada tanto como substantivo comum e uma adequada, e na antiga aceitação que tem diferentes significados.

Assim, em Gênesis 2:5, é empregado para designar um ser humano, homem ou mulher; raramente, como em Gênesis 2:22, que significa homem em oposição a mulher, e, finalmente, que por vezes fica para a humanidade coletivamente, como em Gênesis 1:26.

O uso do termo, como um bom assim como um substantivo comum, é comum a ambas as fontes designadas nos círculos críticos como P e J. Assim, na primeira narrativa da Criação (P), a palavra é usada com referência ao Produção da humanidade em ambos os sexos, mas, em Gênesis 5:14, que pertence à mesma fonte, também é tida como um bom nome.

De forma similar, segundo conta da criação (J) fala do "homem" (ha-adam), mas mais tarde, (Gênesis 4:25), o mesmo documento emprega o termo como um nome próprio, sem o artigo.

ADAM no velho testamento

Praticamente todas as informações relativas ao Antigo Testamento Adam e os primórdios da raça humana está contida na abertura capítulos do Gênesis.

Em que medida esses capítulos deve ser considerada como estritamente histórico é uma questão muito disputada, a discussão de que não caiam no âmbito do presente artigo.

Atenção, no entanto, deve ser chamado para o facto de que a história da Criação é dito por duas vezes, viz.

No primeiro capítulo e, no segundo, e que, embora exista um acordo substancial entre as duas contas existe, não obstante, uma considerável divergência no que se refere à fixação da narrativa e os detalhes.

Foi o costume de escritores que foram loath a reconhecer a presença de fontes independentes ou documentos no Pentateuch para explicar o facto de esta dupla narrativa por dizer que o escritor sagrado, tendo estabelecido sistematicamente no primeiro capítulo das sucessivas fases do Criação, volta ao mesmo tema, no segundo capítulo, a fim de acrescentar mais alguns detalhes especial no que se refere à origem do homem.

Deve ser concedido, no entanto, que muito poucos estudiosos dos dias atuais, até mesmo entre os católicos, estão satisfeitos com esta explicação, e que entre os críticos de todas as escolas, há uma forte preponderância de opinião no sentido de que estamos aqui em presença de Um fenómeno bastante comum na Oriental histórico composições, viz.

Justaposição ou a combinação de duas ou mais independente documentos mais ou menos perto soldados juntos pela historiographer, entre os semitas, que é essencialmente um compilador.

(Ver Guidi, L'historiographie chez les Sémites na Revue biblique, Outubro, 1906.) As razões em que se baseia esta opinião, assim como os argumentos daqueles que se opõem, pode ser encontrado em Dr. Gigot Especial da Introdução à O Estudo do Antigo Testamento, Pt.

I. Basta mencionar aqui que um semelhante repetição dos principais eventos narrado é claramente visível ao longo de todo o histórico porções do Pentateuch, e mesmo dos livros mais tarde, como Samuel e de Reis, e que a inferência extrair deste fenómeno constante É confirmado não só pela diferença de estilo e perspectiva característica do duplicado narrativas, mas também pelas divergências e antinomias que geralmente apresentam.

Seja como for, será pertinente para efeitos do presente artigo para analisar as principais características da dupla Criação narrativa, com especial referência à origem do homem.

Na primeira conta (Ch. i, ii, 4a) precisam eles de uma é representada como a criação de diferentes categorias de seres em dias sucessivos.

Assim, o reino vegetal é produzido no terceiro dia, e, depois de ter fixado o sol ea lua no firmamento do céu, no quarto, no quinto dia Deus cria os seres vivos da água e as aves do céu, que recebem uma especial Bênção, com o comando para aumentar e multiplicar.

Sobre o sexto dia precisam eles de uma cria, em primeiro lugar, todos os seres vivos e bestas da terra e, então, nas palavras do sagrado narrativa,

Ele disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança: e deixar que ele tenha domínio sobre os peixes do mar, e as aves do céu, e as bestas, e toda a terra, e todos os que moveth insidiosa criatura sobre a terra .

E Deus criou o homem à sua própria imagem: a imagem de Deus criou-lhe: macho e fêmea ele os criou.

Depois, segue a bênção acompanhado do comando para aumentar e encher a terra e, finalmente, o reino vegetal é que lhes é atribuído pelos alimentos.

Considerado isoladamente, essa conta da Criação deixa margem para dúvidas quanto ao facto de a palavra adam, "homem", aqui empregada foi entendida pelo escritor como designando um indivíduo ou da espécie.

Determinadas indicações se afigura a favor deste último, por exemplo,

Do contexto, uma vez que as criações sem dúvida consulte previamente gravada para a produção não de um indivíduo ou de um par, mas de grande número de indivíduos pertencentes às diversas espécies, o mesmo no caso do homem poderia ainda ser inferida a partir da expressão ", Macho e fêmea criou-los. "

No entanto, uma outra passagem (Gênesis 5:15), que pertence à mesma fonte que esta primeira narrativa e repete em parte dele, complementa a informação contida no último e oferece uma chave para a sua interpretação.

Nesta passagem, que contém a última referência do chamado sacerdotal documento para Adam, lemos que Deus

Criou-os machos e fêmeas.

. . E chamou seu nome adam, no dia em que eles foram criados.

E continua o escritor:

E Adam viveu uma centena e trinta anos, e begot um filho à sua própria imagem e semelhança, e chamou o seu nome Seth.

E os dias de Adão, depois que ele begot Seth, oito cem anos e ele begot filhos e filhas.

E todo o tempo que viveu Adam veio a novecentos e trinta anos, e ele morreu.

Aqui evidentemente adam ou o homem da Criação narrativa é identificada com um determinado indivíduo, e consequentemente o plural formas que possam causar dúvidas estão a ser entendida com referência ao primeiro par de seres humanos.

Em Gênesis, ii, 4b-25, temos aquilo que é aparentemente uma nova e independente narrativa da Criação, e não uma mera ampliação da conta já dada.

O escritor verdade, sem parecera pressupõem nada previamente gravada, remonta à época em que não havia ainda nenhuma chuva, nenhuma planta ou besta do campo; e, ao mesmo tempo que a terra é ainda um estéril, resíduos vida, o homem é formado a partir da Poeira por Yahweh, que anima-lo por respirar em seu narinas o sopro da vida.

Como estas condições estão longe de ser interpretado literalmente ou figurativamente, e se a criação do primeiro homem, directa ou indirecta, ver GENESIS, CRIAÇÃO, MAN.

Assim, a criação do primeiro homem, em vez de ocupar o último lugar, como acontece na escala ascendente da primeira conta, é colocada antes da criação das plantas e dos animais, e estas são representados como tendo sido produzidos posteriormente, a fim de satisfazer o do homem Necessidades.

O homem não é comissionado a dominar toda a terra, como no primeiro narrativa, mas está definido para cuidar do Jardim do Éden com permissão para comer dos seus frutos, com exceção de que a árvore do conhecimento do bem e do mal, e os Formação da mulher como um helpmeet para o homem é representado como um segundo por parte de Yahweh no reconhecimento da incapacidade do homem para encontrar adequadas companheirismo na criação bruta.

No anterior conta, após cada etapa progressiva "Deus viu que era boa", mas aqui Yahweh percebe, por assim dizer, que não é bom que o homem esteja só, e ele avança para suprir a carência por fashioning a mulher Eve A partir da costela do homem enquanto ele está em um sono profundo.

De acordo com a mesma narrativa, que vivem na inocência infantil até Eve é tentado pela serpente, e que ambos participam do fruto proibido.

Eles, assim, tornar-se consciente do pecado, incorrer o desagrado de Yahweh, e porque eles devem comer da árvore da vida e tornar-se imortal, eles são expulsos do Jardim do Éden.

Doravante seu lote, deve ser um dos dor e sofrimento, eo homem está condenado à toilsome tarefa de ganhar o seu sustento de um solo, que por sua conta foi amaldiçoado com barrenness.

O mesmo documento dá-nos alguns pormenores relacionados com os nossos primeiros pais após a queda, viz.: O nascimento de Caim e Abel o fratricide, e do nascimento de Seth.

A outra narrativa, que parece nada sabem de Caim e Abel, menciona Seth (Capítulo v, 3), como se fosse o primeiro nascido, e acrescenta que, durante os oito cem anos após o nascimento de Seth Adam procria filhos e filhas.

Não obstante as diferenças e divergências perceptíveis nas duas contas de origem das, humanidade, não obstante as narrativas são substanciais no acordo, e na estima da maioria dos estudiosos que são explicadas mais fácil e reconciliada, se consideradas como representando duas tradições variando entre os hebreus -- Tradições, que em diferentes formas e encarna o cenário central mesmíssimos factos históricos, juntamente com uma apresentação mais ou menos symbolical de certas verdades morais e religiosas.

Assim, em ambas as contas homem é claramente distinto de, e tornou dependente, o Deus Criador; ele ainda está conectado diretamente com ele através do acto criativo, com exclusão de todos os seres intermediário ou demigods tais como são encontrados nas diversas heathen mitologias.

Esse homem fora todas as outras criaturas partakes da perfeição de Deus é manifestado na primeira narrativa, em que ele é criado à imagem de Deus, a que corresponde o outro em conta o igualmente importante figura de homem recebendo sua vida a partir do Sopro de Yahweh.

Esse homem, por outro lado, tem algo em comum com os animais é uma implícita no caso em sua criação no mesmo dia, e no outro pela sua tentativa, mas ineficaz, para encontrar entre eles um bom companheiro.

Ele é o senhor ea coroa da criação, como está claramente expresso na primeira conta, em que a criação do homem é o clímax de Deus sucessivas obras, e onde a sua supremacia está explicitamente indicado, mas o mesmo está implícito não menos claramente no Segundo narrativa.

Tal facto pode ser a importância da colocação do homem antes que a criação dos animais e plantas, mas, no entanto, que pode ser, os animais e as plantas são claramente criado pela sua utilidade e benefício.

Mulher é introduzido como secundário e subordinado ao homem, embora idênticos com ele na natureza, bem como a constituição de uma única mulher de um único homem implica a doutrina da monogamia.

Além disso, o homem foi criado inocente e bom; pecado foi ter com ele sem partir, e foi rapidamente seguido por uma severa punição que afectam não só os culpados par, mas os seus descendentes e outros seres tão bem.

(Cf. Bennett em Hastings, Dict. Da Bíblia, sv) As duas contas estão, portanto, praticamente ao mesmo no que se refere à finalidade didática e ilustração, e é sem dúvida a este recurso que devemos juntar os seus principais significância.

É quase necessário para observação de passagem que o loftiness da doutrina e ética verdades aqui enunciados lugar a narrativa bíblica incomensuravelmente superior à extravagante Criação notícias atuais entre as nações pagãs da antiguidade, embora alguns deles, nomeadamente a Babilónia, suportar um maior Ou menos impressionante semelhança com ele no formulário.

À luz dessa doutrina e moral excelência, a questão da estrita carácter histórico da narrativa, no que diz respeito ao âmbito e pormenores, torna-se de importância relativamente pequena, sobretudo quando recordamos que na história como concebida pela bíblico outros autores, como Bem como por escritores semitas em geral, a apresentação e disposição dos factos - e mesmo a sua totalidade papel - é habitualmente feita subordinado à exigências de uma preocupação didática.

No que se refere às fontes extra-bíblicas que jogue luz sobre o Antigo Testamento narrativa, é sabido que o hebraico conta da Criação encontra um paralelo na Babilónia tradição como revelado pelo cuneiform escritos.

Está fora do âmbito de aplicação do presente artigo para discutir as relações de dependência histórica geralmente admitido que existe entre os dois cosmogonies.

Basta dizer no que se refere à origem do homem, que embora o fragmento da "Criação Epic", que é suposto contê-lo, não foi encontrado, no entanto, há boas razões para supor independente que pertenceu inicialmente à tradição Consubstanciado no poema, e que deve ter ocupado um lugar no último logo após o dado conta da produção das plantas e dos animais, como no primeiro capítulo de Gênesis.

Entre as razões para esta suposição são:

O Divino admoestações dirigidas aos homens depois da sua criação, no final do poema;

A conta de Berosus, que menciona a criação do homem por um dos deuses, que misturada com argila o sangue que fluiu das cabeças cortadas de Tiamat; um não-semita (ou pré-semita) conta traduzido por Pinches partir de um texto bilíngüe E, o que é Marduk disse ter feito homem, com a cooperação da deusa Aruru.

(Cf. enciclopédia Biblica, art. "Criação", também Davis, Genesis e semitas Tradição, pp. 36-47.) No que se refere à criação de Eva, não tem paralelo até à data sido descobertos entre os registros fragmentários da Babilónia criação story .

O que conta, tal como está no Gênesis, não é para ser tomado literalmente como descritiva do fato histórico foi a opinião de Orígenes, de Caetano, e que é agora mantido por tais estudiosos como Hoberg (1899, p. 36) e von Hummelauer (Comm. em Genesim, pp. 149 sqq.).

Estes e outros escritores ver nesta narrativa o registro de uma visão do futuro e symbolical análoga à que vouchsafed a Abraão (Gênesis 15:12 sqq.), Bem como de São Pedro em Joppe (Atos 10:10 sqq.).

(Veja Gigot, Especial Introdução ao Estudo do Antigo Testamento, pt. I, p. 165, sqq.)

Referências para Adão como um indivíduo na tarde Antigo Testamento livros são muito poucas, e que acrescentam nada à informação contida no Gênesis.

Assim, o nome fica sem comentário, o chefe da genealogias no início da I Paralipomenon; é igualmente mencionada no Tobias, viii, 8; Osee, vi, 7; Ecclus., Xxxv, 24, etc O hebraico adam ocorre em Várias outras passagens, mas no sentido de homem ou humanidade.

A menção de Adam no Zacharias, xiii, 5, de acordo com a versão Douay e os Vulgate, é devido a um mistranslation do original.

ADAM no novo testamento

No Novo Testamento referências a Adão como um personagem histórico ocorrer apenas em algumas passagens.

Assim, no terceiro capítulo do Evangelho de São Lucas a genealogia do Salvador é rastreada até "Adão, que era de Deus".

Este prolongamento da linhagem terrena de Jesus além Abraão, que constitui o ponto de partida em São Mateus, é, sem dúvida devido à maior espírito universal e simpatia característica do nosso terceiro Evangelista, que escreve, não tanto do ponto de vista da profecia judaica e expectativa Como para a instrução dos recrutas Gentile ao cristianismo.

Outra menção histórica do pai da raça é encontrada na epístola de Judas (versículo 14), onde está inserida uma citação do livro de Enoch apócrifos, que, em vez de dizer estranho, é atribuído ao patriarca antediluvian desse nome, "O sétimo de Adão".

Mas o mais importante são as referências a Adam encontrados no Epistles de São Paulo.

Assim, em 1 Timothy 2:11-14, o Apóstolo, depois que estabelece determinadas regras práticas referindo-se à conduta da mulher, nomeadamente no que se refere ao público culto, e inculcating o dever de subordinação ao outro sexo, faz uso de um argumento de peso Dos quais recai mais sobre os métodos lógicos atuais no momento do que ao seu valor intrínseco como apreciado pelos modernos mente:

Para Adão foi formado primeiro e, então Eve.

E Adão não foi seduzido, mas a mulher a ser seduzido, foi na transgressão.

Uma linha de argumentação semelhante é perseguido em I Cor., Xi, 8, 9.

Mais importante é a doutrina teológica formulada por São Paulo na epístola aos Romanos, v, 12-21, e em I Cor., Xv, 22-45.

Na última passagem Jesus Cristo chama-se por analogia e contraste a nova ou "último Adão".

Esta é entendida no sentido de que, como o original Adam era o chefe de toda a humanidade, o pai de todos, de acordo com a carne, assim também Jesus Cristo foi constituída chefe e chefe da família espiritual da eleição, e possivelmente de toda a humanidade, Uma vez que todos são convidados a participar de Sua salvação.

Assim, o primeiro Adão é um tipo do segundo, mas enquanto a primeira transmite a sua prole um legado de morte, este último, pelo contrário, torna-se o princípio da vivifying restaurado retidão.

Cristo é o "último Adam", na medida em que "não há nenhum outro nome dado aos homens do céu, em que temos de ser salvos" (Atos 4:12); nenhum outro chefe ou pai da corrida é de se esperar.

Tanto o primeiro eo segundo Adão ocupar o cargo de chefe em relação à humanidade, mas que o primeiro através de sua desobediência viciada, por assim dizer, em si mesmo o stirps de toda a corrida, e deixou a sua posteridade uma herança de morte, sin , E da miséria, a outra através de sua obediência méritos para todos aqueles que se tornam seus membros uma nova vida de santidade e de uma recompensa eterna.

Pode dizer-se que o contraste assim formulada exprime uma princípios fundamentais da religião cristã e encarna em poucas palavras toda a doutrina da economia da salvação.

É principalmente sobre estas e passagens semelhantes de importação (por exemplo, Mateus 18:11) que se baseia a doutrina fundamental que os nossos primeiros pais foram levantadas pelo Criador a um estado de justiça sobrenatural, a restauração do que foi o objeto da Encarnação.

É preciso ser dito que dificilmente o facto de este aumento não podia ser tão claramente deduzida do Antigo Testamento conta tomadas independentemente.

ADAM em JEWISH e tradição cristã

É um facto bem conhecido que, em parte de um desejo de satisfazer piedosas curiosidade, acrescentando detalhes à demasiado magros bíblico contas e, em parte, com a intenção ética, não cresceu na tarde judaica, assim como no início da tradição cristã e Mohammedan uma luxuriante Cultura da lendária sabedoria em torno dos nomes de todos os personagens importantes do Antigo Testamento.

Era, portanto, perfeitamente natural que a história de Adão e Eva devem receber especial atenção e ser amplamente desenvolvidos por este processo de decoração.

Estes aditamentos, alguns dos quais são extravagantes e puerile, são essencialmente imaginário, ou na melhor das hipóteses, baseada em uma fantasia compreensão de algumas ligeiras detalhe do sagrado narrativa.

Escusado será dizer que não incorporam alguma informação histórica real, e sua principal utilidade é a de dar um exemplo da piedosas credulidade popular da época, bem como do pequeno valor a atribuir ao chamado tradições judaico quando forem Invocada como argumento em discussão crítica.

Muitos rabbinical lendas relativas nossos primeiros pais são encontrados no Talmud, e muitos outros foram contidas no Livro de apócrifos Adam agora perdido, mas da qual extrai chegaram até nós em outras obras da mesma natureza (ver MAN).

A mais importante destas lendas, o que não é o âmbito de aplicação do presente artigo a reprodução, pode ser encontrada na Enciclopédia Judaica, I, art.

"Adam", e no que se refere a Christian lendas, em Smith e Wace, Dicionário de Christian Biografia, sv

Publicação informação escrito por James F. Driscoll.

A Enciclopédia Católica, Volume I. Publicado em 1907.

New York: Robert Appleton Company.

Nihil Obstat, 1 de março de 1907.

Remy Lafort, DTS, Censor.

Imprimatur. + Cardeal John Farley, Arcebispo de Nova York

Bibliografia

PALIS em VIG., Dict.

De la Bíblia, sv; BENNETT e ADENEY em HAST., Dict.

Da Bíblia, SV

Para Novo Testamento referências, ver comentários; para o Antigo Testamento, GIGOT, Especial Introdução ao Estudo do Antigo Testamento, I, iv; VON HUMMELAUER, Comm.

No Gênesis.


Adam

Judeu Viewpoint informação

- Bíblica Dados:

A Bíblia hebraica e nome para o homem, e também para as progenitoras da raça humana.

Na conta da Criação dada em Gen. i.

Homem foi trazido para estar no encerramento do sexto criativo dia ", feito à imagem de Deus", e investiu com domínio de animar o resto do mundo.

O homem foi assim criado, em machos e fêmeas, acusado de reconstituir a terra com a sua própria natureza e para o submeter-la para o seu próprio uso.

Em Gen.ii.

Uma conta específica da criação do homem é dada.

A cena está na Babilônia, perto da confluência dos rios Tigre e Eufrates, no país do Éden.

Após o solo havia sido preparado pela humidade "Deus formou o homem do pó da terra, e respirava em suas narinas o sopro da vida, eo homem se tornou uma alma viva" (Gen. ii. 7).

Ele foi, então, colocado em um jardim plantado por ele no Éden, a "e tendem até ela."

De todos os que cresceram no jardim era permitido comer livremente, exceto "o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal."

Man próxima feito o conhecimento de todos os animais inferiores, aprendendo as suas qualidades, e dando-lhes nomes.

Mas entre estes ele não encontrou caber companheiro.

Daí Deus, por expressar acto criativo, feita para ele um mate, adoptando uma costela de seu lado e construindo-o em uma mulher.

Maldição do Disobedience.

Em Gen. iii.

O primeiro capítulo da moral história da humanidade é dada.

A mulher foi tentado pela serpente, que lhe disse que se ela e seu marido iria participar do fruto proibido os seus olhos seriam abertos, e que "seria como deuses, conhecendo o bem eo mal" (Gen. iii. 5).

Ela comeu do fruto, e deu a seu marido, que também comeu dele.

Este acto de desobediência foi seguido por um julgamento divino.

A serpente era amaldiçoado, porque ele tinha tentado a mulher, e entre ela e seus descendentes havia de ser perpétua inimizade.

A mulher foi condenada à pangs da criança de rolamento e à sujeição ao seu marido.

Como um castigo para o homem do solo foi amaldiçoado: espinhos e thistles foram até à Primavera; árduo labor seria necessária para garantir a produção de alimentos humanos; e trabalham seria o lote do homem desde a infância até à morte.

Finalmente, o homem e sua mulher foram expulsos do jardim "para até o solo de onde ele foi levado."

De Adão e sua esposa, agora chamado de "Eva" () porque ela era a mãe de todos os que vivem (), só é conhecido que, após seu exílio desde o jardim de terem filhos nascidos a eles (cf. Gen. v. 3, 4) .

JF McC.

- Em Apocryphal Rabínico e Literatura:

Embora o carácter genérico que o nome de Adão foi na parte mais antiga da Escritura, onde ele aparece com o artigo ( "o homem"), foi gradualmente perdido de vista, o seu típico personagem como o representante da unidade da humanidade foi constantemente enfatizado (Compare Sanh. Iv. 5, a leitura correcta no Tosef., Sanh. Viii. 4-9):

"Porque era apenas um único exemplar do homem criado primeiro? Para ensinar-nos que, quem destrói uma única alma destrói todo um mundo e que, quem salva uma única alma salva um mundo inteiro; além disso, a fim de que nenhuma raça ou classe pode reclamar Nobler uma ascendência, dizendo: "O nosso pai nasceu primeiro", e, finalmente, para dar testemunho perante a grandeza do Senhor, que causou a maravilhosa diversidade da humanidade que provenha de um tipo. E por que foi criado Adão último de todos os seres ? Para ensinar-lhe humildade; para se ser overbearing, deixar-lhe lembrar que a pequena mosca precedida ele na ordem de criação. "

Em uma disputa, portanto, como a que versículo bíblico exprime o princípio fundamental do Direito, Simon ben 'Azkai mantida contra R. Akiba-que, na sequência Hillel, tinha destacado o Golden artigo (Lev. xix. 18)-que o Princípio do amor deve ter por base Gen. v. 1, que ensina que todos os homens são filhos de quem foi feito à imagem de Deus (Sifra, Ḳedoshim, iv.; Yer. Ned. Ix. 41c; Gen. R. 24).

Esta ideia, expressa também por Paul no seu discurso em Atenas, "[Deus] fez uma sangue de todas as nações dos homens, para habitar em toda a face da terra" (Atos, xvii. 26), encontrou expressão em muitos característica Formas.

De acordo com Targ.

Yer. A Gen. II.

7, Deus tomou poeira do local sagrado (como "o centro da terra"; comparar Pirḳe R. Eliezer xi., Xx.) E as quatro partes do mundo, ele mistura com a água de todos os mares, e fez - O vermelho, preto e branco (provavelmente mais correctamente Pirḳe R. El. Xi. Chronicle e de Jerahmeel, vi. 7: "branco, preto, vermelho, verde e branco-ossos e nervos; intestinos preto; sangue vermelho; pele de Organismo ou fígado verde "); comparar Philo," Criação do Mundo ", xlvii.; Abulfeda," Historia Ante-Islámica. "

O Sibylline Oráculos (iii. 24-26) e, na sequência do mesmo, o livro de Enoch Slavonian encontrar a natureza cosmopolita da Adam, a sua origem das quatro regiões da terra, expressa nas quatro letras do seu nome: Anatole (East ), Dysis (Oeste), Arktos (Norte), e Mesembria (Sul).

R. Johanan interpreta como sendo um dos acrostic (cinzas), (sangue), e (galhas; ver Soṭah, 5a).

Mas esta interpretação parece ter originado em outros círculos; para nós encontramos Isidor de Sevilha ( "De Rerum Natura", ix.) Declarar que Adão foi feita de sangue (sanguis), galhas (cholē), preto galhas (melancholia), e Catarro: os quatro elementos constitutivos do temperamentos, que correspondem aos quatro elementos da natureza, como faz o microcosmo ao macrocosmo (ver Piper ", Symbolik der Christlichen Kirche", 90, 469).

R. Meir (segundo século) tem a tradição de que Deus fez Adão do pó juntada de todo o mundo; e Rab (terceiro século), afirma: "Sua cabeça foi feito de terra a partir da Terra Santa; seu corpo principal, a partir de Babilônia; E os vários membros de diferentes terras "(Sanh. 38 e segs.; Comparar Gen. R. viii.; Midr. A. Cxxxix. 5; e Tan., Peḳude, 3, final).

Duas Naturezas em Adam.

No entanto, existem dois pontos de vista sobre o homem da natureza apresentado nas duas histórias bíblicas da criação do homem, e que são levados para fora mais força no Haggadah, e ainda mais, nos mais velhos Hellenistic literatura.

"Os dois mundos, o céu ea terra, estavam a ter uma participação na criação do homem; daí o acolhimento dos anjos foram consultados pelo Senhor, quando Ele disse:" Façamos o homem "(Gen. i. 26, Gen. R. viii .).

Mas o velho haggadists amava especialmente deter-me sobre a glória de Deus-o primeiro criado antes de sua queda.

Ele era "como um dos anjos" (eslava Livro de Enoch, xxx. 11; comparar livros cristão de Adão, i. 10; também Papias em Gen. R. xxi.; Pirḳe R. El. Xii.; Ex. R . Xxxii.; Targ. Yer. Gen. iii. 22).

"Seu corpo chegou de terra ao céu [ou de um fim do mundo para o outro] antes do pecado causou-lhe a afundar" (Ḥag. 12a, Sanh. 38 ter; comparar também Philo, "Criação do Mundo", ed. Mangey , I. 33, 47).

"Ele foi de extrema beleza e sunlike brilho" (BB 58a).

"Sua pele era um brilhante peça, brilhando como suas unhas; quando ele pecou este brilho desapareceu, e ele apareceu nu" (Targ. Yer. Gen. iii. 7; Gen. R. xi.; Adão e Eva, xxxvii). .

Quando Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem," os anjos no céu, cheia de ciúme, disse: "O que é o homem que Tu thinkest dele? Uma criatura cheia de falsidade, ódio e luta!"

Mas Love invocado em seu favor; e que o Senhor falou: "Deixe verdade primavera brotar da terra!"

(Gen. R. viii.; Midr. A. Viii.).

Longe mais velhos, e misturada com Babilónia mitologia (Isa. xiv. 12), é a história preservada em Adão e Eva, a eslava livro de Enoch, xxxi.

3-6 (compare Bereshit Rabbati, ed. Epstein, p. 17; Pirḳe R. El. Xiii.; Chronicle of Jerahmeel, xxii.; Eo Corão, sura ii. 34; xv. 30), segundo a qual todos os anjos Foram comandados por Michael o arcanjo em homenagem à imagem de Deus; qual todos prostraram perante Adam exceto Satanás, que, em punição por sua rebeldia, foi arrojados do seu celeste alturas ao fundo do abismo, enquanto o seu trono vago foi reservado Para Adam, a ser dado a ele, no momento da futura ressurreição.

Doravante, Satanás se tornou o inimigo do homem, para ele aparecer sob a forma de um anjo de luz para seduzir ele (compare II Cor. Xi. 14).

Um pouco modificada midrashic lenda (Gen. R. viii.) Refere que os anjos estavam tão cheios com surpresa e temor na mira de Adão, a imagem de Deus, que quis prestar homenagem a ele e chorar "Santo!"

Mas o Senhor sono causados a cair sobre ele para que ele estabelecer como um cadáver, e que o Senhor disse: "Cesse vos do homem, cujo fôlego está no seu narinas: para onde ele está a ser contabilizadas de?"

(Ii Isa.. 22).

Outra versão (Pirḳe R. El. Xi.; Tan., Peḳude, 3) é que todas as outras criaturas, em marveling Adam's grandeza, prostraram-se perante ele, levando-oa ser seu criador, em que ele apontou para cima a Deus, exclaiming: "O Senhor reigneth, Ele está vestido com majestade!"

(Ps. xciii. 1).

Ainda assim, o Livro da Sabedoria (ii. 23, 24), revela-alusão à lenda quando mais velhos, que dizia: "Deus criou o homem para a imortalidade, mas graças a inveja de Satanás morte entrou no mundo" (compare Josephus, "Ant." I . 1, § 4; Ab. I. RN; Gen. R. xviii., Onde a serpente é representada como movido pelo ciúme).

O Fall.

Adão no paraíso havia anjos (agathodæmons ou serpentes) para esperar na dança e antes dele (Sanh. 59g.B ou BB, 75a, Pirḳe R. El. Xii.).

Ele comeu "anjo do pão" (compare Ps. Lxxiii. 26; Yoma, 75b; Adæ Vita et Evæ, § 4 °).

Todos criação prostraram perante eles no temor.

Ele era a luz do mundo (Yer. Shab. Ii. 5b), mas privou-o pecado de todos glória.

A terra e os céus órgãos perderam a luminosidade, que voltará somente no tempo messiânico (Gen. R. xii.; Adæ Vita et Evæ, § 21; Philo, "Criação do Mundo", p. 60; Zohar, III. 83b).

Morte passava sobre Adão e toda a criação.

Deus do dia a ser de mil anos (Ps. xc. 4), Adam era permitida a viver 930 anos-threescore e dez menos de um mil (Livro de Jubilees, iv. 28, e R. Gen. xix.), De modo que o Declaração "no dia em que tu eatest, tu deverás certamente morrer", pode ser cumprida.

O brutes já não estava no temor do homem como seu governante, em vez disso, eles atacaram ele.

Mas enquanto o pecado foi consequência de acidentes fatais, e os efeitos do veneno da serpente ainda é sentida por todos gerações seguintes, a menos que eles devem ser liberados a partir dele pelo pacto de Sinai ( 'Ab. Zarah, 22; IV livro de Esdras; Apoc. Mosis, xx.; Ver artigos Sin e Fall), o judeu haggadists enfatizar um ponto não mencionada na Bíblia, mas de grande importância doutrinal, em comparação com os ensinamentos de Paul e seus seguidores.

O efeito do pecado mortal pode ser removido por arrependimento.

Assim, Adão é representado como um tipo de pecador contrito.

Assim, ele é descrito em Adæ Vita et Evæ, bem como pelos rabinos do segundo século ( 'Er. 18b;' Ab. Zarah, 8a; Ab. I. RN; Pirḳe R. El.), Como a atravessar uma Terrível calvário enquanto jejum, orando, e banhos no rio durante sete e quarenta dias (sete semanas, Pirḳe R. El.), Ou duas vezes sete semanas-o encurtamento dos dias após Tishri sendo tomadas por Adam como um sinal da ira de Deus , Após o inverno solstício os dias novamente cresceu mais, quando ele trouxe um sacrifício de gratidão.

Outro ponto de vista é que, quando o sol subiu na manhã seguinte ele ofereceu sua gratidão, em que os anjos juntaram-lo, cantando o Salmo sábado (Ps. xcii.).

Sobre Adam e os one-horned boi (o persa gaiomarth), ver Kohut, em "ZDMG"

XXV.

78, N.

6.

Por conta do sábado o sol manteve a sua luminosidade para o dia, mas, como definido na escuridão Adam foi apreendida com medo, pensando em seu pecado.

Então, o Senhor lhe ensinou como fazer fogo por flagrante pedras juntos.

Disso o fogo é saudado com uma bênção no final de cada sábado dia (Pesiḳ. R. xxiii.; Pirḳe R. El. Xx.; Similarmente, Pes. 54a).

Quando Adam ouviu a maldição, "Tu deverás comer das ervas da terra", ele escalonadas, dizendo: "Ó Senhor, eu e minha bunda deve comer fora da mesma manjedoura?"

Depois, a voz de Deus veio reassuringly: "Com o suor do teu brow deverás tu comer pão!"

Há conforto no trabalho.

Os anjos ensinou Adam os trabalhos de agricultura, todas as ordens, e também como trabalhar em ferro (Livro de Jubilees, iii. 12; Gen. R. xxiv.; Pes. 54a).

A invenção da escrita é atribuída a Adam.

Adam no Future World.

No dia Adam coberto seu corpo nu pela primeira vez, ele beheld em vestuário uma marca da dignidade humana, e Deus ofereceu um agradecimento de incenso (Livro de Jubilees, iii. 22).

O vestuário feitas por Deus não eram de pele, mas de luz (Gen. R. xx.), E vestes de glória foram feitas da serpente da pele (Targ. Yer. Gen. iii. 21).

Adam ", o primeiro a entrar Hades" (Sibylline Oráculos, i. 81), foi também o primeiro a receber a promessa ofresurrection (Gen. R. xxi. 7, após Ps. Xvii. 15).

De acordo com o Testamento de Abraão, Adam senta-se as portas, com lágrimas assistindo a uma multiplicidade de almas passando pelo grande portão de satisfazer as suas penas, e com alegria os poucos entrar no estreito portão para receber sua recompensa.

A visão judaica relativa Adam's pecado é melhor expressa por Ammi (Shab. 55a, com base em Ezek. Xviii. 20): "Nenhum homem morre sem um dos seus próprios pecados. Assim, todas as piedosas, sendo permitida a virem o Shekinah (glória De Deus), antes de sua morte, censurar Adam (como eles passam por ele no portão) por ter trazido morte sobre eles; ao qual ele responde: "Eu morreu com apenas um pecado, mas você tem cometido muitos: por conta dessas você Morreram; não estiver na minha conta "(Tan., Ḥuḳḳat, 16).

Para Adam, é atribuída Ps.

V., xix., Xxiv., E xcii.

(A Midr.. V. 3; Gen. R. xxii., End; Pesiḳ. R. xlvi.; Ver Bacher, "Ag. Pal. Amor". Ii. 337 e segs.).

Seu corpo, feito um objeto de culto por parte de alguns semi-pagão Melchisedician seita, de acordo com os livros cristão de Adão, foi mostrado em Talmudic vezes em Hebron, na gruta de Machpelah (BB 58a, Gen. R. lviii.), Enquanto Tradição cristã colocá-lo em Golgotha perto de Jerusalém (Origen, 35 no tracto Matt., E artigo Golgotha).

É um belo e, sem dúvida, uma ideia original da rabinos que "Adão foi criado a partir do pó do lugar onde o santuário estava a subir para a expiação de todos os pecados humanos", a fim de que o pecado nunca deve ser um permanente ou inerentes parte de O homem da natureza (Gen. R. xiv., Yer. Naz. Vii. 56b).

O correspondente da lenda cristã Golgotha foi formada após o Judeu.

Bibliografia:


Ginzberg, Die Haggada bei den Kirchenvätern, em Monatsschrift, 1899; Kohut, em ZDMG xxv.

59-94; Grünbaum, Neue Beiträge zur Semitischen Sagenkunde, pp.

54,79; Dillman, Das Christliche Adambuch; Malan, Livro de Adão e Eva, 1882; Bezold, Die Schatzhöhle, 1883, 1888; Siegfried, Philo von Alexandrien.

Para maiores referências bibliográficas ver Schürer, Geschichte, 3d ed.

Iii.

288-289.K.

- Em Mohammedan Literatura:

Não é feita qualquer referência de Adão no início dos suras do Alcorão.

Embora Mohammed fala da criação do homem, em geral a partir de um "coágulo de sangue" ou uma "gota de água" (suras lxxv. 34, lxxvii. 20, xcvi. 1), é apenas na tarde Meccan suras que o original Criação do homem está relacionada com um determinado indivíduo.

Mas nestas suras já desenvolveu a teoria é que Satanás desenhos contra o homem está na sequência da expulsão do antigo de paraíso no momento da criação do homem.

Geiger tem incorretamente comentou ( "Was Hat Mohammed aus dem Judenthume Aufgenommen?" P. 100) que esta não é uma idéia judaica (ver Adæ Vita et Evæ, § 16).

Ela pertence também ao ciclo do cristão-Siríaco Midrash (ver Budge, "O Livro dos Bee", p. 21, trans.; Bezold, "Die Schatzhöhle", pp. 5, 6, trans.).

Nas primeiras conta o nome Adam não ocorre; nem Lúcifer voto vingança em cima de um único indivíduo, mas sim à toda a raça da humanidade:

Lúcifer, o Diabo, Respited.

"Quando o teu Senhor disse aos anjos, 'Sim, estou prestes a criar um mortal fora de argila; e quando eu tiver plasmado ele, e ele respirava em de Meu Espírito, então queda vos estabelece antes dele adorando."

E os anjos adoravam, todos eles salvar Lúcifer, que era muito grande com orgulho, e era do misbelievers. Respondeu-lhe: "Ó Lúcifer! O que te impede de adorando o que eu criei com as Minhas duas mãos? Acaso, com grande demais Orgulho? Ou é que te entre os exaltado?

Disse ele, "eu sou melhor do que ele; tens criado me do fogo, ea ele tens criados de barro.

Ele disse, 'Então vá diante dela; de verdade és pelted, ea verdade é Minha maldição sobre ti até o dia do juízo. "

Disse ele, "Ó Senhor meu, tolera-me até ao dia em que forem ressuscitados."

Ele disse, 'Então és entre os tolerados, até ao dia do prazo indicado. "

Disse ele, "Então, por Teu poder, vou certamente seduzi-los todos juntos, com exceção Teus servos entre eles, que são sinceras!

Ele disse, "É a verdade, ea verdade falo; vou certamente encher inferno com ti e com aqueles que te seguirem, dentre eles todos juntos'" (sura xxxviii. 70-85).

Durante um período posterior Mohammed desenvolve o caráter pessoal do primeiro homem e sua relação direta com Deus, cuja legatário (khalifah, calif) ele vai ser na terra.

Ao mesmo tempo Satanás é representado como sendo aquele que levou Adão de paraíso: Adam como Vicegerent de Deus.

"E de quando teu Senhor disse aos anjos," estou prestes a colocar um legatário na terra ", eles disseram, 'Wilt Tu aí um lugar que vai fazer mal nele e derramei sangue? Nós celebramos Teus louvores e hallow Ti".

Disse [o Senhor], "Eu sei o que vós ignorais."

Ele ensinou a Adão nomes, todos eles; então Ele proposta aos anjos e lhes disse, "Declare para mim os nomes destes, se estiverdes certos."

Eles disseram, 'Glorificado sejas! Conhecimento não é nossa, mas o que Tu tens tua nos ensinou; verdade, Tu és o saber, o sábio ".

Disse o Senhor, Ó Adão, declarar-lhes os seus nomes ", e quando ele tinha declarado que lhes os seus nomes Ele disse:" Eu não diria para você, eu conheço o mistério dos céus e da terra, e sei Aquilo que vos mostrar e tudo quanto se escondem? "

E quando Ele disse aos anjos ", adorai Adam, 'eles adoravam-lhe guardar apenas Lúcifer, que se recusou e foi muito orgulhosa, e se tornou um dos misbelievers.

"Ele disse, 'Ó Adão, habita, tu ea tua família, no paraíso, e comer dela amplamente como você deseja, mas não se aproximar desta árvore ou vos serão os transgressores."

E Satanás fez-lhes backslide dela, e levou-os para fora do que já foram, e ele disse, 'Vá para baixo, um de vós o inimigo dos outros, e na terra, há uma morada e uma disposição de uma vez. "

Adam e peguei algumas palavras do seu Senhor e Ele virou em direção a ele, porque Ele é o Compassionate One facilmente transformado. Ele disse, 'Vá para baixo dela totalmente, e virá depois lá podem ser provenientes de Mim a orientação, aqueles que seguirem a Minha orientação não temo É deles, nem se atribularão "(sura ii. 29-36).

Em Sura VII.

10 e segs.

A mesma história repete-se, embora com alguns acréscimos.

Em particular, Mohammed já aprendeu a maneira pela qual Satanás tentado Adão:

Satanás Beguiles Adam.

"Porém, Satanás sussurrou-lhes para mostrar a eles o que foi mantido para trás a partir deles das suas vergonhas, e ele disse, 'O Senhor tem apenas proibiu esta árvore que vos açoite deve ser twain anjos ou deveria tornar-se entre os imortais", e ele jurou Para ambos, "Sim, eu sou para vós um sincero conselheiro", e ele beguiled-los por engano, e quando colheram o fruto da árvore twain suas vergonhas foi mostrado-los, e eles começaram a stitch sobre si as folhas do jardim. E seu Senhor chamou-lhes, "Eu não vos proíbe, a partir dessa árvore lá, e dizer-lhe, certo, para que Satanás é inimigo declarado?"

Disseram-lhe: "Ó Senhor nosso, nós mesmos temos injustiçados-e se acaso Tu não perdoa-nos e tem piedade de nós, vamos certamente ser um dos que estão perdidos!

Ele disse: "Ide para baixo, um de vocês para o outro um inimigo, mas para você na terra há uma morada e uma disposição para uma temporada."

Ele disse, 'Nela devem ye viver e morrer nela devem ye; da mesma devem ser levados diante vós "(sura vii. 19-24). Em suras xvii.

63, XVIII.

48, também são feitas referências à recusa de Lúcifer ao culto Adam.

Esta última foi criada a partir de terra (iii. 51) ou de barro (xxxii. 5).

Que Adão é o primeiro dos profetas é só insinuada no no Alcorão.

Na passagem (ii. 35) já referido, "Adão peguei algumas palavras [kalimat] de seu Senhor", pode ser a referência a uma suposta revelação de Adam.

Por esta razão, em iii.

30, Mohammed diz, "Em verdade, Deus optou por Adam, e Noé, Abraão e do povo, do povo e Imram [os cristãos]"; Adam tornando o representante da antediluvian período.

Adam's Creation.

Para estes um pouco escassas contas posteriormente árabe escritores e comentaristas foram adicionados diversos detalhes que encontrar o seu paralelo na judaica e cristã Midrash.

Ḥamzah al-Ispahani diz expressamente que um rabino judeu em Bagdade, Zedekiah pelo nome, disse-lhe, entre outras coisas, que Adão foi criado na terceira hora do sexto dia, e na véspera da sexta hora; que eles foram feitos para habitar No Gan-Eden (), de onde foram expulsos após a nona hora; que Deus mandou um anjo a eles, quem ensinou Adam como para semear e para executar todos os outros trabalhos relacionados com a agricultura.

O mesmo anjo instruiu Eve como realizar todo o tipo de tarefas domésticas.

Os historiadores Tabari, Masudi, Al-Athir, etc, têm manifestamente abatidos a partir de fontes semelhantes.

Dizem-nos que, quando Deus quis formar Adam Ele enviou primeira Gabriel, Michael então, a buscar solo para o efeito.

A terra, no entanto, se recusou a dar o solo, e rendeu apenas para o Anjo da Morte, que trouxe três tipos de solo, preto, branco e vermelho.

Adam's descendentes, portanto, pertencem nem ao branco, o preto, vermelho ou a raça.

A alma de Adão tivesse sido criado milhares de anos antes, na primeira e se recusou a entrar no organismo de argila.

Deus é violentamente forçadas através Adam's nariz, o que causou-lhe que espirra.

Como ela descia em sua boca, ele começou a pronunciar os louvores de Deus.

Ele tentou subir, mas a alma não tinham ainda descia em seus pés.

Quando ele fez em posição vertical, ele chegou de terra até o trono de Deus, e tinha a sombra seus olhos com a mão por causa da brilliancy do trono de Deus.

Sua altura foi progressivamente reduzida, em parte como uma punição por seus pecados e, em parte, através de luto pela morte de Abel.

O Futuro Unveiled-Lhe.

Adam quis ver quais eram as gerações vindouras dele.

Deus chamou-os todos de fora de suas costas; que se situava em duas fileiras de um dos virtuosos, o outro dos pecadores.

Quando Deus disse a Adão span de vida dada a cada um, ele foi surpreendido ao saber que apenas um pequeno número de anos tinha sido atribuído a David, e fez-lhe um presente de quarenta anos, dos quais presentes, diz o Mohammedan Midrash, uma formal Documento foi redigido e assinado.

Quando Adão foi conduzido a partir de paraíso, ele primeiro alighted na ilha de Sarandib (Ceilão).

Aqui sua pegada (setenta ells longa) ainda está para ser visto, como é que de Abraão, em Meca.

De Ceilão Adam percorrem a cidade santa na Arábia, onde construiu a Kaaba, tendo através de jejum e silêncio ganhou o perdão parcial de Deus.

Outra lenda liga o edifício da Kaaba com Abraão.

Quando o tempo veio a morrer de Adão, que tinha esquecido o dom de quarenta anos para David, e tinha que ser lembrados de que pelo Angel of Death.

Ele se diz ter sido enterrado na "Gruta do Tesouro"-um cristão, em vez de um judeu, idéia.

Várias destas características peculiares são encontrados novamente no Pirḳe de-Rabbi Eliezer, um trabalho que foi elaborado sob influência árabe (Zunz ", GV" 2d ed., Pp. 289 e segs.).

J. Frederic McCurdy, Kaufmann Kohler, Richard Gottheil


Enciclopédia Judaica, publicada entre 1901-1906.

Bibliografia:


Alcorão, suras XXXVIII.

71-86. Ii.

28-32, VII.

10-18, XV.

28-44, XVII.

63-68, XVIII.

48, XX.

115, e os comentários sobre estas passagens; Gottwaldt, HamzœIspahanensis Annalium Libri x.

Pp.

84 e segs.; Tabari, Annales, ii.

115 e segs.; Ibn al-Athir, Chronicon, ed.

Tornberg, I.

19 e segs.; Al-Nawawi, biográficos Dict.

Illustrious dos Homens, ed.

Wüstenfeld, pp.

123 e segs.; Iacuto, Geographisches Wörterbuch, ed.

Wüstenfeld, vi.

255 (índice).

Compare Geiger, Was Hat Mohammed aus dem Judenthume Aufgenommen?

Pp.

100 e segs.; Weil, Biblische Legenden der Muselmänner, pp.

12 e segs.; Grünbaum, Neue Beiträge zur Semitischen Sagenkunde, pp.

54 e segs., Onde um grande número de rabbinical paralelos serão found.G.

- Críticas Ver:

De acordo com os críticos modernos, a história da criação do homem é apresentado em duas fontes.

Uma dessas formas o início do documento conhecido como o Código Sacerdotal (P), ea outra é escrita pelos chamados Jahvist (J).

O antigo torna a criação de ser o primeiro de uma série de etapas no desenvolvimento da história de Israel e da teocracia, que é a grande final do divino governo.

Cada caso é um homem de graduação levando até um acto final da Providência.

Esta primeira etapa fitly termina com a tomada do homem à imagem de Deus, que decorre da criação de luz, o céu, a terra eo mar, das plantas, dos animais e da água, o ar, e as terras .

Esta narrativa como encontrado na forma final do Hexateuch é interrompido em Gen. ii.

4, o segundo narrador, e não é reiniciada até Gen. v. 1, em que a segunda fase começa com a "gerações [toledot] de Adão".

A segunda narrativa (Gen. ii. 4-iv.) É o início de uma história escrita muito mais cedo do que o documento sacerdotal.

O seu interesse em centros de Adão, não como o primeiro elo da cadeia da história de Israel, mas como o fundador da raça humana.

As descrições são ingénuos e anthropomorphic, informando do homem da casa, em Éden, a sua divinamente dado mate, o seu progresso no conhecimento, o seu pecado, o seu banishment do paraíso, e o destino de seus filhos.

Etimologia de "Adam".

A etimologia da palavra "Adam" é de importância.

O escritor de Gen. ii.

7 apresenta a sua própria explicação, quando diz: "Deus formou o homem do pó da terra."

Ou seja, o homem foi chamado de "Man" ou "Adão", porque ele foi formado a partir da terra (adamah).

Compare Gen. iii.

19. Esta associação de ideias é mais do que uma explicação da palavra: ele também é sugestiva da primitiva concepção da vida humana.

De acordo com as noções mais antigos semitas, todos natureza foi instinto com vida, a fim de que os homens não só vieram e retornou à terra, mas, na verdade, partook da sua substância.

O mesmo conceito declara-se no latim homo e humanas, em comparação com o húmus e os gregos χαμαί, no alemão gam (em Bräutigam), o Inglês eo noivo; também no grego έπιχθόνιος e expressões semelhantes.

Modern críticos são os menos inclinados a ridicularização isto como uma mera fantasia bárbara agora que a doutrina da evolução tornou-los familiarizados com a unidade da natureza.

Esta visão da palavra implica que ele não era originalmente um nome próprio; por nomes de pessoas (para os quais são muitas vezes fantasioso etymologies dada pelo sagrado escritores) não são feitos até depois essa moda.

Um exame mais aprofundado da narrativa vai mostrar que o termo é usado principalmente em um sentido genérico, e não como o nome de uma pessoa.

Em Gen. i.

A sua utilização é absolutamente genérica.

Em Gen. II.

E iii.

O escritor weaves juntos os genéricos e os pessoais sentidos da palavra.

Em tudo o que diz respeito ao primeiro homem como o sujeito passivo da ação criadora e providencial de referência é exclusivamente generic.Indeed, é duvidoso "Adam" como um bom nome é utilizado em todos antes Gen. iv.

25 (J), v. 3 (P).

Aqui, a mesma utilização é evidente: a abertura nos dois versos de chap.

V. o termo é usado genericamente.

Também pode ser observado que o escritor em Gen. ii., Iii.

Sempre diz que "o homem" em vez de "Adam", mesmo quando o pessoal referência destina-se, salvo depois de uma preposição, que, no entanto, um vogal provavelmente foi descontinuado a partir do texto.

A explicação da variação do uso aparentemente, é a de que, como no caso da maioria das histórias início do Gênesis, o material de tradição popular, que se iniciou com a formação do homem fora da Terra, foi retomada e trabalhou ao longo de mais alto Religiosas utiliza por pensadores da escola profética.

Adam não é referido no Antigo Testamento livros mais tarde, exceto no genealogia da I Chron.

JF McC.

Livro de Adam

Judeu Viewpoint informação

O Talmud nada diz sobre a existência de um livro de Adam, e Zunz's amplamente aceite afirmação em contrário ( "GV" 2d ed., P. 136) é errada, como aparece após uma inspecção da passagem em 'Ab.

Zarah, 5a, e R. Gen. xxiv.

2. Não há dúvida, porém, que existia, no mais breve prazo, talvez até antes da destruição do Segundo Templo, uma coleção de lendas de Adão e Eva, que foram parcialmente preservado, e não na sua língua original, mas pouco mudou.

É possível provar que o apocryphas, Apocalypsis Mosis-como Tischendorf, na sequência de um copista da inscrição errada, chamou o livro-e Adæ Vita et Evæ, e até um certo grau, mesmo os seus eslava, Siríaco, Ethiopic, e árabe offshoots, são de Idêntica origem judaica.

Segundo esses apócrifos obras e para o Leste e do Ocidente formas da Apocalypsis, o judeu parte do Livro de Adão deve ter lido um pouco como se segue (os paralelos em apócrifos e rabbinical literatura são colocados entre parênteses):

Adão no Jardim do Éden.

Adam, as obras do Senhor (Ab. RN i., final), vivia com Eva no Jardim do Éden, que era situado no Oriente (Livro de Enoch, xxxii.; BB 84.oA).

Seus alimentos, que também distribuídas à menor animais (Gen. R. xix. 5), consistiu do fruto das árvores do jardim, o único alimento, em seguida, permitir que os seres vivos (Sanh. 59g.B).

Para sua protecção dois anjos foram fixados para além (Ḥag. 16a), conhecido (Ber. 60b) ou como o participante da majestade () (kabod), chamado em latim virtutes, de virtus, correspondendo a kabod.

Mas um dia quando os anjos guardiões tinha ascendeu ao céu para cantar seu hino () ao Senhor (Ḥul. 91b), Satanás pensou o tempo oportuno para levar a cabo o seu mal desenhos contra Adam.

Satanás odiava Adão, por ele considerada como ele a causa da sua queda.

Após Deus havia criado o homem, Ele ordenou a todos os anjos prostraram-se ante Adão, mas Satanás rebelou contra o Deus do comando, apesar do lance de Michael direta "para o culto da imagem de YHW" (), e respondeu com orgulho: "Se Deus é irritado Contra mim, vou exaltar o meu trono acima das estrelas de Deus "(compare Isa. Xiv. 13).

Qual Deus "cast ele fora do céu com todo o seu exército de anjos rebelde" (eslava Livro de Enoch, xxxi. 18, e Mek., Shirah, § 2 º).

E Satanás, o Adversary (Suk. 52.oA) selecionou a serpente para seu instrumento, uma vez que não foi apenas o mais sutil de todos os animais, mas também muito semelhante ao homem, para ele havia sido dotado com mãos e pernas como ele (Gen. R . Xix. 1).

E Satanás falou à serpente: "Seja o meu instrumento, e através da tua boca vou pronunciar uma palavra que deve permitir-te para seduzir o homem" (Pirḳe R. El. Xiii.).

Após alguns articulado a serpente conseguiu convencer Eva a comer do fruto proibido da árvore do conhecimento-a árvore de figo (Gen. R. xv. 7)-que a serpente tinha sacudido por ela (Ab. RN i. 4, Ed. Schechter).

Mas a serpente tinha infundido luxúria na fruta, e quando Eve tinha comido de que o desejo sexual acordou em seu (eslava Livro de Baruch, xcvii.; Apoc. Abraão, xxiii., E Pirḳe R. El. Xxi.), E No mesmo momento, ela tomou conhecimento de que tinha sido desfeita e "tinha perdido a peça de justiça em que ela havia sido vestiu" (Gen. R. xix. 6, Pirḳe R. El. Xiv.).

Adam, também, depois que ele tinha comido do fruto proibido, experimentou uma sensação de perda e gritou: "Que tens tu feito? Tens removido me da glória do Senhor" (Ab. RN i. 6, ed. Schechter ).

O veredicto divino.

Pouco depois de terem ouvido a eles pecaram trompete-sopro (shofar), de Michael ( "BH" ed. Jellinek, ii. 61) chamando os anjos: "Assim diz o Senhor:" Vinde a mim no Jardim do Éden e ouvir o Frase que vou passar em Adam ' "(Gen. R. xix. 8).

E, em seguida, o Senhor falou a Adão, dizendo: "Onde é que te ocultas? Dost tu pensas eu não posso encontrar-te? Can uma casa esconder-se de seu construtor? [Targ. Yer. Gen. para iii. 9]. Porque és Quebrado meu mandamento vou infligir setenta e duas horas após a padecimentos teu corpo "(Mishnah Neg. I. 4).

E para a mulher Ele disse: "Porque tu didst não atendem ao meu mandamento vou multiplicar teu labor-dores, e vainly [ἐν ματαιο ī ς do grego, por um erro na leitura (habalim) para (ḥabalim) no hebraico] tu Murcha, em seguida, confessar e grito: 'Senhor, salva-me, e eu não vou mais para transformar qualquer pecado carnal ".

Mas teu desejo será novamente ao teu marido "(uma explicação de midrashic Gen. iii. 16, baseada no Estado de hermenêutico-semikot explicação pelo contexto-e de ser encontrado palavra por palavra em Gen. R. xx. 7).

Nem a serpente escapar castigo, para que perdeu suas mãos e pernas (Gen. R. xx. 5), e um espírito de inimizade foi estabelecido entre ele eo homem até o dia do juízo, de acordo com Targ.

Yer. Gen. iii.

15, "até o momento do Messias" (ver Soṭah, 49b).

Adam Exiled a partir do Jardim do Éden.

Contudo, o castigo mais pesado para Adão foi a sua expulsão do Jardim do Éden.

Todos os seus supplications, bem como as dos anjos, para atenuar a frase apenas induzida Deus para prometer-lhe, dizendo: "Se, após ter deixado o Jardim do Éden te proteger contra o mal até tu diest" [ "estar preparado para morrer" Não é correta, sendo baseada na confusão do hebraico (murcha morrer), com o aramaico (preparados)], "vou levantar-te no momento da ressurreição" (um velho haggadic Targum para Gen. iii. 17, 22, que Também é encontrada em Targ. Yer. Gen. i. e R. xx. 10; comparar o benediction meḥayye ha-metim (Ele levanta os mortos), em Apost. Const. Vii. Chap. Xxxiv).

No mundo do futuro será Deus entre os homens (Tan., Num. 145, ed. Buber), e do Espírito Evil haverá mais (Gen. R. xlviii. 11).

A sentença de Deus foi levada a efeito.

Banido do jardim, que era doravante rodeado por um mar de gelo (Livro de Enoch, hebraico versão; "BH" iv. 132), Adão e Eva liquidada no bairro do Éden, no Leste (Gen. R. xxi 9. ).

Eles não eram mais cedo, em seu blissful morada do que um paralyzing terror befell eles.

Unaccustomed à vida terrena e não familiarizados com a evolução do dia e do estado do tempo-em um paraíso eterno luz tinha rodeado deles (Gen. R. xi. 2)-eles estavam aterrorizadas quando a escuridão da noite começou a cair sobre a terra ( 'Ab. Zarah, 8a), bem como a intercessão da palavra de Deus (), foi necessário explainto-los à nova ordem das coisas.

A partir deste momento os sofrimentos da vida começou, por Adão e Eva tinha receio de participar de alimentos terrena, e em jejum para os primeiros sete dias após a sua expulsão do paraíso, como está prescrito na lei Talmudic antes de um iminente fome (Mishnah Ta'anit, I. 6).

Arrependimento de Adão.

Humilhados e enfraquecida pela fome e sofrimento, Adam se tornou consciente da gravidade do seu pecado, para o qual ele foi agora preparado para atone ( 'Er. 18b, Gen. R. xxii. 13).

Ele, portanto, como Moisés, Elias, e Abraão (Apoc. Abraão, 12), em jejum durante quarenta dias, durante o qual ele se levantou para seu pescoço nas águas do rio Gihon (), o nome do qual é ligado por etymologically O escritor com as raízes "para stoop" e "a rezar em voz alta" (Pirḳe R. El. Xx.).

Segundo a Adæ Vita et Evæ, Adam ficava na Jordânia-uma versão que pode ser atribuído ao copistas cristãos, que, por razões óbvias, pretendia representar Adam como tendo tido o seu batismo na Jordânia, esquecendo-se que, desde Eve, como Eles próprios afirmaram, banhado no Tigre, Adão teria selecionado outro dos rios do paraíso para o efeito.

Os dias de arrependimento que passou, a gêmeos Caim e Abel nasceram de Adão e Eva (Gen. R. xxii. 2).

Caim e logo subiu, correu fora, e trouxe uma palheta de sua mãe (; comparar Gen. R. xxii. 8): "Caim matou seu irmão com uma palheta ()"; para, de acordo com o parecer unânime da Haggadah, Os filhos de Adão e Eva nasceram totalmente desenvolvida (Gen. R. xxii. 2).

Eva viu em um sonho que tinha assassinado seu irmão Caim e Abel foi encontrado morto com uma pedra (Gen. R. xxii. 8; Livro de Jubilees, iv. 31), mas a terra se recusou a receber o seu sangue (Giṭ. 57b ).

Como compensação pela assassinado Abel, Deus prometeu Adam um filho que deve "dar a conhecer tudo aquilo que tu doest."

Doença e Morte de Adam.

Adam, com a idade de novecentos e trinta anos, ficou muito doente; por Deus lhe tinha amaldiçoado com setenta e duas doenças.

Ele enviou seu filho Seth, com Eve, ao Jardim do Éden para o óleo de cura, para restaurar-lhe a saúde (Pirḳe R. El. Xxxv).

Em sua forma de paraíso Seth foi atacada por um animal silvestre.

Após's Eve exigente como um animal poderia se atrevem a atacar a imagem de Deus, o animal respondeu que ela própria, através de seu pecado, tinha perdido o direito de se pronunciar sobre o reino animal (Pesiḳ. v. 44b, ed. Buber, e Sanh. 106b).

Nem até Seth exclamou: "Espere até o dia do juízo!"

Ou, "Pare! Se não, tu queres ser levados a julgamento perante Deus" (ambas baseadas em leituras) fez o animal deixar que ele vá.

No entanto, a missão de Seth foi em vão, para o anjo Michael, a quem Deus concedeu o controle sobre o corpo humano-para ele, foi quem teve a poeira recolhidas por Adam's criação (Midr. Konen, em "BH" ii. 27), disse-lhe que o seu pai era a vida em um ponto final, e sua alma iria afastar-lhe no decurso de uma semana.

Funeral de Adão.

Três dias depois da morte de Adão (Gen. R. vii), que teve lugar, como no caso de Moisés e Arão, na presença de muitos anjos e até mesmo na presença do Senhor, a sua alma foi entregue por Deus Para Michael, que lhe atribuiu uma morada no terceiro céu (Ḥag. 12b) até o dia da ressurreição.

O corpo foi interred com honras excepcionais; as quatro archangels, Michael, Gabriel, Uriel, e Rafael (na ordem de enumeração exacta dada pela Haggadah; ver Kohut, "Angelologie", p. 25), é enterrado no bairro de Paraíso, o local precisa ser (Pirḳe R. El. Xii. E xx). Hebron perto de Jerusalém; para o site do altar do templo, quando a poeira de Adão foi tomada, é o portão de paraíso.

Poucos dias após a interment de Adam pela virtutes, Eve sentiu que seu fim se aproximava.

Ela chamou seus filhos juntos e condenou-os a anotar os nomes dos dois primeiros seres humanos em duas lajes de pedra e barro, para que ela tivesse aprendido de Michael que Deus tinha decidido a dar uma inundação e uma destrutiva fogo sobre a terra e que Só estas lajes iria escapar destruição (Josephus, "Ant." I. 2, § 3).

Eve faleceu depois de um lapso de seis dias-ou seja, após a semana de luto Adam-como o (shib'ah) podem consistir, de acordo com Talmudic lei, de seis dias e apenas alguns momentos do sétimo dia (M. Ḳ. 19B).

Eva foi enterrado pelos anjos ao lado de Adam, e os anjos Seth instruídos para não lamentar mais de seis dias, e para descanso e alegrar no sétimo dia, para o mesmo dia em que Deus e os anjos que receberia na alegria da alma Que é levantada sobretudo terrena assunto (Sanh. 65b), e, além disso, o descanso após o sétimo dia era para ser o símbolo da ressurreição no futuro idades (Sanh. 97a).

A reconstrução do judeu Livro de Adam aqui pode ser tentada hipotético, em alguns pontos, nem para o Apoc.

Mosis nem o Vita pode-se considerar que representam uma cópia do original.

Mas ele deixa claro que estas duas apocryphas baseiam-se no hebraico ou aramaico Livro de Adão e que esta pertence ao midrashic literatura, como muitas das suas alusões só pode ser explicado pelo Midrash.

As lendas de Adão com que rabbinical literatura abunda parecem apontar para a mesma fonte.

Assim, a declaração em Abot de-Rabbi Nathan (i. 6, ed. Shechter) que Eve Adam sempre abordados como "senhor" aparentemente, não é compreensível, até que, em comparação com a vida e as eslavas Livro de Adão, os quais contêm declarações semelhantes, , Que, portanto, deve ter existido no original, de que tanto chamou independentemente uns dos outros.

No que se refere à alegada elementos cristãos e reminiscências do Novo Testamento no Apoc.

Vita Mosis e eles serão suficientemente caracterizada pelos seguintes exemplos: Apoc.

Mosis, iii. "Criança de castigo", é baseado numa haggadic etimologia do nome Caim, e não tem nada a ver com Ef.

Ii.

3; e Apoc.

Mosis, xix. ", Lust é o começo de todos os pecados", é cuidadosamente judaica (ver acima), e, portanto, não precisam de ter sido tomada a partir de uma fonte, tais como James, i.

15. Esta, aliás, é o que acontece com todos os outros alegados Christian passagens da Apoc.

Mosis, que iria provar nada, mesmo se eles eram de origem cristã; por isso não pode ser surpreendente para encontrar Christian alusões na língua de um livro tão amplamente lido entre os cristãos como a Apocrypha.

Mesmo passagens onde seria de esperar que um cristão editor ou compilador iria interject cristológico noções são completamente livres deles; de todos, que tende a mostrar que nem o Apoc.

Mosis nem o Vita foi, de forma alguma, por Christian mexidos com escritores.

Louis Ginzberg


Enciclopédia Judaica, publicada entre 1901-1906.

Bibliografia:


Schürer, Gesch.

3d ed., Iii., 288 e segs.; Fuchs, em Die Apokryphen und Pseudepigraphen des Alten Testamentos (trans. e ed. Por E. Kautzsch), ii.

506-529; Ginzberg, Die Haggada bei den Kirchenvätern, em Monatsschrift, 1899, pp.

63 e segs.

A mais importante das edições Livros de Adão são: Apoc.

Mosis, em Apocalypses Apocryphœ, ed.

Tischendorf, 1866; Adœ Vita et Evœ, ed.

H. Meyer, em Abhandlungen der Bayrischen Akademie der Wissenschaften; Philosophisch-Philologische Klasse, xiv.

(1878); o Old eslava Livro de Adão; Jagic, em Denkschriften der Wiener Akademie der Wissenschaften, Philosophisch-Historische Klasse (1893), i.

E segs., Xlii.; Malan, Livro de Adão e Eva, traduzido do Ethiopic, Londres, 1882.L.

G.


Também, veja:


Original Sin


Eden, Eve

Este assunto apresentação do original em língua Inglês


Enviar e-mail uma pergunta ou comentário para nós: E-mail

O principal BELIEVE web-page (eo índice de assuntos) está em